Diferenças entre edições de "Ponte do Reguengo"

201 bytes adicionados ,  14h53min de 11 de janeiro de 2014
sem resumo de edição
m (Página aleatória = que horror, cinco anos sem fontes!)
{{sem-fontes|data=Junho de 2013}}
{{geocoordenadas|39_06_01_N_8_47_46_W|39° 6' N 8° 47' O}}
{{Info/Aldeia de Portugal
 
==Descrição==
Este lugar é privilegiado pela [[Vala Real de Azambuja|Vala Real]] que o atravessa<ref name=":0">''Agenda Comercial do Concelho do Cartaxo. ''Editora Trajecto. 14ª edição. 2005.</ref>. Em tempos longínquos, a Vala Real teve os seus momentos de glória em virtude da pesca e dos carregamentos de arroz. O seu topónimo está relacionado com a existência de um ponte antiga (Ponte) e devido àquelas terras, em tempos antigos, serem propriedade do Rei (Reguengo)<ref name=":0" />.
 
A Vala Real, em tempos de cheias, submerge parte desta povoação. Vítimas das perigosas cheias de Invernos rigorosos, os habitantes sempre persistem em salvar as suas casas e os seus poucos bens, sofrendo momentos dramáticos nunca esquecidos. Contudo tais momentos não os desencorajaram, não os intimidaram e eles foram ficando, muito embora os mais jovens tenham procurado diferentes formas de vida<ref name=":0" />.
 
Falando nas actividades que antes faziam parte do dia-a-dia dos habitantes desta povoação, a pesca é quase rara, embora alguns pescadores vão tentando a sua sorte como faziam antigamente, já não para sobreviver, mas para manter a tradição, mantendo com o passado uma ligação afectiva muito forte<ref name=":0" />. Quanto aos carregamentos de [[arroz]], longe vão os tempos em que os campos da margem esquerda da Vala Real eram densamente cultivados de arroz<ref name=":0" />. Perpetuando esta actividade, a antiga Fábrica de Descascamento de Arroz ainda se encontra de pé, na linda paisagem da lezíria, recordando os velhos tempos em que trabalhadores labutavam muito devido à grande afluência de arroz ainda por descascar. Com mais de cinquenta anos, actualmente a velha fábrica está desactivada e em ruínas, cheia de perigos para quem lá entra, devido à sua débil estrutura, após ter aberto falência há cerca de quinze anos.
 
Actualmente, a parte a Poente da linha ferroviária em Ponte do Reguengo está a desenvolver-se muito, devido ao crescimento populacional registado e das urbanizações lá construídas. O comércio de Ponte do Reguengo situa-se apenas deste lado da povoação<ref name=":0" />. Conta com um mini-mercado e dois cafés. Na parte a Nascente, situa-se o velhinho Bairro dos Pescadores, um aglomerado de pequenas casas típicas de pescadores<ref name=":0" />.
 
A antiga estação do Reguengo deu lugar a um [[Estação Ferroviária de Reguengo-Vale da Pedra-Pontével|moderno apeadeiro]]. Com acessibilidade para todos - rampas de acesso, elevadores e passagem superior - tem lá paragem os comboios regionais que fazem a ligação entre [[Tomar]] e [[Lisboa]], de hora a hora, e os comboios interregionais, que fazem a mesma ligação, duas vezes por dia. No mesmo plano, o apeadeiro possui um parque de estacionamento, em ambos os lados, e uma ponte rodoviária superior, acabando com a antiga passagem de nível com guarda.
 
== Referências ==
<references />
 
== {{Bibliografia}} ==
19 269

edições