Abrir menu principal

Alterações

18 bytes adicionados, 05h51min de 6 de abril de 2013
sem resumo de edição
O primeiro registo histórico dos cimérios aparece nos anais da [[Assíria]] no ano 714 a.C. Eles descrevem como um povo chamado ''Gimirri'' ajudou as forças de [[Sargão II]] a derrotar o reino de [[Urartu]]. Sua terra original, chamada ''Gamir'' ou ''Uishdish'', parece ter sido localizada no Estado-tampão de [[Mannai]]. O geógrafo posterior [[Ptolomeu]] colocou a cidade de ''Gomara'' nessa região.
 
Alguns autores modernos{{carece de fontes}} afirmam que os cimérios incluíam [[mercenários]], chamados pelos assírios de ''Khumri'', restabelecidos na região por Sargão. Contudo, gregos de épocas posteriores sustentam que os cimérios, antes disso, haviam vivido nas [[estepe]]s entre os rios Tyras ([[Dniester]]) e Tanais ([[Rio Don, Rússia|Don]]). [[Homero]] os descreve em seu livro 11 da ''[[Odisseia]]'' como habitantes de terras enevoadas e de trevas nos limites do mundo, às margens de [[OceanusOceano (mitologia)|Oceano]]. Vários reis cimérios são mencionados em fontes gregas e [[Mesopotâmia|mesopotâmicas]], incluindo o [[Tugdamme]] (''Lygdamis'' em [[Língua grega|grego]]) e o [[Sandakhshatra]] (final do século VII a.C.).
 
De acordo com as ''Histórias'' de [[Heródoto]] (c. 440 a.C.), os cimérios haviam, em determinado ponto do passado, sido expulsos das estepes pelos [[citas]]. Para garantir seu enterro na pátria de seus ancestrais, os membros da família real ciméria dividiram-se em grupos e lutaram entre si até a morte. Os camponeses cimérios enterraram os corpos ao largo do rio Tyras e, através do Cáucaso, fugiram do avanço.