Abrir menu principal

Alterações

10 bytes removidos, 12h19min de 3 de junho de 2013
sem resumo de edição
Após as [[Matinas|Orthos]] e antes da [[Liturgia Divina]], uma procissão é feita com os ícones para algum lugar pré-determinado (geralmente dentro da própria igreja). Enquanto isso, um [[cânon (hinografia)|cânon]] atribuído a [[São Teodoro Estudita]] é cantado.
 
Assim que a procissão chega ao local, o ''[[Synodicon]]'' (o decreto do sínodo em Constantinopla) é proclamado em voz alta pelo [[diácono]]. Este ''Synodion'' começa com a memória de alguns [[santo]]s, [[confessor]]es e heróis da fé, ao que o público responde à cada nome: ''"Eterna Memória!"'' três vezes. Então se segue uma longa lista de [[heresia|herético]]s de todos os tipos, à cada qual o público responde: ''"[[Anátema]]!"'' uma vez ou três. Estas heresias compreendem todos os maiores oponentes da fé ortodoxa: [[arianismo|arianos]], [[nestorianos]], [[monofisitas]], [[monotelitas]], [[iconoclastas]] e assim por diante. Então vêm novamente o "Eterna Memória" para alguns imperadores mais piedosos a partir de [[Constantino, o Grande]].
 
Inevitavelmente há diferenças entre as listas ortodoxa e católica oriental, assim como pequenas diferenças entre os ''Synodika'' de cada uma das igrejas nacionais. Os ortodoxos aclamam [[Fócio]], [[Miguel Cerulário]] e outros patriarcas anti-romanos e muitos imperadores. Eles amaldiçoam o [[papa Honório I]] entre os [[monotelitas]], adversários do [[hesicasmo]]. O ''Synodicon'' utilizado pela Igreja Católica Oriental tende a omitir boa parte destes nomes.