Abrir menu principal

Alterações

7 551 bytes adicionados ,  06h34min de 11 de maio de 2013
sem resumo de edição
{{Sem-fontes|data=Janeiro de 2009}}
[[Ficheiro:South-africa-demography.svg|thumb|right|300px|Evolução demográfica da África do Sul, dados da [[Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação|FAO]] de [[2005]], em milhares de habitantes.]]
[[Ficheiro:COB data South Africa.PNG|right|300px|thumb|Residentes estrangeiros na África do Sul, em 1996]]
[[Ficheiro:South Africa population density map.svg|300px|thumb|[[Densidade demográfica]] da África o Sul.
{| width=100%
]]
A [[África do Sul]] é uma nação de 44,8 milhões de pessoas de diversas origens, [[cultura]]s, [[língua]]s e [[crença]]s.
 
África do Sul abriga uma considerável população de [[refugiados]] e requerentes de [[Direito de asilo|asilo]]. Segundo a ''World Refugee Survey 2008'', publicado pelo Comitê estadunidense para Refugiados e Imigrantes, esta população era de aproximadamente 144.700 pessoas em [[2007]].<ref name="World Refugee Survey 2008"/> Grupos de refugiados e requerentes de asilo que somam mais de 10.000 pessoas incluídas do Zimbábue (48.400), [[República Democrática do Congo]] (24.800) e [[Somália]] (12.900).<ref name="World Refugee Survey 2008"/> Estas populações viviam principalmente em [[Joanesburgo]], [[Pretória]], [[Durban]], [[Cidade do Cabo]] e [[Port Elizabeth]].<ref name="World Refugee Survey 2008">{{cite news|title=World Refugee Survey 2008|publisher=U.S. Committee for Refugees and Immigrants|date=2008-06-19|url=http://www.refugees.org/survey}}</ref>
 
== Idiomas ==
 
== Religião ==
{{bar box
|title=Religião na África do Sul
|titlebar=#ddd
|left1=
|float=right
|bars=
{{bar percent|[[Cristianismo]]|Blue|79.7}}
{{bar percent|[[Sem religião]]|Red|15.1}}
{{bar percent|Outras|Purple|2.3}}
{{bar percent|[[Islamismo]]|Green|1.5}}
{{bar percent|Sem resposta|Black|1.4}}
{{bar percent|[[Hinduísmo]]|Gray|1.3}}
}}
Em termos de crença religiosa, cerca de três quartos dos sul-africanos são [[cristianismo|cristãos]], particularmente [[protestantismo|protestantes]]. Pertencem a várias igrejas, incluindo muitas que combinam crenças cristãs e africanas tradicionais. Muita da população não-cristã é [[animismo|animista]]. Entre as religiões minoritárias inclui-se o [[islão]], o [[hinduísmo]] e o [[judaísmo]]. Por convicções religiosas, a população professa:
* [[Igreja Cristã Zion]]: 11,1%
* [[Ateísmo|Ateus]]: 18%'''
 
== EtniasUrbanização ==
{{Cidades mais populosas da África do Sul}}
O [[censo]] de [[2001]] organizado pela agência de estatísticas da África do sul propôs cinco categorias [[raça|raciais]] onde as pessoas se podiam classificar a si próprias, a última das quais, "não especificada/outra", recolheu um número negligível de respostas e foi omitida. Os resultados das outras categorias foram:
 
== Composição étnica ==
[[Ficheiro:South Africa dominant population group map.svg|thumb|300px|Grupos populacionais dominantes na África do Sul.{{clear}} {{legend|#fb8072|Africanos negros}} {{legend|#8dd3c7|Colorados}} {{legend|#80b1d3|Indianos ou Asiáticos}} {{legend|#ffffb3|Brancos}} {{legend|#bebada|Nenhum dominante}}]]
O [[censo]] de [[2001]] organizado pela agência de estatísticas da África do sul propôs cinco categorias [[raça|raciais]] onde as pessoas se podiam classificar a si próprias, a última das quais, "não especificada/outra", recolheu um número negligível de respostas e foi omitida. Os resultados das outras categorias foram:
 
