Diferenças entre edições de "Esquema de Horner"

1 139 bytes adicionados ,  05h19min de 27 de maio de 2013
 
De fato, este é o método utilizado pelo software de computação numérica [[Scilab]]. Para utilizar esse algoritmo no programa usa-se o comando horner (P, x) onde ''P'' é uma matriz de polinômios ou de razões de polinômios e ''x'' é um número real ou uma matriz para o qual se deseja obter o valor de ''P''.
 
Pode-se também calcular a expansão de Taylor em torno de um ponto x_0. Nesse caso o polinômio é dividido sucessivamente por x_0 utilizando o dispositivo de Briot-Rufini.
Exemplo: Calcular a expansão de Taylor em torno de 3 para o polinômio x^4-4x^3+7x^2-5x-2.
Temos:
│ x<sup>4</sup> x³ x² x¹ x⁰
3 │ 1 4 7 -5 −2
│ 3 -3 12 21
┼────────────────────────
3 │ 1 -1 4 7 '''19'''
│ 3 6 30
┼────────────────────────
3 │ 1 2 10 '''37'''
│ 3 15
┼────────────────────────
3 │1 5 '''25'''
│ 3
┼────────────────────────
│1 '''8'''
Logo a expansão de Taylor em torno de 3 é:
<math> P(x) =(x-3)^4+8(x-3)^3+25(x-3)^2+37(x-3)x+19.
 
Note que através do Método de Horner encontrar a expansão da série é mais simples e rápido, além de não envolver o cálculo de derivada.
 
=== Deflação ===
101

edições