Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 10h47min de 2 de junho de 2013
sem resumo de edição
Por extensão, começou também a chamar-se solar à casa principal, dita casa-mãe, não já de uma linhagem mas de uma Casa [[Título nobiliárquico|titular]]. Assim, por exemplo, o [[castelo de Alvito]] seria o solar dos barões de Alvito. Mas mais uma vez a designação é inadequada, pois, usando este exemplo, o senhorio e castelo de Alvito pertenceu a um ramo da linhagem dos Lobo, muito anterior, e o 1º barão de Alvito nem sequer era desta família, tendo o senhorio e o castelo por herança de sua mulher. Embora seja uma situação mais tardia, há casos especiais em que podemos vê-los como abrangendo as duas situações como correctas em simultâneamente, nomeadamente no [[Paço de Lanheses]] se o considerarmos como sendo igualmente o Solar dos Ricaldes e muito mais tarde, até à actualidade, o Solar dos Almadas quando se tornou a casa-mãe dessa família.
 
Outros exemplos podem ser destacados, de solares que pertencem ou pertenciam a famílias [[nobre]]s e tradicionais ou apenas tradicionais, como a nobre [[Família Morais Sarmento|Morais Sarmento]], que detém o conhecido [[Solar do Visconde de Almendra]], em [[Almendra]], ou como a parte nobre da [[Noronha|família Noronha]], que detém o [[Solar dos Noronhas (Ribeira Seca)|Solar dos Noronhas]] em [[Calheta (Açores)|Calheta]], ou ainda como o [[Solar de Alarcão]], que pertencia à tradicional "família '''Alarcão'''".
 
=={{Ver também}}==