Abrir menu principal

Alterações

17 bytes adicionados, 17h44min de 26 de outubro de 2013
sem resumo de edição
|faleceu = {{morte|5|10|1791|25|9|1739}}
|localnasc = [[Smolensk|Chizhovo]], {{RUSb}} [[Império Russo|Rússia]]
|localfaleceu = [[Iaşi]], [[Principado da Moldávia]]
|apelido =
|país = {{RUSb}} [[Império Russo]]
|trabalho civil = [[Estadista]]
}}
Príncipe '''Grigori Alexandrovich Potyomkin (Potemkin)''' ([[Língua russa|russo]]: Григо́рий Алекса́ндрович Потёмкин) ([[Chizhovo]], próximo de [[Smolensk]], 13/[[24 de setembro]] de [[1739]]<ref>Em outras fontes a data de nascimento seria 16/27 de setembro</ref> — [[JassyIaşi]], 5/[[16 de outubro]] de [[1791]]) foi um marechal-de-campo [[Império Russo|russo]], [[estadista]] e o favorito de [[Catarina, a Grande|Catarina II a Grande]]. Ele é principalmente lembrado por seus esforços em colonizar as escassamente povoadas estepes selvagens do Sul da [[Ucrânia]], que passou para a Rússia pelo [[Tratado de Kuchuk-Kainarji]] ([[1774]]). Dentre as cidades fundadas por Potemkin estão: [[Kherson]], Nikolaev ([[Mykolayiv]]), [[Sebastopol]], e Ekaterinoslav (hoje [[Dnipropetrovsk]]).
 
== Início de carreira ==
Seu sistema de colonização foi exposto à crítica muito severa, contudo é impossível não admirar os resultados de sua estupenda atividade. O [[arsenal]] de [[Kherson]], iniciado em [[1778]], o porto de [[Sebastopol]] e a nova frota de quinze navios de linha regular e vinte e cinco navios menores eram monumentos do seu gênio. Mas houve exagero em tudo que ele tentou. Ele não poupou homens, dinheiro, nem ele mesmo na tentativa de executar o seu gigantesco esquema para a colonização das estepes do sul da Ucrânia; mas ele nunca calculou o custo, e mais que três-quartos do projeto teve que ser abandonado pela metade.
 
Em [[1790]] ele conduziu as operações militares no [[Dniésterrio Dniestre]] e instalou sua corte em [[JassyIaşi]] com toda a pompa [[Ásia|asiática]]. Em [[1791]] ele voltou a [[São Petersburgo]] onde, junto com seu amigo [[Príncipe Bezborodko|Bezborodko]], fez esforços vãos para subverter o novo favorito, o Príncipe [[Platon Zubov]], e em quatro meses gastou 850 000 rublos em banquetes e entretenimentos no [[Palácio de Tauride]], uma soma posteriormente reembolsada a ele pelo tesouro. Então a imperatriz impacientou-se e o mandou voltar (em 1791) a JassyIaşi para conduzir as negociações de paz como chefe russo plenipotenciário.
 
Potemkin morreu no caminho de [[JassyIaşi]] para [[Mykolayiv|Nikolayev]] nos braços de sua sobrinha, a Condessa Branicka, em [[16 de outubro]] de [[1791]] de [[malária]]. Foi enterrado em Kherson. Sua morte foi lamentada na famosa [[ode]] ''Cachoeira'' do poeta russo [[Gavrila Romanovich Derzhavin]].
 
O Grão-Duque [[Paulo I da Rússia|Paulo]] permitiu em [[1798]] que os restos mortais de Potemkin fossem desenterrados, uma vez que há muito tempo se estava em dúvida quanto ao seu verdadeiro jazigo. Apenas o [[Alexandre I da Rússia|Imperador Alexandre I]] se preocupou novamente com seu enterro, e o [[Nicolau I da Rússia|Imperador Nicolau]] permitiu, que a cidade de Kherson em homenagem ao seu fundador Potemkin, em [[1836]], construísse uma estátua de bronze.
126 459

edições