Abrir menu principal

Alterações

5 bytes removidos, 22h02min de 14 de junho de 2013
m
*'''Ecológicos:''' Os impactos ecológicos são vários - a) físicos, podendo chegar a destruir ecossistemas pela simples acumulação excessiva, b) químicos, derivados da liberação de substâncias tóxicas na água, e c) efeitos sobre indivíduos, produzindo morte ou sofrimentos por ingestão de lixo indigerível ou tóxico, sufocação, e por enredamento em cordas e linhas, que podem matar por asfixia, afogamento ou imobilização, e podem ferir cortando, amputando membros, ou causar deformações e malformações de crescimento. Os detritos também provocam mudanças de hábitos, dificuldades de locomoção, fixação, alimentação e nidificação, e tendem a fazer declinar espécies e populações.<ref name="Jeftic"/><ref name="Cheshire"/> Muitas [[espécies ameaçadas]] são particularmente vulneráveis aos problemas gerados pelo detrito marinho, como as tartarugas, que frequentemente confundem sacolas plásticas com as [[medusa]]s de que se alimentam. Em certas espécies, como o [[albatroz-de-Laysan]], até 90% da população estudada tem plástico em seu trato gastrointestinal.<ref name="Greenpeace"/> Os [[corais]], as [[Erva marinha|ervas marinhas]] e outras espécies que vivem nos fundos, como [[caranguejo]]s e [[moluscos]], são os grupos de criaturas mais vulneráveis, mas os impactos mais óbvios são sobre os grandes animais, como as aves, tartarugas, golfinhos, baleias e focas.<ref name="Jeftic"/><ref name="Cheshire"/> Pelo menos 267 espécies já foram documentadamente prejudicadas por lixo marinho.<ref name="Greenpeace">Allsopp, Michelle et al. [http://www.unep.org/regionalseas/marinelitter/publications/docs/plastic_ocean_report.pdf ''Plastic Debris in the World’s Oceans'']. Greenpeace.</ref> Os detritos flutuantes também podem servir de veículo para [[espécies exóticas]], que podem se tornar [[espécie invasora|invasoras]] em regiões diferentes da sua origem.<ref name="Macfadyen"/> Vários casos de invasão através deste meio já foram documentados, incluindo invasões de mexilhões e marés de algas.<ref name="Greenpeace"/>
 
*'''Econômicos:''' Muitos países já registraram declínio na pesca por causa do lixo, e que o problema afeta seuo turismo ao depreciar esteticamente as paisagens ecosteiras, tornando-as imprópriasdesagradáveis para o desfrute e o convívio social, um lixo que em grande porção é deixado pelos próprios frequentadores dos litorais. Os impactos econômicos ainda não foram estimados com precisão, e só se dispõe de estudos pontuais, mas a partir deles é fácil projetar a dimensão global dos prejuízos. Por exemplo, a [[Polônia]] gastou em 2006 cerca de 570 mil [[euro]]s para limpar suas praias, e a cidade de [[Ventanillas]], no [[Peru]], só ela usou 400 mil dólares para o mesmo fim naquele ano; um lixo que em sua maioria foi deixado pelos próprios frequentadores das praias.<ref name="Jeftic"/> A [[Inglaterra]] e o [[País de Gales]] gastam 30 milhões de dólares anuais na limpeza de suas praias. Em 1998 computou-se que os detritos marinhos jogados às praias produziram até 3,6 bilhões de dólares em prejuízos sobre o turismo e outros rendimentos no estado de [[Nova Jérsei]], nos [[Estados Unidos]].<ref name="Macfadyen"/> Nas [[Ilhas Shetland]], danificando equipamentos ou prejudicado os peixes, os detritos marinhos dão prejuízos para a pesca que chegam a mais de 3 milhões de euros anuais. No [[Reino Unido]], em 1998 foram registrados 200 incidentes envolvendo motores de barcos danificados por detritos, e alguns portos britânicos gastam até 33 mil euros anuais por problemas relacionados.<ref name="Jeftic"/> O [[Japão]] gasta mais de 4 bilhões de [[iene]]s anuais para reparar navios danificados por detritos.<ref name="Macfadyen"/>
 
*'''Sanitários, securitários e jurídicos:''' Estão incluídos nos prejuízos os problemas ligados à saúde pública e à segurança humana. Detritos em praias, como cacos de vidro e objetos metálicos cortantes, têm sido frequente causa de ferimentos em pessoas e animais domésticos; lixo hospitalar pode estar contaminado com doenças, lixo flutuante é uma ameaça a nadadores, mergulhadores e esportistas, e causam dano a propriedades e barcos. Há também transtornos jurídicos, já que o assunto envolve violações de leis sobre o descarte e processamento de lixo, e tem ligações com a pesca predatória e clandestina.<ref name="Jeftic"/><ref name="Cheshire"/>