Abrir menu principal

Alterações

Revisão de texto e acerto de referências
{{mais notas|data=março de 2014}}
<ref>http://www.itanhaem.sp.gov.br/turismo/turismo/ilha_queimada_grande.html</ref>{{Formatar referências|data=janeiro de 2013}}
{{Info/Área protegida
|nome = Ilha da Queimada Grande
|região2 = [[Mesorregião do Litoral Sul Paulista|Litoral Sul Paulista]]
|região3_rótulo = [[Microrregião]]
|região3 = [[Microrregião de Itanhaém|Itanhaém]]<ref name="Itanhaém" >{{citar web|URL=http://www.itanhaem.sp.gov.br/turismo/turismo/ilha_queimada_grande.html|título=Ilha de Queimada Grande|autor=Adm. do portal|data=2013|publicado=Prefeitura Municipal de Itanhaém|acessodata=03/03/2014}}</ref>
|região3 = [[Microrregião de Itanhaém|Itanhaém]]
|localidade = [[Itanhaém]] e [[Peruíbe]]
|lat_degrees = 24
|visitantes =
|ano_visitantes =
|gestao = [[Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade|ICMBio]]<ref name="icmbioICMBio" >{{citar web|urlURL=http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidadeimages/unidades-de-conservacaostories/biomasimgs-brasileiros/marinho/unidades-de-conservacao-marinhocoservacao/2248-arie-ilhas-da-queimada-pequena-e-queimada-grandearie_queimada%20grande.htmlpdf|titulotítulo=ArieDecreto Ilhas da Queimada Pequena e91.887|autor=Assessoria Queimadado governo|data=05/11/1985|publicado=Instituto Chico Mendes de Conservação da BiodiversidadeICMBio.gov.br|acessodata=28 de janeiro de 201303/03/2014}}</ref>
|sítio = [http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/marinho/unidades-de-conservacao-marinho/2248-arie-ilhas-da-queimada-pequena-e-queimada-grande.html www.ICMBio.gov.br]
}}
[[File:Jararaca-ilhoa.jpg|thumb|200px|[[Jararaca-ilhoa]]]]
A '''Ilha da Queimada Grande''' é uma ilha localizada a cerca de 35 [[quilômetro]]s do litoral do estado de [[São Paulo]]. O nomeDesabitada, tem origem no fato de pescadores da região atearem fogo na mata costeira para afugentar as serpentes e então poder desembarcar em terra firme. É desabitada e seu acesso é proibido, sendoe restrito aosa analistas ambientais do [[Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade]], órgão federal que administra as unidades de conservação do Brasil, ebem como a cientistas autorizados por estaessa Instituição.<ref Desdename="Galileu" 31>{{citar de janeiro de [[1984]] a ilha é uma [[Área de Relevante Interesse Ecológico]] (ARIE), criada pelo [web|URL=http://www.planaltorevistagalileu.govglobo.brcom/ccivil_03Revista/decretoCommon/19800,,EMI172150-1989/D8933617770,00-LUGARES+QUE+VOCE+NAO+DEVE+VISITAR.htmhtml|título=10 Decretolugares que você não deve visitar|autor=Da redação|data=2013|publicado=Revista Galileu|acessodata=03/03/2014}}</ref> 89.336.]
 
Desde 31 de janeiro de [[1984]] a ilha é uma [[Área de Relevante Interesse Ecológico]] {{small|(ARIE)}}, seguindo o que estabelece o Decreto nº 91.887, de 5 de novembro de 1985, o qual é amparado pelo que é disposto no Decreto nº 89.336, de 31 de janeiro de 1984 sobre as Reservas Econômicas e Áreas de Relevante Interesse Ecológico.<ref>{{citar web|URL=http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/D89336.htm|título= — |autor=Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil (Presidência)|data=31/01/1984|publicado=Decreto da Presidência da República|acessodata=03/03/2014}}</ref>
[http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/arie_queimada%20grande.pdf Dec nº 91.887 de 05 de novembro de 1985]
 
