Abrir menu principal

Alterações

120 bytes adicionados, 00h41min de 28 de setembro de 2013
[[Ficheiro:Christ saviour explosion.jpg|thumb|Dinamitação da catedral em 1931.]]
 
Durante a vigência do [[comunismo]] a igreja foi dinamitada em [[1933]] pois ela era considerada um símbolo do [[Império Russo|Império Czarista]] e, principalmente, devido ao ódio religioso encampado pelos regimes comunistas que aplicam o laicismo (a intolerância contra a prática de qualquer forma de religião) como ideologia oficial do Estado. Os comunistas tiveram planos de construir no local o "Palácio dos Sovietes". Esse palácio deveria ter uma torre de 400 metros de altura e no topo dessa torre uma estátua de 98 metros do [[Lênin]]. Mas, devido a dificuldades técnicas, o projeto nunca pode ser realizado. Porém, foi decidido a construção de uma espécie de piscinão público.
 
Nos [[anos 90]], após a queda da [[URSS]], o [[Patriarcado de Moscou]] liderou um movimento para reconstrução da catedral. Após muita luta do patriarcado, com apoio da sociedade, o governo pós comunismo apoiou a ideia. A catedral foi reinaugurada em [[2000]], idêntica à catedral original.{{carece de fontes|data=janeiro de 2012}}
Os melhores pintores da [[Academia de Belas Artes da Rússia]] contribuíram na sua pintura. Já seus belos ícones foram pintados por monges ortodoxos.{{carece de fontes|data=janeiro de 2012}}
 
Os melhores pintores da [[Academia de Belas Artes da Rússia]] contribuíram na sua pintura. Já seus belos ícones foram pintados por monges ortodoxos.{{carece de fontes|data=janeiro de 2012}}
 
== Números ==
Utilizador anónimo