* [[Caucasiano|Branco]] — 9,6%
 
=== Negros ===
De longe, a parte maior da população se auto-classifica como Africano ou negro, mas esse grupo não é culturalmente ou linguisticamente homogêneo. Os principais grupos étnicos incluem os [[Zulu]]s, [[Xhosa]]s, [[Basotho]]s (Sotho do Sul), [[SeSotho do norte|Bapedis]] (Sotho do Norte), [[Venda]]s, [[Tswana]]s, [[Tsonga]]s, [[Ndebele]]s e [[Swazi]]s, que falam [[línguas bantu]].
A população negra é composta por quatro grandes grupos étnicos e todos eles falam as línguas bantas que provêm do subgrupo [[Línguas benue-congo|Benue-Congo]], da família da língua do [[Níger-Congo]]. O grupo Nguni inclui vários indivíduos [[Xhosa]], [[Zulu]], [[Swasi]] e [[Ndebele]] que, juntos, são mais de metade da população negra. O grupo Sotho-Tswana inclui um grande número de pessoas [[Sotho]], [[Pedi]] e [[Tswana]]. Os Tsonga e os Venda constituem outros dois fortes grupos linguísticos.
 
Alguns grupos como os Zulus, Xhosas, Bapedis e Vendas são exclusivos da África do Sul. Outros grupos são distribuídos através das fronteiras com os países vizinhos da África do Sul: o grupo Basotho também é o principal grupo étnico no [[Lesoto]]. O grupo étnico Tswana constitui a maioria da população de [[Botswana]]. O grupo étnico Swazi é o principal grupo étnico da [[Suazilândia]]. O grupo étnico Ndebele também é encontrado em [[Matabeleland]] no [[Zimbabué]], onde eles são conhecidos como Matabele. Estes povos Ndebele são descendentes de uma facção Zulu sob o guerreiro [[Mzilikazi]] que escaparam da perseguição de [[Shaka]], migrando para o seu território atual. O grupo étnico Tsonga também é encontrada no sul de [[Moçambique]], onde eles são conhecidos como Shangaan.
 
=== Brancos ===
A população branca descende principalmente de imigrantes coloniais: [[neerlandeses]], [[portugueses]], [[alemães]], [[huguenote]]s [[franceses]] e [[britânicos]]. Linguisticamente, está dividida entre os grupos de língua [[Língua africâner|africâner]] e os de [[língua inglesa]], embora muitas comunidades mais pequenas que imigraram durante o último século mantenham o uso de outras línguas. Um bom exemplo é a grande comunidade de [[Portugueses na África do Sul|imigrantes portugueses]], essencialmente provenientes da [[Ilha da Madeira]], que vive no país. Divididos entre [[bôeres]], falantes da [[língua africâner]], em sua maioria [[descendente]]s de [[colono]]s [[holandeses]], [[alemães]] e [[franceses]] que ali se estabeleceram entre os anos de 1652 à 1795. O outro grupo é o de falantes da [[língua inglesa]], em sua maioria descendentes de colonos [[Grã-Bretanha|britânicos]].<ref>http://africanhistory.about.com/od/southafrica/p/AfrikanerGene.htm</ref>
 
{{bar box
|title=Grupos étnicos na África do Sul
|titlebar=#ddd
|left1=
|float=right
|bars=
{{bar percent|[[Negros]]|black|79.4}}
{{bar percent|[[Brancos]]|Yellow|9.2}}
{{bar percent|[[Coloured]]|Gray|8.8}}
{{bar percent|[[Indianos]] ou [[Asiáticos]]|Brown|2.6}}
}}
 