Em 2010, o site [[''Listverse]]'', especializado em listas diversas de melhores e piores sobre todos os assuntos, elegeu a ilha como o pior lugar do mundo para se visitar, à frente da zona contaminada de [[Chernobyl]] e dos [[vulcões]] de [[lama]] do [[Azerbaijão]].<ref>{{citar web|urlURL=http://listverse.com/2010/03/22/top-10-places-you-dont-want-to-visit/|título=Top 10 Places You Don’t Want To Visit|autor=Jamie Frater|data=22/03/2010|publicado=Listverse.com|acessodata=03/03/2014}}</ref><ref>{{citar web|URL=http://br.noticias.yahoo.com/fotos/os-10-piores-lugares-para-passar-as-f%C3%A9rias-1323468922-slideshow/ilha-de-queimada-grande-photo-1323468887.html|titulotítulo=TopOs 10 Placespiores Youlugares Don’tpara Wantpassar Toas Visitférias|publicadoautor=ListverseRedação Yahoo|língua2data=en09/12/2011|publicado=Portal Yahoo|acessodata=1203/1203/20112014}}</ref>
Há o interesse, por parte de cientistas, ONGs, mergulhadores e outros, de transformar a ARIE da Ilha da Queimada Grande em um Parque Nacional Marinho. A intenção é aumentar a proteção da parte marinha, numa faixa de 2 milhas náuticas no entorno da ilha, onde existem corais e espécies vulneráveis da fauna marinha, como tartarugas e peixes como a [[Caranha]] da ilha, que não faz parte do decreto de criação da ARIE. Há o registro da reprodução da Caranha no entorno da ilha, em [[2003]], por pesquisadores da [[Conservation International]].
 
Em 2010, o site [[Listverse]], especializado em listas diversas de melhores e piores sobre todos os assuntos, elegeu a ilha como o pior lugar do mundo para se visitar, à frente da zona contaminada de [[Chernobyl]] e dos [[vulcões]] de [[lama]] do [[Azerbaijão]].<ref>{{citar web|url=http://br.noticias.yahoo.com/fotos/os-10-piores-lugares-para-passar-as-f%C3%A9rias-1323468922-slideshow/ilha-de-queimada-grande-photo-1323468887.html|titulo=Top 10 Places You Don’t Want To Visit|publicado=Listverse|língua2=en|acessodata=12/12/2011}}</ref>
 
== Condições insularesCaracterísticas ==
PossuiA ilha possui aproximadamente 430.000m² com uma, topografia irregular, tendo umae altitude máxima de 206m. e aA profundidade ao redor ficandoestá em torno dos 45m. Não possui praias, somente costões rochosos. Um farol automático está instalado na parte mais plana da ilha, mantido e conservado pela [[Marinha do Brasil|Marinha]].
A ilha está a 18 milhas náuticas (aproximadamente 30&nbsp;km) da costa de [http://www.itanhaem.sp.gov.br Itanhaém] e [http://www.peruibe.sp.gov.br Peruibe].
 
A ilha está a 18 milhas náuticas (aproximadamente 30&nbsp;km) da costa de [[Itanhaém]] e [[Peruibe]],<ref name="Itanhaém" /><ref name="Ciência" >{{citar web|URL=http://eco.ib.usp.br/labvert/insularis%20ciencia%20hoje.pdf|título=A jararaca da ilha da Queimada Grande|autor=Otávio A.V Marques ''et alii''|data=2002|publicado=Ciência Hoje|acessodata=03/03/2014}}</ref> e apresenta difíceis condições de desembarque e difíceis condições para fundeio de embarcações. O desembarque não é aconselhado e até mesmo foi proibido pela [[Marinha do Brasil]] devido a grande quantidade de cobras, especialmente a [[Jararaca-ilhoa]], espécie [[endêmica]] da ilha.<ref name="Itanhaém" /><ref name="Ciência" /> Segundo alguns cientistas, a cobra venenosa com a peçonha mais potente do mundo.{{carece de fontes}} Outro motivo para a inibição do desembarque é a preservação da fauna e flora da ilha.<ref name="ICMBio" />
Possui difíceis condições de desembarque e difíceis condições para fundeio de embarcações.
 
