Princípio da dignidade da pessoa humana: diferenças entre revisões