A população [[Brancos|branca]] não é etnicamente homogênea e descende de muitos grupos étnicos: [[holandeses]], [[flamengos]], [[portugueses]], [[noruegueses]], [[alemães]], [[gregos]], [[franceses]] [[huguenote]], [[ingleses]], [[polacos]], [[irlandeses]], [[italianos]], [[escoceses]] e [[galeses]]. Há também uma substancial (embora reduzida) população [[judaica]], a maioria dos quais vieram da [[Lituânia]], na virada do século XX, embora outros vieram depois e, posteriormente, do [[Reino Unido]], da ex-[[União Soviética]] e de [[Israel]]. Cultural e linguisticamente os brancos são divididos em [[africânderes]], que falam [[Língua africâner|africâner]], e grupos que falam [[Língua inglesa|inglês]]; em ambos os casos, trata-se de descendentes de emigrantes provenientes de vários países. Algumas comunidades pequenas que imigraram no século passado conservam a utilização de outros idiomas; um exemplo é a comunidade portuguesa. A população branca está diminuindo devido a uma baixa [[taxa de natalidade]] e pela [[emigração]], como um fator em sua decisão de emigrar, muitos citam a elevada taxa de [[criminalidade]] e as políticas de "ação afirmativa" do governo que favorece a população negra. Desde 1994, cerca de 1.000.000 de brancos sul-africanos emigraram permanentemente do país.<ref name="Fin24">{{cite web|url=http://www.fin24.com/articles/default/display_article.aspx?ArticleId=1518-25_2003186 |title=Million whites leave SA- study |publisher=Fin24.com |date= |accessdate=2010-05-30}}</ref><ref name="Unisa">[http://www.unisa.ac.za/default.asp?Cmd=ViewContent&ContentID=13537 Unisa].</ref><ref name="Queen’s U">[http://www.queensu.ca/samp/sampresources/samppublications/policyseries/policy23.htm Policy Series], Queen’s University.</ref><ref name="Economist">[http://www.economist.com/world/africa/displayStory.cfm?story_id=4277319 The Economist].</ref>
 
Muitos dos [[brancos]] da [[África do Sul]] possuem significativa ancestralidade não europeia, e a maior parte daqueles cuja ancestralidade é antiga possui algum algum grau de ancestralidade não europeia, por menor que esse grau possa ser em alguns indivíduos. De acordo com um estudo genealógico, por volta de 6% da ancestralidade dos descendentes dos colonos holandeses é de origem não europeia, aí incluídos aportes asiáticos e africanos.<ref>http://www.africandna.com/ScienPapers%5CDeconstructing_Jaco_Genetic_Heritage_of_an_Afrikaner.pdf</ref> Muitas famílias tradicionais e antigas são descendentes, por exemplo, de [[Eva Krotoa]], uma [[Khoisan]] que teve filhos com um colono holandês, e cujos filhos se integraram à comunidade colonial estabelecida pelos [[Países Baixos]]. Dentre os descendentes de [[Eva Krotoa]], encontram-se muitos líderes famosos, tais como: o presidente do [[Transvaal]] [[Paul Kruger]], o primeiro ministro da [[África do Sul]] [[Jan Smuts]] e o presidente da [[África do Sul]] [[F. W. de Klerk]].<ref>http://www.southafrica.info/about/history/mixedmarriages-genealogy.htm</ref> Outras são descendentes de Manoel de [[Angola]], um escravo liberto que se tornou proprietário e senhor de outros escravos.<ref>http://www.stellenboschheritage.co.za/wp-content/uploads/147_Klein_Gustrouw_Historical_Property.pdf</ref> E por aí vai.
 