A denominação «Queimada Grande» tem origem no fato de, no passado, eventuais visitantes (sobretudo pescadores da região) atearem fogo na vegetação costeira para afugentar as serpentes e então poder desembarcar em terra firme.<ref name="Itanhaém" />
O desembarque não é aconselhado e até mesmo foi proibido pela [[Marinha do Brasil]] devido a grande quantidade de cobras, especialmente a [[Jararaca-ilhoa]], espécie [[endêmica]] da ilha<ref>[http://chc.cienciahoje.uol.com.br/revista/revista-chc-2008/187/galeria-de-bichos-ameacados-jararaca-ilhoa Ciência Hoje]</ref> e, segundo alguns cientistas, a cobra venenosa com a peçonha mais potente do mundo. Outro motivo para a inibição do desembarque é a preservação da Fauna e Flora da ilha.
 
As águas ao redor da ilha contam com variadas espécies de [[peixe]]s como [[garoupa]]s, budiões e caranhas, além de eventuais visitas de outras espécies, como tartarugas-marinhas. Apesar disso, não é incomum a prática de [[pesca]] amadora de arremesso e de mergulho, apesar de a visitação à área ser restrita pelo [[Instituto Chico Mendes]].<ref name="ICMBio" /> Ao sul, no Parcel de Fora, em profundidades variando de três a trinta metros, existem espécies de maior porte.
Possui aproximadamente 430.000m² com uma topografia irregular, tendo uma altitude máxima de 206m e a profundidade ao redor ficando em torno dos 45m. Não possui praias, somente costões rochosos. Um farol automático está instalado na parte mais plana da ilha, mantido e conservado pela Marinha.
 
== Pesca amadoraFauna ==
Há o interesse, por parte de cientistas, ONGs[[ONG]]s, mergulhadores e outros, de transformar a {{small|ARIE}} da Ilha dade Queimada Grande em um Parque Nacional Marinho. A intenção é aumentar a proteção da parte marinha, numa faixa de 2 milhas náuticas no entorno da ilha, onde existem corais e espécies vulneráveis da fauna marinha, como tartarugas e peixes, como a [[Caranha]] da ilhacaranha, queos quais não fazestão parteincluídos na proteção do decreto de criação da {{small|ARIE}}. Há o registro da reprodução da Caranha no entorno da ilha, em [[2003]], por pesquisadores da [[Conservation International]].{{carece de fontes}}
É comum a prática de [[pesca]] amadora de arremesso e de mergulho, apesar de restrita pelo [[Instituto Chico Mendes]].
 
=== Diversidade de espécies ===
As águas da ilha contam com variadas espécies de [[peixe]]s como:
Queimada Grande tem espécies ameaçadas de extinção, como a dormideira-da-Ilha-da-Queimada-Grande, além de algo em torno de trinta outras espécies de aves, das quais a mais abundante é a [[corruíra]].<ref name="Sup" >{{citar web|URL=http://suptravessias.uol.com.br/ilha-queimada-grande-saude-do-oceano-suptravessias/|título=Ilha Queimada Grande + Saúde do oceano|autor=Da redação|data=23/02/2013|publicado=SupTravessias das Ilhas|acessodata=03/03/2014}}</ref> Há ainda pelo menos três espécies de anfíbios endêmicos e três de lagartos, além de dois tipos de [[cobra-cega|cobras-cegas]] e setenta espécies de aranhas, as quais foram todas catalogadas.<ref name="Sup" />
 
=== Serpentário natural ===
* [[Garoupa]]s
Queimada Grande é também é conhecida como «Ilha das Cobras», não sendo aconselhado o desembarque devido ao elevado número de serpentes da espécie jararaca-ilhoa (''[[Bothrops insularis]]'').
* [[Budião|Budiões]]
* [[Caranha]]s
 
