Diferenças entre edições de "João Duarte Dantas"

491 bytes adicionados ,  15h39min de 19 de agosto de 2013
sem resumo de edição
(Desfeita a edição 36697894 de 177.72.198.20)
}}
 
'''João Duarte Dantas''' ([[Teixeira - PB]], [[12 de junho]] de [[1888]] — [[Recife]], [[6 de outubro]] de [[1930]]) era filho de Frankilin Dantas Correia de Góis e Júlia Veloso Dantas,Sendo ele filho de Manoel Dantas Correia de Góis e Jacinta Augusta Duarte Dantas.Julía, porém filha uúica de João Rodolfo Veloso de Azevedo, e Joaquina Veloso de Azevedo. Sendo Manoel Dantas Correia de Góis filho de José Dantas Correia de Góis e Isabel Caetana da Silveira. O mesmo sendo filho de Antonio Dantas Correia de Góis (Capitão Anta) e Josefa Francisca de Araújo e Almeida.João Duarte Dantas,
'''João Duarte Dantas''' ([[Mamanguape]], [[12 de junho]] de [[1888]] — [[Recife]], [[6 de outubro]] de [[1930]]) foi um [[advogado]] e [[jornalista]] brasileiro. <ref>[http://almanaque.folha.uol.com.br/dossietexto2.htm Dossiê João Dantas]</ref><ref>[http://www.triunfob.com/2010/07/80-anos-da-morte-de-joao-pessoa.html 80 anos da morte]</ref><ref>[http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=464&sid=224 Academia Brasileira de Letras fala sobre João Dantas]</ref>
 
Seu nome está ligado à [[História da Paraíba]], principalmente porque foi o autor dos disparos fatais que vitimaram o então presidente do estado da Paraíba, [[João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque]].<ref>{{citar web|url=jblog.com.br/hojenahistoria.php?itemid=9360%22|título=1930 - Assassinado João Pessoa|autor=Lucyanne Mano|data=26 de julho de 2008|publicado=Hoje na HIstória-Jornal do Brasil|acessodata=16 de fevereiro de 2013}}</ref> João Pessoa era candidato a vice-presidente do Brasil na chapa encabeçada por [[Getúlio Vargas]], contra o grupo paulista de [[Júlio Prestes]]. A morte é considerada o [[estopim]] da [[Revolução de 1930]], quando Getúlio ascendeu ao poder, após um levante popular contra uma suposta fraude nas eleições. Os disparos que vitimaram [[João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque|João Pessoa]] nao tinham motivos políticos, e sim, em sua maior parte pessoais, uma vez que [[João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque|João Pessoa]], como chefe da [[Polícia]] ordenou a invasão do escritório de João Dantas, publicando suas cartas íntimas.
Utilizador anónimo