Diferenças entre edições de "Trabuco"

1 byte adicionado ,  14h29min de 29 de janeiro de 2014
m
Alteração de "fato" (peça de roupa) para "facto" (evidência). Na gramática lusófona apenas é possível negligenciar o "c" nas palavras que contêm "c" mudo. Como "ação", "teto" ou "correção", conforme estipulado pelo acordo ortográfico.
m (Foram revertidas as edições de 194.180.1.201 por mudar a grafia (usando Huggle))
m (Alteração de "fato" (peça de roupa) para "facto" (evidência). Na gramática lusófona apenas é possível negligenciar o "c" nas palavras que contêm "c" mudo. Como "ação", "teto" ou "correção", conforme estipulado pelo acordo ortográfico.)
O primeiro registro claro de um trabuco de contrapeso provém de um estudioso [[islamismo|islâmico]], [[Mardi Al-Tarsusi]], que escreveu: Trabucos são máquinas inventadas por demônios incrédulos. Isso sugere que pelo tempo de [[Saladino]], os [[muçulmanos]] já estavam familiarizados com o contrapeso, mas não acredita-se que eles o inventaram.
 
Al-Tarsusi não diz especificadamente que os "Demônios Incrédulos" são europeus [[cristãos]], mas Saladino, de fatofacto, participou ativamente contra [[cruzadas]] durante grande parte de sua carreira, bem como o [[manuscrito]] é anterior a armas chinesas ou mongóis.
 
Os trabucos, como algumas pessoas diziam (e dizem), são lançadores de bolas destruidoras. Demoravam cerca de doze dias para que ficassem prontas dependendo de quão grande seria a sua estrutura.
2

edições