AO ilhadesenvolvimento também é conhecida como '''Ilha das Cobras''', não sendo aconselhado o desembarque devido ao elevado número de cobras dadessa espécie Jararaca-ilhoa (''[[Bothrops insularisendemismo|endêmica]]'') oda desenvolvimentoilha dessa espéciefoi devido oao isolamento geográfico submetido após a última glaciação aono final do [[Pleistoceno]].<ref name="Ciência" /> Isolada numa ilha rochosa com a[[cadeia cadeia-alimentar<ref>[http://www.jureia.com.br/mostramateria.asp?idmateria=155 Cadeia Alimentar]</ref>] baseada em aves, a jararaca passou a subir em árvores, o que não é natural para asnas espécies do continente. Entretanto, estudos relacionando [[filogenia]] e hábitos alimentares demonstram que a Jararacajararaca-ilhoa possui uma mudança em sua dieta, com os indivíduos jovens alimentando-se de anfíbios[[anfíbio]]s e lagartos e os adultos apenas de aves migratórias. Seu veneno tornou-se mais potente para garantir a morte imediata da presa que, se demorasse para morrer, poderia acabar nopor se afastar em marvoo.
Ao sul, no [[Parcel de Fora]], em profundidades variando de três a trinta metros, existem espécies de maior porte.
 
A ilha é considerada no meio científico como o maior serpentário natural do mundo, já que existem cerca de cinco serpentes por metro quadrado na ilha.<ref name="Galileu" />
== Serpentário natural: Área de Relevante Interesse Ecológico ==
A ilha também é conhecida como '''Ilha das Cobras''', não sendo aconselhado o desembarque devido ao elevado número de cobras da espécie Jararaca-ilhoa (''[[Bothrops insularis]]'') o desenvolvimento dessa espécie devido o isolamento geográfico submetido após a última glaciação ao final do Pleistoceno. Isolada numa ilha rochosa com a cadeia-alimentar<ref>[http://www.jureia.com.br/mostramateria.asp?idmateria=155 Cadeia Alimentar]</ref> baseada em aves, a jararaca passou a subir em árvores, o que não é natural para as espécies do continente. Entretanto, estudos relacionando filogenia e hábitos alimentares demonstram que a Jararaca-ilhoa possui uma mudança em sua dieta, com os indivíduos jovens alimentando-se de anfíbios e lagartos e os adultos apenas de aves migratórias. Seu veneno tornou-se mais potente para garantir a morte imediata da presa que, se demorasse para morrer, poderia acabar no mar.
 
== História ==
É considerada, no meio científico, como o maior serpentário natural do mundo,<ref>[http://portaltvtribuna.grupoatribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=54&idDepartamento=6&idCategoria= TV Tribuna.com]</ref> e existem cerca de 9 cobras por metro quadrado na ilha.<ref>[http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI172150-17770,00-LUGARES+QUE+VOCE+NAO+DEVE+VISITAR.html Galileu:10 lugares que você não deve visitar]</ref> Em [[5 de novembro]] de [[1985]] foi tombada como [[Área de Relevante Interesse Ecológico]] (ARIE) pelo Decreto Federal [http://www2.ibama.gov.br/unidades/relev/docleg/125/dec91887.htm n° 91.887].
=== Naufrágios ===
Nas águas da face Oesteoeste da ilha existem dois navios naufragados, próximo ao [[Saco das Bananas]]:
 
* O [[navio mercante]] [[Rio Negro (navio)|Rio Negro]], do [[Lloyd Brasileiro]], naufragado a [[17 de julho]] de [[1893]]. Construído em [[1872]], era umuma navioembarcação a vapor de pequeno porte, com cerca de 450 toneladas. Naufragou por colisão com a ilha, devido ao mau tempo, encontrando-se atualmente a uma profundidade de 12 a 18 metros.
== Naufrágios ==
Nas águas da face Oeste da ilha existem dois navios naufragados, próximo ao [[Saco das Bananas]]:
 
* O [[navio mercante]] [[Rio Negro (navio)|Rio Negro]], do [[Lloyd Brasileiro]], naufragado a [[17 de julho]] de [[1893]]. Construído em [[1872]], era um navio a vapor de pequeno porte, com cerca de 450 toneladas. Naufragou por colisão com a ilha, devido ao mau tempo, encontrando-se atualmente a uma profundidade de 12 a 18 metros.
* O [[Navio mercante Tocantins]], também do Lloyd Brasileiro, naufragado a [[30 de agosto]] de [[1933]]. Era de construção inglesa.
 
Até hoje pode-se ver o que sobrou dos navios, já que as águas no entorno da ilha são bastantes claras, possibilitando uma visibilidade de 30 a 40 metros de profundidade.
 
{{Referências|col=2}}
 
{{Áreas protegidas em São Paulo}}