Profetas do Islão: diferenças entre revisões

31 bytes adicionados ,  11h00min de 23 de fevereiro de 2013
m
sem resumo de edição
m
O [[islão]] distingue dois tipos de profeta: os que receberam de Deus a missão de dar a conhecer aos homens a vontade divina (''anbiya''; singular: ''nabi'') e os que para além desta função lhes foi entregue uma escritura revelada (''rusul''; singular: ''rasul'', "mensageiro"). Neste último tipo de profeta encontra-se, por exemplo, Musa ([[Moisés]]) que recebeu como escritura revelada a [[Torá]].
 
Adam ([[Adão e Eva|Adão]]) foi o primeiro profeta. Após a sua expulsão do Jardim do Éden, Deus perdoou a sua falta, razão pela qual o islão não aceita o conceito de [[pecado original]]{{carece de fontes|data=Dezembro de 2008}}. O penúltimo profeta foi [[Isa (profeta)|Isa]] (Jesus), que os muçulmanos acreditam ter profetizado a vinda de [[Maomé]]. Os muçulmanos aceitam o nascimento de [[Isa]] a partir de uma virgem, mas não acreditam que ele tenha morrido na cruz; em vez disso [[Isa]] ascendeu ao céu.
 
Todos os profetas são humanos e não seres divinos. Os muçulmanos devem acreditar em todos eles, sem fazer qualquer tipo de distinção. Quando um muçulmano se refere ao nome de um profeta ele acrescenta "que a Paz e Bênção de Deus estejam sobre ele" em sinal de respeito.
 
Cinco profetas são alvo de particular atenção no islãoislamismo: Nuh ([[Noé]]), [[Ibrahim]] (Abraão), [[Musa]] (Moisés), [[Isa (profeta)|Isa]] (Jesus) e Muhammad ([[Maomé]]), que foi o último profeta, sendo por isso conhecido como o ''Selo dos Profetas''.
 
== Profetas no Alcorão ==
150 531

edições