Abrir menu principal

Alterações

546 bytes removidos, 02h52min de 28 de dezembro de 2013
sem resumo de edição
{{mais fontes|Este artigo|data=abril de 2011}}
[[Ficheiro:Talmud Babli bokhylle.jpg|150px|right|thumb|'''Talmude''' numa edição moderna impressa.]]
O '''Talmude''' (em [[Língua hebraica|hebraico]]: תַּלְמוּד, [[Transliteração|transl.]] ''Talmud'') é um livro Sagrado dos judeus {{Carece de fontes|data=abril de 2011}}, um registro das discussões [[Rabino|rabínicas]] que pertencem à [[Halachá|lei]], [[Ética judaica|ética]], costumes e história do [[judaísmo]].{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} É um texto central para o [[judaísmo rabínico]].{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
O Talmude tem dois componentes: a [[Mishná]] (c. [[200]] d.C.), o primeiro compêndio escrito da Lei Oral judaica; e o [[Guemará]] (c. [[500]] d.C.), uma discussão da Mishná e dos [[Tannaim|escritos tanaíticos]] que frequentemente abordam outros tópicos, e são expostos amplamente no [[Tanakh]].{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
O Mishná foi redigido pelos mestres chamados ''Tannaim'' ("[[tanaítas]]"), termo que deriva da palavra hebraica que significa "ensinar" ou "transmitir uma tradição".{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} Os tanaítas viveram entre o [[século I]] e o [[século III|III]] d.C.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} A primeira codificação é atribuída a [[Rabi Akiva]] ([[50]] – [[130]]), e uma segunda, a [[Rabi Meir]] (entre [[130]] e [[160]] d.C.), ambas as ''versões'' tendo sido escritas no atual [[Língua aramaica|idioma aramaico]], ainda em uso no interior da [[Síria]].{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
Os termos ''Talmud'' e ''Guemará'' são utilizados frequentemente de maneira intercambiável.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} A Guemará é a base de todos os códigos da [[Halachá|lei rabínica]], e é muito citada no resto da literatura rabínica; já o Talmude também é chamado frequentemente de '''Shas''' (hebraico: ש"ס), uma [[abreviação]] em [[Língua hebraica|hebraico]] de ''shisha sedarim'', as "seis ordens" da Mishná.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
== História ==
 
=== Baraita ===
Além da Mishná, outros ensinamentos [[Tannaim|tanaíticos]] eram correntes na mesma época, e por algum tempo depois.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} A [[Guemará]] frequentemente se refere a estas declarações tanaíticas, para compará-los àqueles contidos na Mishná e para apoiar ou refutar as proposições dos ''[[Amoraim]]''.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} Todas estas fontes tanaíticas não-mishnaicas são denominadas de [[Baraita|''baraitot'']] (singular ''baraita'', ברייתא - literalmente "material de fora", se referindo às obras externas ao Mishná).{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
=== Guemará ===
 
=== Halaca e Agadá ===
O Talmude contém um material vasto, que aborda assuntos de naturezas muito diversas.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} Tradicionalmente, as declarações talmúdicas podem ser classificadas em duas categorias amplas, as declarações ''[[Halaká|haláquicas]]'' e ''[[Agadá|agádicas]]''.{{Carece de fontes|data=abril de 2011}} As declarações haláquicas são aquelas que se relacionam diretamente com as questões da prática e lei judaica ([[Halaca]]), enquanto as declarações agádicas são aquelas que não tem qualquer conteúdo [[Direito|legal]], sendo de natureza mais [[Exegese|exegética]], [[homilética]], [[ética]] ou [[História|histórica]].{{Carece de fontes|data=abril de 2011}}
 
{{Referências}}
41

edições