Diferenças entre edições de "Nota musical"

207 bytes adicionados ,  21h19min de 6 de agosto de 2013
Corrigindo erros de português grosseiros!
(bot: revertidas edições de 189.68.50.184 ( modificação suspeita : -38), para a edição 36233164 de Py4nf)
(Corrigindo erros de português grosseiros!)
[[File:Sheet Music.pdf|thumb|200px|Partitura.]]
'''Nota musical''' é um termo empregado para designar o elemento mínimo de um [[som]], formado por um único modo de [[vibração]] do ar. Sendo assim, a cada nota corresponde uma [[duração (música)|duração]] e está associada uma [[frequência]], cuja unidade mais utilizada é o [[hertz]] (''Hz''), a qual descreverá em termos físicos se a nota é mais [[grave]] ou mais [[agudo (som)|aguda]].
De forma geral, podemos relacionairrelacionar as notas a um alfabeto musical que possibilita associar determinadas frequências (ou conjuntos de frequências) a nomes comuns, viabilizando a composição de musicas ou qualquer outro tipo de manifestação sonora de forma clara e compreensível. Sem as notas musicais, uma [[partitura]] provavelmente seria escrita como uma sequência de números relativamente extensos, correspondentes as frequências que se espera ouvir.
 
==A nota musical e a física==
 
[[File:Frequency vs name.svg|thumb|280px|As notas musicais e suas frequências.]]
O som é uma [[onda]] (ou conjunto de ondas) [[Onda mecânica|mecânicas]] que se propaga em um meio material, como o ar ou a água. Algumas das características do som mudam de acordo com o meio de propagação, como a velocidade e o [[comprimento de onda]], entretanto a frequência permanece independente e constante durante todo o percurso.<br />
Quando a corda de um violão é tocada com uma certa frequência, se a frequência estiver na faixa de 20 a 20.000 Hz, o ouvido humano será capaz de vibrar à mesma proporção, captando essa informação e produzindo sensações neurais, às quais o ser humano dá o nome de som. As ondas com frequência baixa, entre 20 e 100 Hz, por exemplo, soam em nossos ouvidos de forma grave, e sons com frequência elevada (acima de 400 Hz) soam de forma aguda. Nesta situação, podemos imaginar que apenas uma onda percorre a corda e assim obtemos a frequência ouvida. Essa analogia funciona para uma situação ideal, entretanto o que encontramos na prática é uma corda vibrando de forma muito mais complexa, pois um conjunto de curvas senoidais originadas por diversos fatores como a posição em que tocamos, a densidade da corda e o tamanho da caixa do violão, somam-se e, juntas, geram o som que ouvimos.<br />
[[File:Elipê Rock's guitar pedals 1.jpg|thumb|290px|left|Pedais de guitarra.]]
Apesar de diferentes, quando os intrumentosinstrumentos reproduzem uma mesma nota, o som é agradável. Isso acontece pois todas as componentes dessa melodia são compostas por multiplosmúltiplos inteiros da frequência original. Para entender melhor esse conceito podemos analisar a tabela ao lado, que relaciona as notas e suas respectivas frequências: A nota (C) corresponde a frequência de 261,63Hz63 Hz, enquanto a nota Solsol(G) é aproximadamente 392Hz392 Hz, que é 3/2 a frequência do . Podemos então caracterizar a nota Sol como sendo uma harmônica de uma das harmônicas de . Mesmo que o som de uma flauta seja diferente do som do violão, quando reproduzem a mesma nota, as frequêciasfrequências que ouvimos são sempre multiplasmúltiplas inteiras umas das outras, resultando em uma interação harmônica. Deve-se observar, no entanto, que existem instrumentos [[Instrumento transpositor|transpositores]], e as notas da partitura do músico devem ser adaptadas para manter a harmonia, resultando que a frequência das notas deve ser observada em uma nova escala previamente descrita.<ref name=Wuensche> Seminário: A Física da Música, por Carlos Alexandre Wuensche, do INPE/MCT – Divisão de Astrofísica.</ref><br />
 
Outro fator importante para diferenciar os sons é a [[amplitude]] de cada harmônica, ou seja, sua intensidade. Existem intrumentosinstrumentos em que algumas harmônicas tem amplitudes superiores a própria frequência fundamental, tornando o som bem mais grave ou agudo. Com os avanços tecnológicos das últimas décadas, músicos tem desenvolvido novas técnicas para amplificar harmônicos, como é o caso da guitarra, que pode contar com pedais para distorcer o som.
 
