Diferenças entre edições de "Primeira República Brasileira"

594 bytes adicionados ,  19h43min de 1 de fevereiro de 2014
→‎Deodoro da Fonseca: fato, link e fonte
(→‎Deodoro da Fonseca: fato, link e fonte)
=== Deodoro da Fonseca ===
{{artigo principal|Deodoro da Fonseca}}
 
[[Imagem:Deodoro da Fonseca sak.jpg|thumb|[[Deodoro da Fonseca]], o primeiro [[presidente do Brasil]].]]
 
O Marechal Deodoro da Fonseca foi o primeiro presidente do Brasil, governando 1 ano e 3 meses no "Governo Provisório" e 9 meses como presidente eleito pela Assembleia Nacional Constituinte em 25 de fevereiro de 1891, ainda na chamada "República da Espada". Seu governo foi marcado por crises econômicas e movimentos contra a sua forma autoritária de governar.
 
O presidente, buscando solucionar os problemas econômicos do Brasil e industrializar realmente o país, optou pela continuidade do processo de liberalização da economia, apelidado de [[encilhamento]], iniciado ainda durante a monarquia, sob o último ministro da fazenda imperial, o [[Visconde de Ouro Preto]], e continuada por [[Ruy Barbosa]], que consistia em permitir crédito livre a indústrias que desejassem instalar-se em território nacional. Essa política econômica permitia que os bancos emitissem moeda sem qualquer exigência de lastro em ouro. Essa política econômica deveria fazer com que as empresas pudessem pagar seus operários e, aumentando o mercado consumidor, estimular a indústria. O que aconteceu, porém, foi que a [[inflação]] elevou-se de modo exagerado. Os [[Oferta pública inicial|lançamentos de ações]] na [[Bolsa de Valores do Rio de Janeiro]] se davam livremente, até por empresas fantasmas, agravando ainda os efeitos negativos e a credibilidade do processo.
 
Em [[22 de agosto]] de [[1891]], o Congresso Nacional exibiu um conjunto de leis que visava à redução de poder do presidente da república Deodoro da Fonseca, que, então, declarouaplicou oum [[golpe de estado]] com a [[Golpe de sítioTrês ede tentouNovembro]], darno umdia [[golpe3 de novembro]] de [[1891]]<ref>[http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=1443933&tit=Os-120-anos-do-Cerco-da-Lapa-e-o-preco-da-consolidacao-da-Republica - Os 120 anos do Cerco da Lapa e o preço da consolidação da República Floriano Peixoto implantou uma ditadura militar no início da República e com isso gerou uma série de rebeliões. O Cerco da Lapa faz parte desse cenário de luta pelo poder e de debilidade política] Jornal Paranaense - [[Gazeta do Povo]]</ref>. Seus decretos assinados neste dia (dissolução do legislativo e [[estado de sítio]]), tentativaforam frustradafrustrados por resistências espalhadas por todo o país. Após a pressão dos militares, que apontaram canhões para o Rio de Janeiro, Deodoro da Fonseca renunciou ao cargo, em [[23 de novembro]] de 1891, deixando [[Floriano Peixoto]], vice-presidente, em seu lugar.
 
Porém, o governo de Floriano Peixoto foi considerado inconstitucional porque entendia que Deodoro da Fonseca não cumprira ainda dois anos de mandato, como dizia artigo 42 da [[Constituição de 1891]]<ref>[http://www2.camara.gov.br/legin/fed/consti/1824-1899/constituicao-35081-24-fevereiro-1891-532699-publicacaooriginal-15017-pl.html]</ref>, devendo se pois proceder-se a nova eleição para presidente e vice-presidente:
78

edições