Abrir menu principal

Alterações

3 bytes adicionados, 20h59min de 17 de fevereiro de 2014
sem resumo de edição
[[Imagem:Cuninpert_688_700_king_of_the_Lombard_minted_in_Milan.jpg|thumb|upright|Moeda de [[Cuniberto]] (688-700), [[rei dos lombardos]], cunhada em [[Milão]], hoje no [[Museu Britânico]].]]
 
Em {{DC|560|x}}, um novo e enérgico rei surgiu: [[Alboíno]], que derrotou seus vizinhos, os [[gépidas]], tornando-lhes seus vassalos, e casou-se, em {{DC|566|x}}, com a filha de seu rei [[Cunimundo]], [[Rosamunda]]. Na primavera de {{DC|568|x}}, Alboíno liderou os lombardos, juntamente com outras [[tribos germânicas]] ([[bávaros]], gépidas, saxões<ref>Estes últimos estima-se que num total de 100.000, com base no número de 26.000 guerreiros dado por [[Paulo, o Diácono]]. Os saxões abandonaram a Itália após a morte de Alboíno, em [[573]]. Ver Paolo Cammarosano, ''Storia dell'Italia medievale'', pp. 96-97</ref>) e [[Protobúlgaros|búlgaras]], atravessando os [[Alpes Julianos]] com uma população de 400 a {{fmtn|500000}} pessoas, e invadindo o norte da [[península Itálica]], após serem expulsos da [[Panônia]] pelos [[ávaros]]. A primeira cidade importante a ser tomada foi ''Forum Iulii'' ([[Cividale del Friuli]]), no [[nordeste da Itália]], em {{DC|569|x}} Lá, Alboíno fundou o primeiro [[ducado]] lombardo, que ele confiou a seu sobrinho, [[Gisulfo II do Friuli|Gisulfo]]. Logo [[Vicenza]], [[Verona]] e [[Bréscia]] caíram nas mãos germânicas. No verão de {{DC|569|x}}, os lombardos conquistaram o principal centro [[Roma Antiga|romano]] do norte da Itália, [[Mediolano]] (atual [[Milão]]). A região ainda estava se recuperando da terrível [[Guerra Gótica (535–554)|Guerra Gótica]], e o pequeno exército [[Império Bizantino|bizantino]] estacionado ali para sua defesa pouco pôde fazer. O [[exarca]] enviado à Itália pelo [[imperador bizantino]] [[Justino II]], Longino, conseguiu defender apenas as cidades costeiras, que podiam receber auxílio da poderosa marinha bizantina. [[Pavia]] caiu após um cerco de três dias, em {{DC|572|x}}, tornando-se a primeira capital do novo [[Reino Lombardo]]. Nos anos seguintes, os lombardos foram rumo ao sul, conquistaram a [[Toscana]] e fundaram dois outros ducados, [[ducadoDucado de SpoletoEspoleto|SpoletoEspoleto]] e [[Ducado de Benevento|Benevento]], confiados a [[Zoto]], que logo se tornaram independentes e duraram mais que o reino do norte, sobrevivendo até o [[século XII]]. Os bizantinos conseguiram manter o controle da região de [[Ravena]] a [[Roma]], ligadas por um corredor estreito que passava por [[PerugiaPerúgia]].
 
Quando entraram na Itália, alguns lombardos ainda mantinham sua forma nativa de [[Paganismo germânico|paganismo]], enquanto outros eram [[Cristianismo|cristãos]] [[Arianismo|arianos]]. Isto lhes colocou desde o início em más relações com a [[Igreja Católica]]. Gradualmente adotaram os títulos, nomes e tradições romanas, e converteram-se, parcialmente, ao catolicismo, no {{DC|século VII|x}} - não sem antes passar por uma longa série de conflitos étnicos e religiosos.