Diferenças entre edições de "David Todd Christofferson"

3 708 bytes adicionados ,  20h10min de 10 de agosto de 2013
sem resumo de edição
{{Revisão-sobre|História e sociedade|data=dezembro de 2009}}
{{Santos dos Últimos Dias}}
 
Infância Idílica [maravilhosa, ideal]
 
'''David Todd Christofferson''' ([[American Fork]], [[Utah]], EUA-24 de Janeiro de 1945; vivo), é um líder religioso [[mórmon]] e atualmente ocupa uma vaga no [[Quórum dos Doze Apóstolos]].
 
Filho primogênito de Paul Vickery Christofferson e Jeanne Swenson Christofferson. Criado em Pleasant Grove e Lindon, [[Utah]]. Seu pai estava na China, servindo no exército dos Estados Unidos, no fim da Segunda Guerra Mundial, por isso Todd e sua mãe ficaram morando com seus avós maternos, Helge e Adena Swenson, por aproximadamente 18 meses. Esse foi o princípio de um relacionamento muito próximo entre Todd e os avós, algo que teria enorme influência em toda a sua vida. Todd e seus quatro irmãos mais novos tiveram uma infância que ele descreve como “idílica” e “saudável”, em que os meninos desfrutavam de tempo livre para brincar, inventar e aprender. Ele se lembra de ter tido uma infância feliz, e elogia seus pais como sendo exemplos de como segir os padrões mórmons. “A Igreja era o centro da nossa vida familiar”, relembra o Élder Christofferson. “Ela unia nossa família e também as outras pessoas da ala [grupo de pessoas que frequentam uma mesma capela].”
 
Novo Lar, Novas Experiências
 
Quando Todd tinha uns 15 anos, o pai, que era veterinário, conseguiu um novo emprego em New Brunswick, Nova Jersey. Na época em que família se mudou, a cidade de Lindon, Utah, tinha bem poucos habitantes, de modo que a transição para o ambiente mais populoso de Nova Jersey foi uma mudança drástica para toda a família Christofferson. Ainda assim, aqueles anos — cheios de novos lugares, novos conhecidos e novas oportunidades — estariam entre os mais importantes para a formação de Todd.
 
Sendo o único membro da Igreja em sua turma do curso médio, Todd conviveu e fez amizade com pessoas de várias formações culturais e religiosas, algo que continuaria a acontecer durante toda a sua vida. Todd descobriu que muitos de seus amigos eram tão fervorosos em suas respectivas crenças quanto ele era em relação a sua própria, e isso o fez ponderar profundamente e orar fervorosamente sobre as coisas que sabia. “Comecei a ver que a Igreja não era apenas boa”, diz ele. “Era de uma importância fundamental. Comecei a ser muito grato pelo que eu tinha.”
 
Missão na Argentina
 
Estudou na [[Universidade Brigham Young]] por um ano antes de servir uma missão de tempo integral, na [[Argentina]]. Um de seus presidentes de missão foi o hoje colega no Quórum dos Doze, [[Élder]] Richard G. Scott. O Élder Scott se lembra do Élder Christofferson como “um missionário excelente cuja devoção e capacidade indicavam que seria alguém de importância incomum na vida”. O Élder Scott comenta que aquele jovem élder era especialmente disciplinado, obediente e trabalhador e que demonstrava “um espírito de bondade que foi uma bênçãos para cada um de seus companheiros e o tornou muito querido de seus pesquisadores e conversos”.
 
Universidade e Casamento
 
Depois de voltar da Argentina, em dezembro de 1966, o Élder Christofferson matriculou-se novamente na BYU, onde cursou inglês e participou do grêmio estudantil e de competições esportivas da universidade. No final do primeiro semestre após sua missão, uma bela jovem que viu no campus chamou-lhe a atenção. Eles não se conheciam nem se apresentaram na ocasião, mas ele não se esqueceu do rosto dela e procurou sua foto no anuário do campus, que foi publicado poucos meses depois.
 
A estudante era Kathy Jacob, uma jovem atraente e muito sociável que havia morado na Califórnia e em Utah. No outono seguinte, quando voltou para a escola, Todd pediu a um amigo em comum que lhe arranjasse um encontro com Kathy. Nos meses seguintes, descobriram que se davam muito bem. Seu amor cresceu e amadureceu, e na primavera seguinte, em 28 de maio de 1968, casaram-se no Templo de Salt Lake.
 
“Eu já sabia que Kathy era bondosa e maravilhosa quando nos casamos”, diz o Élder Christofferson, “mas não sabia quão profundos eram seu caráter, qualidades, sabedoria e virtude. Foi uma agradável surpresa descobrir, ao longo do tempo, que ela era muito melhor do que eu
havia imaginado”.
 
A filha do casal Christofferson, Brynn Nufer, também confirma as boas qualidades da mãe. Ela diz: “Em todos os lugares em que moramos, as pessoas simplesmente a adoravam. Ela é super criativa. É realmente muito, muito divertida.”
 
Uma Carreira Jurídica de Destaque
 
Estudou na [[Universidade Brigham Young]] por um ano antes de servir uma missão de tempo integral, na [[Argentina]]. Um de seus presidentes de missão foi o hoje colega no Quórum dos Doze, [[Élder]] Richard G. Scott. Ao voltar, estudou inglês e atuou em órgãos estudantis. Na BYU conheceu Katherine (Kathy) Thelma Jacob. Os dois se casaram em maio de 1968, no Templo de [[Salt Lake]]. Tornou-se bacharel em 1969 e estudou Direito na [[Universidade Duke]]. Trabalhou, depois de se formar, no caso [[Watergate]], como assistente jurídico do Juiz John J. Sirica, no ano de 1972.
 
Em 1993 foi chamado para servir como membro do Primeiro [[Quórum dos Setenta]]. Em 1998 o Élder Christofferson foi chamado para a Presidência dos Setenta, onde serviu até ser chamado para o Quórum dos Doze pelo Presidente [[Thomas S. Monson]], no início de 2008.
Utilizador anónimo