Apesar dos níveis elevados da emigração, um elevado número de imigrantes brancos não-Sul Africanos se instalaram no país, em especial de países como [[Reino Unido]] e [[Zimbábue]]. Por exemplo, em 2005, havia cerca de 212.000 cidadãos britânicos residentes na África do Sul. Desde 2003, o número de imigrantes britânicos que vêm para a África do Sul aumentou 50%. Estima-se 20.000 imigrantes britânicos mudaram-se para a África do Sul em 2007. Houve também um número significativo de branco chegados do Zimbabué, que fogem do seu país de origem à luz dos problemas econômicos e políticos que o país enfrenta atualmente. Bem como os recém-chegados, um número significativo de zimbabueanos brancos emigrou para a África do Sul, na sequência da independência do Zimbábue em [[1980]]. Alguns dos membros mais antigos da comunidade são conhecidos na cultura popular como "''[[Whenwe]]s''", por causa de sua [[nostalgia]] por suas vidas na [[Rodésia]], ''"quando estávamos na Rodésia..."''.<ref name="New Internationalist">{{cite web|url=http://www.newint.org/issue155/briefly.htm|title=Rhodie oldies|year=1985|accessdate=2007-10-29|publisher=[[New Internationalist]]}}</ref>
Divididos entre [[bôeres]], falantes da [[língua africâner]], em sua maioria [[descendente]]s de [[colono]]s [[holandeses]], [[alemães]] e [[franceses]] que ali se estabeleceram entre os anos de 1652 à 1795. O outro grupo é o de falantes da [[língua inglesa]], em sua maioria descendentes de colonos [[Grã-Bretanha|britânicos]].<ref>http://africanhistory.about.com/od/southafrica/p/AfrikanerGene.htm</ref>
 
Não houve outras ondas de imigração branca para África do Sul nas últimas décadas. Na [[década de 1970]], muitos moradores das antigas colônias portuguesas na África, como [[Angola]] e [[Moçambique]], vieram morar na África do Sul após a independência destes territórios. Além disso, o governo do ''[[apartheid]]'' incentivou a imigração do [[Leste Europeu]] nos [[anos 1980]] e início dos [[anos 1990]], particularmente da [[Polônia]] e da [[Hungria]].
Muitos dos [[brancos]] da [[África do Sul]] possuem significativa ancestralidade não europeia, e a maior parte daqueles cuja ancestralidade é antiga possui algum algum grau de ancestralidade não europeia, por menor que esse grau possa ser em alguns indivíduos. De acordo com um estudo genealógico, por volta de 6% da ancestralidade dos descendentes dos colonos holandeses é de origem não europeia, aí incluídos aportes asiáticos e africanos.<ref>http://www.africandna.com/ScienPapers%5CDeconstructing_Jaco_Genetic_Heritage_of_an_Afrikaner.pdf</ref> Muitas famílias tradicionais e antigas são descendentes, por exemplo, de [[Eva Krotoa]], uma [[Khoisan]] que teve filhos com um colono holandês, e cujos filhos se integraram à comunidade colonial estabelecida pelos [[Países Baixos]]. Dentre os descendentes de [[Eva Krotoa]], encontram-se muitos líderes famosos, tais como: o presidente do [[Transvaal]] [[Paul Kruger]], o primeiro ministro da [[África do Sul]] [[Jan Smuts]] e o presidente da [[África do Sul]] [[F. W. de Klerk]].<ref>http://www.southafrica.info/about/history/mixedmarriages-genealogy.htm</ref> Outras são descendentes de Manoel de [[Angola]], um escravo liberto que se tornou proprietário e senhor de outros escravos.<ref>http://www.stellenboschheritage.co.za/wp-content/uploads/147_Klein_Gustrouw_Historical_Property.pdf</ref> E por aí vai.
 
