Abrir menu principal

Alterações

m
 
===Ligação às Linhas de Guimarães e Corgo===
No Plano Geral da Rede Ferroviária, aprovado pelo Decreto 18.190 de 28 de Março de 1930, estava prevista a continuação da Linha do Tâmega até entroncar na [[Linha do Corgo]], passando por Arco de Baúlhe; a partir destedesta pontoestação, também devia partir a Linha do Ave, que terminaria no [[Apeadeiro de Caniços|Caniços]], na [[Linha de Guimarães]].<ref>PORTUGAL. [http://dre.pt/pdf1sdip/1930/04/08300/06580665.pdf Decreto n.º 18:190], de 28 de Março de 1930. ''Ministério do Comércio e Comunicações - Direcção Geral de Caminhos de Ferro - Divisão Central e de Estudos - Secção de Expediente'', Paços do Governo da República. Publicado no [http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=dip&serie=1&iddr=1930.83&iddip=19300865 Diário do Govêrno n.º 83, Série I, de 10 de Abril de 1930].</ref> Ambos os troços deveriam fazer parte da Transversal de Trás-os-Montes, um conjunto de ramais ligando entre si todas as linhas férreas de via estreita a Norte do Rio Douro.<ref>{{Citar periódico|autor=[[José Fernando de Sousa|SOUSA, José Fernando de]]; [[Raul Augusto Esteves|Esteves, Raul]]|data=1 de Março de 1935|titulo=O Problema da Defesa Nacional|jornal=Gazeta dos Caminhos de Ferro|volume=47|numero=1133|paginas=101, 102|local=Lisboa|url=http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/GazetaCF/1935/N1133/N1133_master/GazetaCFN1133.pdf|acessodata=18 de Maio de 2013}}</ref>
 
===Declínio e encerramento===