Diferenças entre edições de "Dinastia de Hohenstaufen"

Sem alteração do tamanho ,  20h03min de 16 de junho de 2013
ajustes
(ajustes)
 
=== Elevação à realeza ===
Quando em [[1125]] [[Henrique V da Germânia|Henrique V]] morre sem herdeiro aparente e a [[dinastia Sálicasaliana]] chega ao fim, os seus sobrinhos Frederico e Conrado de Hohenstaufen, netos do imperador [[Henrique IV da Germânia|Henrique IV]], estão posicionados entre os principais pretendentes ao trono. Contudo, é Lotário de Supplinburg o escolhido, reinando com o nome de [[Lotário II da Germânia|Lotário II]] até [[1137]].
 
Daí resultou uma breve disputa entre o novo monarca e os Hohenstaufen sobre a herança imperial, tendo estes de se submeter, sem se resignar, ao novo poder real. Após a morte de Lotário (1137), chega finalmente a vez da casa dos Hohenstaufen: Conrado é eleito ([[1138]]) rei da Germânia, elevando finalmente a casa de Stauf à realeza, governando como [[Conrado III da Germânia|Conrado III]].
À escolha opuseram-se os [[Casa de Welf|Welf]]s e seus aliados, liderados por Henrique ''o Orgulhoso'', intensificando a rivalidade entre ambas famílias na luta pela dignidade imperial.
 
Apesar de Conrado III ter mantido boas relações com [[BizâncioImpério Bizantino]], tinha pouca aceitação na bacia mediterrânica, não conseguindo dominar a realeza italiana. Daí que não tenha conseguido ser investido plenamente na dignidade imperial através da tradicional coroação em [[Roma]].
 
O reinado de Conrado, se descontarmos o conflito mais ou menos latente com os Guelfosguelfos, foi pacífico e marcado pela paulatina consolidação da base de poder da família de Staufen, continuando a forjar alianças com a aristocracia vizinha e alargando a sua área de influência. Neste período o alargamento da esfera de influência imperial foi rápido, atraindo para a órbita dos Hohenstaufen novos territórios.
 
=== Frederico I. Barbarossa ===
[[Ficheiro:Friedrich-barbarossa-und-soehne-welfenchronik 1-1000x1540.jpg|thumb|Frederico I Barbarossa e o seu filho numa miniatura da Crónica dos Guelfos (século XIII).]]
Após a morte em [[1152]] de Conrado III, o seu sobrinho Frederico, filho de Frederico II da Suábia, conhecido por [[Frederico I da Germânia|Frederico Barbarossa]] ou Barbaruiva, foi o escolhido para o trono. Esta escolha trouxe a esperança de paz com os Guelfosguelfos, já que o novo monarca era com eles aparentado pela linha maternal.
 
== Literatura ==
41 863

edições