Diferenças entre edições de "Alpes Marítimos (província romana)"

4 042 bytes adicionados ,  13h39min de 31 de janeiro de 2014
sem resumo de edição
(Pouco conteúdo para 2 mapas)
{{Info/Subdivisão extinta
{{Artigo principal|Lígures}}
|native_name = {{Smallcaps|Provincia Alpes Maritimae}}
[[Imagem:Provinciaromana-AlpesMaritimos-pt.svg|thumb|O [[Império Romano]] em c. 120, com a [[província romana|província]] dos Alpes Marítimos em destaque.]]
|conventional_long_name = Província dos Alpes Marítimos
Os '''Alpes Marítimos''' (''Alpes Maritimae'', em [[latim]]) eram uma [[província romana|província]] do [[Império Romano]], em zona geográfica italiana. uma das três pequenas províncias localizadas nos [[Alpes]], entre as modernas [[França]] e [[Itália]]. Oriente do [[Rio Var]] que era a fronteira natural, histórico e cultural entre a Gália e a [[Itália]]. Fundada em 14 d.C. por [[Augusto|Otaviano]] (a parte ocidental do [[Região IX Ligúria]] da Italia), a província tinha por capital Cemenelum, hoje Cimiez, um bairro da cidade de [[Nice]]. Esta província está na zona geográfica italiana leste de [[Rio Var]]. É uma divisão da parte ocidental da [[Região IX Ligúria]] da Itália.
|common_name = Alpes Marítimos
|continent = Europa
|subdivision = [[Província romana|Província]]
|nation = [[Império Romano]]
|era = [[Antiguidade Clássica]]
|capital =''[[Segusium]]''
|title_leader =
|
|image_map = Provinciaromana-AlpesMaritimos-pt.svg
|image_map_caption = Alpes Marítimos em 120
|
|life_span = {{dtlink|||14}}–{{dtlink|||297}}
|year_start ={{DC|14|x}}
|event_start = Criada por [[Augusto]]
|year_event1 = {{DC|295|x}}
|event1 =Ampliada por [[Diocleciano]], incorporando os [[Alpes Cótios]]
|year_end = Séc. V
|event_end =Incorporada ao [[Reino Franco]]
|p1 =
|s1=Reino Franco
|s2=
}}
'''Alpes Marítimos''' (''Alpes Maritimae'', em [[latim]]) era o nome de uma [[província romana|província]] do [[Império Romano]] localizada na região dos [[Alpes]]. Juntamente com os [[Alpes Cótios]] e os [[Alpes Peninos]], ocupava a região alpina fronteiriça entre os modernos estados da [[França]] e [[Itália]].
 
== História ==
Atualmente, um dos [[Departamentos franceses|departamentos]] da França chama-se [[Alpes Marítimos]].
[[Dião Cássio]] afirma que o território era habitado por [[ligúrios]] que ainda eram livres em 14 a.C., data em que [[Otaviano]] anexou a região ao [[Império Romano]] e criou a província dos Alpes Marítimos.
 
A população estava dividida em três ''gentes'' (tribos): os ligúrios, os ''[[capillati]]'' e os ''[[montani]]''. Cada uma delas representava um agrupamento de outras tribos, as vencidas por Augusto e mencionadas no ''[[Tropaeum Alpium]]'' (''sogionti'', ''brondionti'', ''nemaloni'', ''gallitae'', ''triullati'', ''vergunni'', ''eguituri'', ''namaturi'', ''oratelli'', ''nerusi'', ''velauni'' e ''sutri''), as tribos da costa, que já haviam sido assimiladas muito antes (''deciates'', ''oxibii'' e ''vedianti'') e finalmente as tribos do interior (''avantici'' e ''biodontici'').
 
No período tardio do império, o formato da província passou por diversas alterações. Parte das tribos da costa (''deciates'' e ''oxibii'') foram reunidas na [[Gália Narbonense]] e as tribos mais sententrionais (''egdinii'', ''veamini'' e ''Vesubiani'') foram doadas ao [[Reino Cótio]] (que, muito depois, acabaria incoporado de volta nos Alpes Marítimos.
 
