Diferenças entre edições de "Concílio de Constança"

1 004 bytes adicionados ,  17h43min de 11 de novembro de 2013
Fontes
(+correções automáticas (v0.36/3.1.35))
(Fontes)
|nome_cat = Constanca
}}
O '''Concílio de Constança''', realizado entre [[1414]] e [[1418]] em [[Constança (Alemanha)|Constança]], foi umo 16º [[concílio]] [[ecumenismo|ecuménico]] da [[Igreja Católica]].<ref name="Loyn103">Loyn, Henry R.. ''Dicionário da Idade Média''. Álvaro Cabral (Trad.). Zahar, 1990. pp. 103. ISBN 8571101515</ref> O seu principal objectivo foi acabar com o [[Grande Cisma do Ocidente|cisma papal]] que tinha resultado do [[Papado de Avinhão]], ou "a captividade babilónica da Igreja", como também é conhecido (um termo cunhado por [[Martinho Lutero]]).
 
Quando o concílio foi convocado, havia três papas, todos clamando legitimidade. Alguns anos antes, em um dos primeiros golpes que afectaram o movimento conciliador, os bispos do [[concílio de Pisa]] tinham deposto ambos os papas anteriores e elegido um terceiro papa, argumentando que, em tal situação, um concílio de bispos tem mais autoridade do que um Papa. Isto apenas contribuiu para agravar o cisma.
 
Com o apoio de [[Sigismundo, Sacro Imperador Romano-Germânico|Sigismundo]], sacro Imperador romano, o concílio de Constança recomendou que todos os três papas abdicassem, e que um outro fosse escolhido.<ref name="Keeler">Keeler, Helen; Grimbly, Susan. ''101 Coisas Que Todos Deveriam Saber Sobre O Catolicismo''. Editora Pensamento. pp. 48. ISBN 8531514835</ref>
 
Em parte por causa da presença constante do imperador, outros monarcas exigiram que tivessem uma palavra a dizer na escolha do papa. Grande parte da discussão no conselho foi ocupada na tentativa de acalmar monarcas seculares, mais do que em efectuar uma reforma da igreja e da sua hierarquia.
 
Um segundo objectivo do concílio foi continuar as reformas iniciadas pelo [[concílio de Pisa]] (1409) que, ao pretender arbitrar as pretensões contraditórias, elegeu um terceiro papa: [[Antipapa Alexandre V|Alexandre V]].<ref name="Libera">Libera, Alain de. ''Filosofia medieval (A)''. Edicoes Loyola. pp. 470. ISBN 851501680X</ref> Estas reformas foram largamente dirigidas contra [[John Wycliffe]], [[Jan Hus]] e seus seguidores.<ref name="Loyn103"/> Jan Hus foi condenado pelo concílio à morte na [[fogueira]] e queimado vivo a [[6 de julho]] de [[1415]].
 
O concílio também tentou iniciar reformas eclesiásticas. Foi mais tarde declarado que um concílio de bispos não tem maior influência do que o [[Papa]].
 
Em 1415 o concílio depôs os papas rivais [[Papa Bento XIII|Bento XIII]] e [[Antipapa João XXIII|João XXIII]], [[Papa Gregório XII|Gregório XII]] antes de ser deposto abdicou em 4 de junho.<ref name="Libera"/> Mais tarde, em 1417, fora eleito Otto de Colonna como [[Papa Martinho V]] (1417-1431),<ref name="Loyn103"/> dando um fim ao [[Grande Cisma do Ocidente|Grande Cisma Papal do Ocidente]].<ref name="Keeler"/>
Foi mais tarde declarado que um concílio de bispos não tem maior influência do que o [[Papa]].
 
O concílio elegeu em 1417 o [[Papa Martinho V]].
 
== Ver também ==
{{Commons category|Council of Constance}}
* [[Concílios ecuménicos]]
* [[Concílio plenário|Concílios nacionais, regionais ou plenários]]
 
{{Referências}}
 
{{Concílios Ecumênicos}}
{{Eleições papais e conclaves}}
{{Portal3|Religião|Cristianismo|Catolicismo|História}}
{{esboço-catolicismo}}
 
[[Categoria:Concílios ecuménicos]]
125 119

edições