Massacre de Xangai de 1927: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
m (Bot: A migrar 7 interwikis, agora providenciados por Wikidata em d:Q1195058)
O Massacre de Xangai foi um dos principais eventos de 1927, que assinou a ruptura entre o [[Kuomintang]] e o [[Partido Comunista Chinês]], e marcou o início da [[Guerra Civil Chinesa]]. Este ataque contra os seus aliados comunistas, da facção do Kuomintang liderada por Chiang Kai-shek, destinou-se a expurgar os elementos de [[esquerda]] do partido e evitar o domínio pelos comunistas na [[República da China]]<ref>Patricia Stranahan, ''Underground: The Shanghai Communist Party and the Politics of Survival, 1927-1937'', Rowman & Littlefield Publishers, 1998</ref>.
 
Em [[chinês]], o incidente é chamado de "a purificação do Partido" (清党) pelo Kuomintang (KMT), enquanto o [[Partido Comunista da China]] (PCC) se refere a ele como o "Massacre de Xangai de 1927"<ref>Zhao, Suisheng. [2004] (2004). A Nation-state by Construction: Dynamics of Modern Chinese Nationalism. Stanford University Press. ISBN 0804750017.</ref>, "golpe anti-revolucionário de 12 de abril" (四一二反革命政变) ou "Tragédia de 12 de abril" (四一二惨案). Muitos membros comunistas proeminentes do KuomintangPCC foram presos ou executados por Chiang em uma tentativa de destruir a influência do PCC. Ao longo de várias semanas após o incidente de 12 de abril em Xangai, ocorreram prisões e execuções de comunistas proeminentes, distribuídos por áreas da [[China]] controladas por Chiang e seus aliados, incluindo o co-fundador do Partido Comunista Chinês, [[Li Dazhao]], em [[Pequim]]. Depois de derrotar as insurreições comunistas nas cidades, o Kuomintang tornou-se unificado sob a liderança de Chiang, e passou a derrotar as facções dos senhores da guerra e se tornar dominante na China. Os comunistas se retiraram para coletividades rurais, construindo uma força no meio rural para a próxima fase da [[guerra civil chinesa]].
 
{{referências}}
Utilizador anónimo