Diferenças entre edições de "Wikipédia:Página de testes/1"

4 411 bytes adicionados ,  18h19min de 6 de janeiro de 2014
sem resumo de edição
m (Bot: A limpar página de testes)
<!--não apague esta linha-->{{página de testes}}<!--não apague esta linha-->
<!--Escreva abaixo da linha! -------------------------------- --> Edmar José de Almeida (Araxá, 16 de abril de 1944) é um artista plástico, desenhista e pintor neoconcretista brasileiro.
Desde criança teve talento para desenhar e pintar e queria ser pintor quando crescesse. A sua família soube acolher bem o despontar de sua vocação comprando-lhe desde a sua infância, livros de arte importados e materiais para pintura.
Em 1956, foi criada em Uberaba uma pequena escola de arte por Maria Elizabeth Van der Winckel, uma grande artista plástica formada pela Escola de Belas Artes de Rotterdam, na Holanda.
Em 1957, os pais e irmãos de Edmar decidiram ser melhor a família se transferir de Araxá para Uberaba para que ele pudesse desenvolver sua vocação pela pintura e estudar no Colégio Diocesano de Uberaba. Edmar estudou então com Maria Elizabeth Van der Winckel dos 12 aos 16 anos, período em que aprendeu não só técnicas de desenho como de pintura e mosaico. Tomou contato com as obras de Matisse e Picasso, através de filmes de 16mm projetados nas aulas, nos quais H. Matisse pintava a Igreja de Saint-Paul de Vence.
Aos 16 anos Edmar vai estudar em São Paulo com Wega Neri, que acabara de receber o Grande Prêmio Nacional de Desenho na Bienal de São Paulo.
Aos 18 anos ingressa na Universidade de Brasília onde cursa Artes e Letras Brasileiras. Foram seus professores nesta época, M. Babinski e Athos Bulcão entre outros.
Em 1968, Edmar se transfere para São Paulo e continua seus estudos de desenho e pintura com Yolanda Mohalyi, detentora do Grande Prêmio de Pintura Brasileira na Bienal de São Paulo. Neste período aprende também as técnicas de tecelagem com Agnes Schumaker e de arte-terapia com Maria Duschenez.
Participa da revista literária Cavalo Azul.
1968/1972 – Frequenta a casa do Prof. Vilém Flusser participando das aulas e palestras do emérito filósofo da comunicação.
Em 1975 faz uma grande exposição no Museu de Arte de São Paulo (MASP) que se chamou "Repassos – Edmar e as tecedeiras do Triângulo Mineiro". Esta exposição documento, organizada e montada pelos arquitetos Lina Bo Bardi e Flávio Império, ganhou o prêmio de melhor exposição do ano pela A.P.C.A. (Associação Paulista de Críticos de Arte).
Neste mesmo ano Edmar ganhou uma bolsa de estudos para a Itália, concedida pela Cúria Metropolitana de São Paulo, através do Cardeal de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns.
De 1976 a 1979, Edmar cursou a Escola de Belas Artes de Roma e fez curso de afresco na Escola de Artes de S. Giacomo, também em Roma.
Voltando ao Brasil, dá prosseguimento aos trabalhos iniciados com Lina Bo Bardi, a Igreja do Espírito Santo em Uberlândia e as obras do Sesc-Pompéia, com a criação dos ateliês desta unidade.
Em 1982 se transfere para Belo Horizonte, onde trabalha na Secretaria do Trabalho e Ação Social em urbanização de favelas da capital e sobre o artesanato e a arte popular do estado de Minas Gerais.
Em 1988 – Expões no Masp (Nossa Senhora dos Prazeres)
Em 1988 é incluído em duas categorias pela Enciclopédia Delta Larrousse – Brasil Cultural (como artista têxtil e artista plástico).
Em 1990 retorna a Uberlândia e monta a Unidade de Fiação e Tecelagem.
Em 1996 – Expõe na cidade de Copenhague, Dinamarca , no museu da Torre Redonda.
Em 2001 – Na cidade de Zvöllem nos Países Baixos, participando de uma grande coletiva de tecelagem. Seu trabalho foi exposto nesta cidade no interior da Catedral.
Em 2002 - Exposição em Brasília – no Conjunto Cultural da Caixa – “Venit Santo Spiritus” – (26 afrescos e 32 gravuras em relevo seco)
Em 2003 – O conjunto de Obras – Venit Santo Spiritus foi exposto na Pinacoteca do Estado de São Paulo, ocasião do aniversário desta cidade.
Entre seus diversos trabalhos estão: • Interior do Restaurante e Choperia Sesc-Pompéia – Interior da Sala de Internet Sesc-Pompéia (projetos Lina Bo Bardi). • Projetos interior do auditório e do hall do Museu Oscar Niemeyer de Curitiba – PR,
2002/3 – *Auditório do Museu de História do Homem do Pantanal – Corumbá – MS – 2008. Algumas de suas obras fazem parte do acervo do Museu de Arte de São Paulo.
Reside e tem seu atelier no municipio de Uberlândia, município do qual é cidadão honorário, título outorgado pela Câmara Municipal, em 1997 pelos trabalhos sociais e culturais realizados nesta cidade e nos municípios vizinhos a ela.
2

edições