Abrir menu principal

Alterações

2 759 bytes removidos, 23h00min de 15 de abril de 2013
sem resumo de edição
ffdecv<nowiki><br />
A '''anfibologia''' (do [[língua grega|grego]] ''amphibolia'') é considerada um [[vício de linguagem]]<ref name=fatec>{{citar web|url=http://www.fatecriopreto.edu.br/Arquivos/SiteEliana/Mordendo%20a%20lingua//Anfibologia.pdf|titulo=ANFIBOLOGIA... afinal, o que é isso??|publicado=FATEC Rio Preto|acessodata=23 jan 2013}}</ref> que vem a ser, na [[lógica]] e na [[lingüística]] moderna, um [[sinônimo]] de '''ambigüidade''' (do [[latim]] ''ambiguitas, atis''), isto é, a duplicidade de sentido em uma construção sintática. Um enunciado é ambíguo e, portanto, anfibológico quando permite mais de uma interpretação.
Inserir aqui texto sem formatação<small><sup>Texto pequeno</sup><sup>
 
#REDIRECIONAMENTO [[Texto em sobrescrito]]
Na [[lógica aristotélica]], designa uma [[falácia]] baseada no dúbio sentido - proposital ou não - da estrutura gramatical da sentença de modo a distorcer o raciocínio lógico ou a torná-lo obscuro, incerto ou equivocado.
<gallery>
 
<gallery>
A ambigüidade pode ser proposital ou inconsciente ([[ato falho]]) ou, ainda, dar-se por mero descuido do falante ou do escritor ao organizar as palavras do enunciado. <ref name=fatec/>
Ficheiro:Exemplo1.jpg|Legenda1
 
Ficheiro:Exemplo2.jpg|Legenda2
Além disso pode ser usada como recurso falacioso de argumentação e o recurso estilístico.<ref name=fatec/> O uso estilístico da ambigüidade é comum na [[poesia]] ([[licença poética]]) e também na linguagem informal, sobretudo no cotidiano do registro falado de uma língua (em brincadeiras, insinuações, por meio de trocadilhos e jogos de palavras). Neste caso, a utilização da ambigüidade se vale da [[polissemia]] das palavras ou da semelhança fonética, fenômenos lingüísticos presentes em praticamente todas as línguas.
</gallery>
 
<gallery>
De um modo geral, a ambigüidade é considerada um [[vício de linguagem]] ou [[estilística|recurso estilístico]], e a anfibologia, uma [[falácia]].
<gallery>
 
Ficheiro:Exemplo1.jpg|Legenda1
Uma vez que a anfibologia ou a ambigüidade está estreitamente associada à sintaxe, isto é, à posição e organização das palavras dentro de um enunciado, à relação delas entre si e, de um modo geral, à construção das frases, a ocorrência dessa falácia ou desse vício de linguagem assumirá diferentes formas de acordo com a língua de que se trate, pois cada idioma possui sua própria estrutura e sua sintaxe.
Ficheiro:Exemplo2.jpg|Legenda2
 
</gallery>
== Exemplos ==
<gallery>
 
<gallery>
'''1) Uso de sujeito posposto a verbo que seja transitivo direto:'''
Ficheiro:Exemplo1.jpg|Legenda1
''Venceu o Brasil a Argentina'' - Quem foi o vencedor: o Brasil ou a Argentina?
Ficheiro:Exemplo2.jpg|Legenda2
 
</gallery>
'''2) Uso de pronome possessivo na terceira pessoa - "seu", "seus", "sua", "suas"''' - (é um uso que, se o escritor não estiver atento, freqüentemente produz ambigüidade):
<gallery>
''Meu pai foi à casa de José em seu carro '' - No carro de quem, de José ou do pai?
<small>Ficheiro:Exemplo1.jpg|Legenda1
 
Ficheiro:Exemplo2.jpg|Legenda2</small><small><small>Texto pequeno</small><small><br />
'''3) Uso de certas comparações:'''
Texto pequeno<br />
''Na década de 70, os jogadores do [[Clube de Regatas Vasco da Gama|Vasco]] não levavam os treinos a sério, como acontecia no [[Cruzeiro Esporte Clube|Cruzeiro]].'' - O que acontecia no Cruzeiro? O autor da frase quis equiparar os jogadores do Cruzeiro aos do Vasco ou, ao contrário, quis fazer uma oposição, afirmando que os cruzeirenses levavam os treinos a sério, diferentemente dos vascaínos?
<nowiki><nowiki>Inserir aqui texto sem formatação</nowiki><nowiki>
 
:Inserir aqui texto sem formatação
'''4) Uso da preposição "de" em certos casos entre dois substantivos''' - as preposições também são freqüentemente fonte de ambiguidade:
<nowiki><br />
''Onde está a cadela da sua mãe?'' - Está-se referindo à cadela que pertence à mãe ou está-se insultando-a?
Inserir aqui texto sem formatação<big>
 
{| class="wikitable"
'''5) Uso do verbo deixar:
|-
''João deixou as pessoas felizes.'' - João deixou felizes as pessoas ou deixou as pessoas que eram felizes?
! Texto do cabeçalho !! Texto do cabeçalho !! Texto do cabeçalho
 
|-
{{Referências}}
| Exemplo || Exemplo || Exemplo
 
|-
=={{ligações externas}}==
| Exemplo || Exemplo || Exemplo
*[http://www.pucrs.br/gpt/falacias.php Como Evitar Falácias]
|-
*[http://criticanarede.com/falacias.htm Guia das Falácias]
| Exemplo || Exemplo || Exemplo
 
|}
{{Lógica}}
[[sdsadsarewrdccvccc]]</big></nowiki></nowiki></nowiki></small></small>
{{Falácias}}
</gallery>
{{Figuras de linguagem}}
</gallery>
 
</gallery>
[[Categoria:Falácias lógicas]]
</gallery>
[[Categoria:Retórica]]
</sup></small></nowiki>
 
[[Categoria:Gramática]]
[[Categoria:Figuras de linguagem]]
 
{{esboço-lógica}}
{{portal3|filosofia}}
Utilizador anónimo