=== Coloured ===
[[Ficheiro:Coloured-family.jpg|thumb|right|250px|Uma família "coloured".]]
O termo "[[coloured]]" é polémico, masusado ainda é muito usadopara pelasas pessoas de raçaorigem mista descendentes, de escravosnegros trazidose dabrancos, Áfricacomo orientaluma emistura central, dosde [[khoisanjavaneses]] indígenas que ao tempo viviam no, [[Cabomalaios]], da Boa Esperança|Cabo[[indianos]], de negros africanosoutros indígenasasiáticos e de[[malgaxe]]s brancos. A maioria fala a [[línguaLíngua africâner|africâner]]. [[Khoisan]] é um termo usado para descrever dois grupos separados, fisicamente semelhantes: napele medidarelativamente emclara e pequena estatura. Os [[Khoikhoi]], que tinhamforam achamados pelehotentotes clarapelos eeuropeus, eram baixos.pastores Ose foram reduzidos a grupos khoeresiduais, os San, chamados bosquímanos pelos europeus, eram (e são em boa parte) [[hotentotecaçadores-coletores]]s. pelosDentro europeusda comunidade coloradas, viviamentre daos pastoríciaimigrantes emais foramrecentes efectivamentetambém aniquilados;são osencontrados mestiços da antiga [[SanRodésia]] (povoatual Zimbábue)|san, [[Namíbia]] e imigrantes de ascendência mista da [[Índia]] e da [[Birmânia]] (Anglo-Indianos/Anglo-Burmeses), chamadosque bosquímanosforam pelosacolhidos europeusda Província do Cabo, eramquando caçadores-recolectoresa Índia e a Birmânia conquistaram sua independência.
 
Os [[mestiço]]s, chamados de "coloured", cuja [[ancestralidade]] inclui uma [[miscigenação]] entre africanos, europeus e asiáticos, correspondem a 8,9%. Os [[Ásia|asiáticos]], principalmente de origem [[Índia|indiana]], correspondem a 2,5%.
 
=== Asiáticos ===
A maior parte da população asiática do país é de origem [[Índia|indiana]], e muitos descendem de trabalhadores contratados, trazidos no [[século XIX]] para trabalhar nas [[plantação|plantações]] de [[açúcar]] na área costeira oriental então conhecida como [[KwaZulu-Natal|Natal]]. Existe ainda um número significativo de sul-africanos de origem [[China|chinesa]].
 
A maior parte da população asiática sul-africana é de origem indiana, muitos deles descendentes de trabalhadores contratados trazidos no [[século XIX]] para trabalhar nas plantações de açúcar da zona costeira oriental então conhecida como Natal. Graves distúrbios em [[Durban]] entre indianos e Zulus eclodiu em [[1949]].<ref>[http://www.theindianstar.com/index.php?uan=5786 Current Africa race riots like 1949 anti-Indian riots: minister]. TheIndianStar.com. May 26, 2008.</ref> Há também um grupo significativo de sul-africanos chineses (cerca de 100 mil indivíduos) e do [[Vietnam]] (cerca de 50.000 indivíduos). Em [[2008]], o Supremo Tribunal de Pretória determinou que os chineses sul-africanos que chegaram antes de [[1994]] deviam ser reclassificados como mestiços. Como resultado desta decisão, cerca de 12.000-15.000<ref>{{cite web|last=Conason |first=Joe |url=http://www.salon.com/tech/htww/2008/06/19/chinese_declared_black/ |title=Chinese declared black |publisher=Salon.com |date=2008-06-19 |accessdate=2010-05-30}}</ref> os cidadãos etnicamente chineses que chegaram antes de 1994, totalizando 3%-5% do total da população chinesa no país.<ref>[http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/africa/article4168245.ece We agree that you are black, South African court tells Chinese], The Times</ref>
{{ref-section}}
 
{{referências}}
 
== Ligações externas ==
*[http://www.sokwanele.com/articles/sokwanele/zimrefugeessufferinsouthafricaandzimbabwe_20July2007.html Sokwanele article on Zimbabwe Refugee Crisis]
*[http://www.fin24.com/articles/default/display_article.aspx?ArticleId=1518-25_2003186&nbsp;million whites leave SA- study]
*[http://www.statssa.gov.za/Publications/Report-03-03-01/Report-03-03-01.pdf Contains information on the South African middle class]
 
{{África/Demografia}}
{{África do Sul/Tópicos}}
{{África/Demografia}}
 
[[Categoria:Demografia da África do Sul| ]]
159 073

edições