Diferenças entre edições de "The New Yorker"

12 bytes removidos ,  01h41min de 23 de novembro de 2013
sem resumo de edição
 
== História ==
''The New Yorker'' estreou em [[21 de fevereiro]], [[1925]]. Foi fundada por [[Harold Ross]], que desejava criar uma sofisticada revista de humor – em contraste a [[[[:wikt:cafonice|cafonice]]cafonice]] de outras publicações humorísticas como ''[[Judge]]'', na qual ele havia trabalhado, ou ''[[Life]]''. Ross criou uma parceria com o empreendedor [[Raoul Fleishmann]] para estabelecerem a F-R Publishing Company e estabeleceram os primeiros escritórios da revista no número 25 da Rua 45 Oeste, em [[Manhattan]]. Ross continuaria a editar a revista até a sua morte em [[1951]]. Durante os primeiros precários anos de sua existência, a revista se orgulhou de sua sofisticação cosmopolita e em ser "a revista que não é editada para a velha senhora de Dubuque."
 
A primeira capa da revista, com um cavalheiro de cartola observando uma [[borboleta]] através de um monóculo, foi desenhada por [[Rea Irvin]], que também desenvolveu a fonte que a revista usa para seu logo e manchetes. O cavalheiro da capa original é muitas vezes, erroneamente, referido como sendo ''Eustace Tilley'', um personagem criado para ''The New Yorker'' por Corey Ford. Eustace Tilley era o herói de uma série intitulada ''A Produção de uma Revista'', que começou na contra-capa inicial da edição de [[8 de agosto]] daquele verão. Ele era um homem mais jovem do que a figura na capa. Sua [[cartola]] era de um estilo mais novo, e ele vestia um colete. Ford tomou emprestado o nome Tilley do sobrenome de uma tia – que ele sempre achou levemente humorístico. "Eustace" foi selecionado por soar melhor. Tilley estava sempre ocupado e, nas ilustrações desenhadas por Johann Bull, sempre estava tratando de algo. Ele podia estar no [[México]], supervisionando as vastas fazendas onde cresciam cactos para se usar em páginas da revista. A "Fazenda da Pontuação", onde [[vírgula]]s eram cultivadas em profusão, pelo fato de Ross ter desenvolvido especial afeição por elas, era localizada em uma região mais fértil. Tilley podia estar inspecionando o "Departamento de Iniciais", para onde cartas eram enviadas a fim de receberem letras maiúsculas. Ou ele poderia estar supervisionando o "Departamento de Ênfase", onde cartas eram colocadas em um suporte e esticadas para o lado, para a criação de letras em [[itálico]]. Ele podia mergulhar no "Mar de Sargaço", onde, ao insultar lulas ele obtinha a tinta para as [[prensa]]s usadas na impressão da revista, que eram movidas por um cavalo girando em torno de um poste. Raoul Fleischmann, que havia se mudado para os escritórios de modo a proteger seus interesses, compilou a série de Tilley em um livreto promocional. Tempos depois, Ross providenciou que Eustace Tilley fosse incluído na lista telefônica de [[Manhattan]].