Diferenças entre edições de "Rumélia Oriental"

23 bytes removidos ,  13h02min de 3 de novembro de 2013
Tapinha
(Tapinha)
}}
 
A '''Rumélia Oriental''' (em [[búlgaro]]: {{lang-bg|Румелия Източна,}} - ''Iztochna Rumelia; na [[língua turca otomana]]: {{lang-tr|روم الى شرقى,}} - ''Rumeli Şarkı-i''; Ρωμυλία;{{lang|el|Ανατολική}} em [[grego]]: Ανατολική,- ''Anatoliki Romylia'') foi uma [[província autónoma]] administrativa ([[vilaiete]]) do [[Império Otomano]] entre [[1878]]-[[1908]]. Fica sob controle búlgaro completo a partir de [[1885]], quando voluntariamente [[Unificação da Bulgária|se uniu]] com o [[Principado da Bulgária]] largamente autónomo depois de uma revolução sem derramamento de sangue. Os búlgaros étnicos compunham a maioria absoluta demográfica da Rumélia Oriental. Sua capital era [[Plovdiv]]. Atualmente, a Rumélia Oriental (a maior parte do norte da [[Trácia]]) faz parte da [[Bulgária]].
 
== História ==
A Rumélia Oriental foi criada como uma província autônoma dentro do Império Otomano pelo [[Tratado de Berlim (1878)|Tratado de Berlim]] em [[1878]]. Abrangeu o território entre asa montanhas[[cordilheira dos [[Balcãs]], asos Montanhas[[montes RhodopeRódope]] e [[maciço]] de [[Strandzha]], uma região conhecida por todos os seus habitantes - búlgaros, turcos otomanos, Romaromanos, gregos, armênios e judeus - como a Norte da Trácia. O nome, Rumélia Oriental, foi dado à província por insistência dos colegas britânicos para o [[Congresso de Berlim]]: a noção de RumeliaRumélia Otomana refere-se a todas as regiões europeias do império, ou seja, aqueles que, na [[Antiguidade]], estavam sob o domínio do [[Império Romano]]. Cerca de vinte povos [[Pomaco]]s (muçulmanos búlgaros) nasdo montanhas RhodopeRódope se recusaram a reconhecer a autoridade doda Rumélia Oriental e formaram a chamada [[República de Tamrash]].
 
Depois de uma [[revolução]] sem derramamento de sangue em [[6 de setembro]] de [[1885]], a província foi anexada pelo [[Principado da Bulgária]]. Após a vitória da Bulgária na subseqüente [[Guerra Servo-Búlgara]], o ''[[status quo]]'' foi reconhecido pela [[Sublime Porta]] com o [[Acordo de Tophane]] de 24 de março de [[1886]]. Com a Lei Tophane, o Sultão [[Abd-ul-Hamid II]] nomeou o príncipe da Bulgária (sem mencionar o nome do príncipe [[Alexandre da Bulgária]]) como governador-geral da Rumélia Oriental, mantendo assim a distinção formal entre o Principado da Bulgária e Rumélia Oriental <ref>Emerson M. S. Niou, Peter C. Ordeshook, Gregory F. Rose. ''The balance of power: stability in international systems'', 1989, p. 279.</ref> e preservando a carta do Tratado de Berlim. <ref>Stanley Leathes, G. W. (George Walter) Prothero, Sir Adolphus William Ward. ''The Cambridge Modern History, Volume 2'', 1908, p. 408.</ref> No entanto, ficou claro para as [[grandes potências]] que a união entre o Principado da Bulgária e Rumélia Oriental era permanente, e não para ser dissolvido. <ref>Charles Jelavich, Barbara Jelavich. ''The establishment of the Balkan national states, 1804-1920'', 2000, p. 167.</ref> A República de Tamrash e região de Kardzhali foram reincorporados no Império Otomano. A província ficou nominalmente sob suserania otomana até que a Bulgária se tornou independente [[de jure]], em [[1908]]. O dia 6 de setembro, Dia da Unificação, é um [[feriado nacional]] na Bulgária.