==Instrumentos e timbres==
 
[[File:String harmonics.svg|240px|thumb|Harmônicas.]]
Sabendo que é a presença ou ausência de cada um dos harmónicos, e suas respectivas amplitudes, que dão a cada instrumento musical o seu som característico, o [[timbre]], podemos questionar como fazemos isso.
Tomando a flauta como exemplo, há dois fatores principais que vão definir a frequência que escutaremos: o tamanho da flauta e a posição dos dedos, que podem produzir novas notas pela mudança do comprimento total do instrumento ou favorecer determinada harmônica, de acordo com a configuração da mão.<br />
 
Quando interrompemos a vibração de uma corda em um determinado ponto, ao tocar uma nota em um violão, por exemplo, esse ponto receberá o nome de nó. O ponto de maior amplitude de movimento da corda recebe o nome de anti-nóantinó, sendo a distância entre dois nós ou dois anti-nósantinós igual a um comprimento de onda. Se pensarmos na imagem ao lado como o tubo de uma flauta, ao retirarmos os dedos dos orificiosorifícios 7 e 5 estaremos favorecendo o terceiro e o quarto harmônicos, devido a presença dos nós ilustrados na figura. Entretanto, se retirarmos o dedo do orificioorifício 24 vamos reduzir o comprimento do tubo e, consequentemente, mudar a frequenciafrequência fundamental emitida pela flauta.<ref name=Wuensche> Seminário: A Física da Música, por Carlos Alexandre Wuensche, do INPE/MCT – Divisão de Astrofísica.</ref><br />
 
[[File:Harmonics.jpg|thumb|250px|left|Harmonicos em um tubo com ambas as extremidades abertas.]]
 
==Representação gráfica==
 
[[Ficheiro:C maj.png|thumb|450px|Representação das [[altura (música)|alturas]] através da posição da nota na [[pauta (música)|pauta]].]]
Em uma [[partitura]] podemos representar as notas de forma gráfica adicionando pequenas elipses com ou sem hastes de forma ordenada sobre 5cinco pautas. Orientando-se pela [[clave]] adotada para o trecho musical em questão, podemos criar ou interpretar a música, convertendo cada posição em uma nota musical e consequentemente em uma frequência. No pequeno trecho musical representado na figura ao lado, a [[clave de Solsol]] indica que a leitura das notas deve ser (da esquerda para a direita):<br />
 
'''[[|C]]''' - '''[[ (nota)|D]]''' - '''[[Mi (nota)|E]]''' - '''[[|F]]''' - '''[[Sol (nota)|G]]''' - '''[[|A]]''' - '''[[Si (nota)|B]]''' - '''[[|C]]''' - '''[[Si (nota)|B]]''' - '''[[|A]]''' - '''[[Sol (nota)|G]]''' - '''[[|F]]''' - '''[[Mi (nota)|E]]''' - '''[[ (nota)|D]]''' - '''[[|C]]'''
 
Vale notar que a sequência se repete, sendo que cada uma é chamada de oitava. Na primeira oitava o '''''' corresponde a frequência de 261,63Hz63 Hz. Na segunda oitava o '''''' equivale a 523,26Hz26 Hz (o dobro). Essa analogia se repete para todas as notas em cada uma das oitavas. Quanto mais oitavas abrange o instrumento, maiores são as combinações possíveis para enriquecer a melodia, sendo que o [[órgão]] é o instrumento com a maior gama de oitavas e consequentemente de frequenciasfrequências. Embora pareça confuso, é possível analisar a harmonia da composição comparando as frequências das notas utilizadas e verificando se são todas harmônicas. A teoria da música, de forma geral, é baseada nesse princípio.<br />
 
[[Ficheiro:Notes.svg|thumb|left|200px|Diferentes formas de representar a duração da nota.]]
A organização da partitura é fundamental para sua compreensão, e as medidas da norma devem ser respeitadas para que em qualquer parte do mundo seja legível. As claves, por exemplo, propagam-se em intervalos definidos de tempo que as notas têm capacidade de sugerir, podendo ser mais longas (maior duração) ou mais curtas (menor duração). A duração em segundos de uma nota depende do [[compasso]], ou seja, o tempo da nota em uma música pode ser diferente em outra música, se o compasso for diferente. Dessa forma, a representação da duração sugere uma fração do tempo do compasso. Na figura ao lado, encontramos (da esquerda para a direita): semi-brevesemibreve (1um tempo), mínima (1/2meio tempo), semínima (1/4um quarto de tempo), colcheia (1/8um oitavo de tempo), semicholcheiasemicolcheia (1/16 de tempo), fusa (1/32 de tempo) e semifusa (1/64 de tempo).<br />
 
As pautas podem combinar-se, sendo tocadas ao mesmo tempo (definindo a [[harmonia]]), ou em sequência (definindo a [[melodia]]) e, se esses fatores, junto a alguns outros, forem combinados dentro de um determinado padrão lógico pelo intelecto humano, na forma de [[arte]], dá-se a essa sequência o nome de [[música]].<ref>Projeto Fortalecimento Musical, por Jorge Nobre, do Sistema Estadual Bandas de Música.</ref>
 
==Nomenclatura das notas em línguas anglo-saxônicas==
 
Os países [[Língua inglesa|anglófonos]] mantiveram a utilização de [[letra]]s para a [[nome|nomenclatura]] das [[Altura (música)|alturas]] musicais. As letras A, B, C, D, E, F e G são utilizadas para as alturas musicais lá, si, dó, ré, mi, fá e sol, respectivamente. Os países de língua inglesa utilizam os sinais ♯ (em inglês: ''sharp'', "sustenido") e ♭ (em inglês: ''flat'', "bemol") para representar as alterações cromáticas dessas notas.
 
Utilizador anónimo