Abrir menu principal

Alterações

A ilha também é conhecida como '''Ilha das Cobras''', não sendo aconselhado o desembarque devido ao elevado número de cobras da espécie Jararaca-ilhoa (''[[Bothrops insularis]]'') o desenvolvimento dessa espécie devido o isolamento geográfico submetido após a última glaciação ao final do Pleistoceno. Isolada numa ilha rochosa com a cadeia-alimentar<ref>[http://www.jureia.com.br/mostramateria.asp?idmateria=155 Cadeia Alimentar]</ref> baseada em aves, a jararaca passou a subir em árvores, o que não é natural para as espécies do continente. Entretanto, estudos relacionando filogenia e hábitos alimentares demonstram que a Jararaca-ilhoa possui uma mudança em sua dieta, com os indivíduos jovens alimentando-se de anfíbios e lagartos e os adultos apenas de aves migratórias. Seu veneno tornou-se mais potente para garantir a morte imediata da presa que, se demorasse para morrer, poderia acabar no mar.
 
É considerada, no meio científico, como o maior serpentário natural do mundo,<ref>[http://portaltvtribuna.grupoatribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=54&idDepartamento=6&idCategoria= TV Tribuna.com]</ref> e existem cerca de 59 cobras por metro quadrado na ilha.<ref>[http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI172150-17770,00-LUGARES+QUE+VOCE+NAO+DEVE+VISITAR.html Galileu:10 lugares que você não deve visitar]</ref> Em [[5 de novembro]] de [[1985]] foi tombada como [[Área de Relevante Interesse Ecológico]] (ARIE) pelo Decreto Federal [http://www2.ibama.gov.br/unidades/relev/docleg/125/dec91887.htm n° 91.887].
 
== Naufrágios ==
Utilizador anónimo