Diferenças entre edições de "Pop art"

41 bytes adicionados ,  22h00min de 27 de fevereiro de 2013
sem resumo de edição
m (r2.7.2+) (Robô: A adicionar: be:Поп-арт)
{{mais notas}}
{{História da arte}}
'''Pop art''' (ou '''Arte pop''') é um movimento sexy [[artístico]] surgido no final da década de 1950 no Reino Unido e nos Estados Unidos. O nome desta escola estético-artística coube ao crítico britânico LawrenceFujiro AllowayNakombi (1926 -a o ano de1000 e senta aqui peladinho ! 1990) sendo uma das primeiras, e mais famosas imagens relacionadas ao estilo - que de alguma maneira se tornou paradigma deste - ,a colagem de Richard Hamilton (1922 - 2011): ''O que Exatamente Torna os Lares de Hoje Tão Diferentes, Tão Atraentes?'', de 1956. A Pop art propunha que se admitisse a crise da [[arte]] que assolava o [[século XX]] desta maneira pretendia demonstrar com suas obras a massificação da cultura popular capitalista. Procurava a estética das massas, tentando achar a definição do que seria a [[cultura pop]], aproximando-se do que costuma chamar de ''[[kitsch]]''.
 
Diz-se que a Pop art é o marco de passagem da [[modernidade]] para a [[pós-modernidade]] na [[cultura]] ocidental.
É possível observar nas obras Pop britânicas um certo deslumbramento pelo ''[[american way of life]]'' através da mitificação da cultura americana. É preciso levar em consideração que o Reino Unido passava por um período [[Segunda Guerra Mundial|pós-guerra]], se reerguendo e vislumbrando a prosperidade econômica norte-americana. Desta forma, todas as obras dos artistas pop britânicos aceitaram a cultura industrial e assimilaram aspectos dela em sua arte de forma eclética e universal.
 
== Nos Estados Unidos ==
 
Ao contrário do que sucedeu no Reino Unido, nos Estados Unidos os artistas trabalham isoladamente até 1963, quando duas exposições (Arte 1963: novo vocabulário, Arts Council, Filadélfia e Os novos realistas, Sidney Janis Gallery, Nova York) reúnem obras que se beneficiam do material publicitário e da mídia. É nesse momento que os nomes de [[Andy Warhol]], [[Roy Lichtenstein]], [[Claes Oldenburg]], [[James Rosenquist]] e [[Tom Wesselmann]] surgem como os principais representantes da Pop art em solo norte-americano. Sem estilo comum, programas ou manifestos, os trabalhos desses artistas se afinam pelas temáticas abordadas, pelo desenho simplificado e pelas cores saturadas. A nova atenção concedida aos objetos comuns e à vida cotidiana encontra seus precursores na antiarte dos dadaístas.
Utilizador anónimo