Depois que Otaviano criou a província, ele nomeou um [[prefeito romano|prefeito]] para gerenciar a região. Sua capital era ''[[Cemenelum]]'' ([[Cimiez]]), atualmente um distrito da cidade de [[Nice]], na França.
 
Em 297, durante a [[reforma de Diocleciano|reforma administrativa]] do imperador [[Diocleciano]] (r. 284-305), ela foi ampliada para o norte e noroeste chegando até o [[rio Durance]] e o [[Col de Montgenèvre|passo Montgenèvre]]. A capital foi transferida para ''[[Civitas Ebrodunensium]]'' ([[Embrun (Hautes-Alpes)|Embrun]]). A província passou a fazer parte da [[Diocese de Vienne]] da [[Prefeitura pretoriana das Gálias]].
 
== Principais cidades ==
* ''[[Cemenelum]]'' ([[Cimiez]]): primeira capital da província.
* ''[[Nicaea]]'' ([[Niza]])
* ''[[Portus Herculis Monaeci'' ([[Mónaco]])
* ''[[Salinae'' ([[Castellane]])
* ''[[Sanitium'' ([[Senez]])
* ''[[Vintium'' ([[Vence]])
 
A partir de 297:
* [[Brigâncio (Alpes)|Brigâncio]] ([[Briançon]])
* ''[[Brigomagus]]'' ([[Briançonnet]] / [[Barcelonnette]] ?)
* ''[[Civitas Ebrodunensium]]'' ([[Embrun]]): segunda capital da província.
 
== Bibliografia ==
{{refbegin|2}}
*{{citar livro|sobrenome= AAVV|título=Cambridge Ancient History. L'impero romano da Augusto agli Antonini|ano= 1975|local= Milano|página=Vol. VIII}}
*Davide Faoro, ''Novità sui Fasti equestri della Rezia'', in Quaderni friulani di archeologia n.XVII, Trieste 2007, pp.97-120.
*{{citar livro|sobrenome=Grant |nome=Michael |título=Gli imperatori romani |ano= 1984|editora=Newton & Compton |local= Roma|id= ISBN 88-7819-224-4}}
*[[Mario Attilio Levi]], ''Augusto e il suo tempo'', Milano 1994.
*{{citar livro|autor= [[Santo Mazzarino]] |título=L'Impero romano|ano= 1976|editora= Laterza|local= Bari|id= ISBN 88-420-2401-5|página= Vol. I}}
*{{citar livro|sobrenome=Scarre |nome= Chris|título=Chronicle of the Roman Emperors|ano= 1995|local= Londra|língua= inglês|id= ISBN 0-500-05077-5}}
*{{citar livro|sobrenome=Scullard |nome= Howard |título= Storia del mondo romano|ano= 1992|editora= Rizzoli|local= Milano|id= ISBN 88-17-11903-2}}
*Pat Southern, ''Augustus'', Londra-N.Y. 2001.
*{{citar livro|sobrenome=Spinosa |nome=Antonio|wkautor=Antonio Spinosa|título=Augusto. Il grande baro|ano= 1996|editora= Mondadori|local= Milano|id= ISBN 88-04-41041-8}}
*{{citar livro|sobrenome=Spinosa |nome=Antonio|título=Tiberio. L'imperatore che non amava Roma|ano= 1991|editora= Mondadori|local= Milano|id=ISBN 88-04-43115-6}}
*{{citar livro|sobrenome=Syme |nome=Ronald|wkautor=Ronald Syme|título= L'aristocrazia augustea|ano= 1992|editora= Rizzoli|local= Milano|id=ISBN 88-17-11607-6}}
*{{citar livro|sobrenome=Syme |nome=Ronald|título= The Roman Revolution|ano= 2002|local= Oxford|língua=inglês|id=ISBN 0-19-280320-4}}
{{refend}}
 
{{Províncias romanas 120 a.C.}}