Abrir menu principal

Alterações

m
==História==
===Formação===
Em meados do [[Século XIX]], o estado procurou construir um caminho de ferro entre [[Lisboa]] e [[Espanha]]; um empresário britânico, Hardy Hislop, apresentou um projecto para esta ligação.<ref name=CP2006>Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006, p. 12</ref> Entre [[6 de Maio]] e [[31 de Julho]] de [[1852]], o então ministro da Fazenda, [[Fontes Pereira de Melo]], instituiu um concurso para a construção do primeiro troço desta ligação ferroviária, entre [[Lisboa]] e [[Santarém]]; a concessão foi entregue, de forma provisória, à Companhia Central e Peninsular dos Caminhos de Ferro em Portugal, que tinha sido fundada por Hardy Hislop, e financiada, maioritariamente, por capitais ingleses.<ref name=CFP2006:16>Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006, p. 16</ref><ref name=Gazeta1681:10>Torres, 1958:10</ref> O contrato definitivo foi assinado em [[11 de Maio]] do [[1853|ano seguinte]], tendo as obras tido início no dia [[17 de Setembro]].<ref name=Gazeta1681:10/>
 
===Construção da ligação ferroviária ate ao Carregado===
[[File:Pavilhão na Estação do Carregado.jpg|thumb|Pavilhão montado na [[Estação Ferroviária do Carregado|Estação do Carregado]], para a cerimónia de inauguração da linha férrea.]]
Em [[5 de Setembro]] de [[1855]], no entanto, as obras foram suspensas, devido a conflitos entre a Companhia e o principal empreiteiro, [[:en:Waring Brothers|Waring Brothers]] & Shaw; o governo tomou posse das obras no dia seguinte<ref name=Gazeta1681:10/>, e retirou a concessão à Companhia.<ref name=CFP2006:16/> Em Janeiro do [[1856|ano seguinte]], o professor B. Wattier chega a [[Portugal]], para dirigir as obras<ref name=Gazeta1681:10/>; entretanto, o governo procurou chegar a acordo com os empreiteiros, sem sucesso.<ref name=Gazeta1681:10/> A ligação ferroviária até ao [[Carregado]] foi inaugurada em [[28 de Outubro]] de [[1856]].<ref name=Gazeta1681:10/>
 
===Extinção===
Apesar do caminho de ferro ter chegado ao [[Carregado]], e do apoio do estado, a Companhia continuava com várias dificuldades financeiras e técnicas, o que provocava interrupções nas obras; verificou-se, assim, impossível a chegada da ligação ferroviária até [[Santarém]] em Setembro de [[1857]], como tinha sido estabelecido pelo contrato, pelo que o estado suspendeu o contrato com a Companhia nesse ano, e negociou com o engenheiro e empresário britânico [[:en:Samuel Morton Peto|Samuel Morton Peto]], para a formação de uma nova empresa.<ref name=Gazeta1681:10/>
 
==Ver também==