Abrir menu principal

Alterações

1 700 bytes adicionados, 18h21min de 17 de março de 2014
Após seu êxodo das [[estepes pônticas]], os cimérios provavelmente saquearam [[Urartu]], por volta de 714 a.C., porém em 705 a.C., após serem repelidos por [[Sargão II]] da [[Império Neo-Assírio|Assíria]], rumaram para a Anatólia, onde, entre 696 e 695, conquistaram a [[Frígia]]. Em 652 a.C., após conquistar [[Sárdis]], capital da [[Lídia]], onde atingiram o ápice de seu poder. Seguiu-se então um período de rápido declínio, até sua derrota final, entre 637 e 626, quando foram derrotados pelo rei lídio [[Aliates da Lídia|Aliates]]. Deixam então de ser mencionados pelas fontes históricas, porém provavelmente a esta altura já teriam se fixado na [[Capadócia]].<ref>{{citar web |url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/117922/Cimmerian | título = Cimmerian (people) |obra = [[Encyclopedia Britannica]] |acessodata = 8-9-2012}}</ref>
 
== Origens História==
===Origem===
Suas origens são obscuras, mas acredita-se que eram [[Indo-Europeu]]s. Sua língua é geralmente tida como parente da [[língua trácia]] ou do [[línguas iranianas|iraniano]]. A teoria trácia baseia-se no fato de que o autor grego [[Estrabão]] relaciona os "Treri" aos trácios numa passagem (13.1.8) e aos cimérios em outra (14.1.40). A teoria iraniana, por outro lado, defende o fato de que a cultura material dos cimérios na [[Ásia Menor]] é idêntica à de seus contemporâneos [[Cítia|citas]]; além do mais, o assírio ''Gimirri'' e o Persa ''Saka'' são usados como sinônimos em fontes do [[Oriente Próximo]] da Antiguidade, principalmente na famosa [[inscrição de Behistun]]. Desta forma, muitos eruditos, incluindo o acadêmico russo [[Askold Ivančik]], assumem que os cimérios estavam intimamente ligados aos citas. De qualquer forma, ainda que os cimérios viessem da Trácia ou que pertencessem a algum ramo Indo-Europeu (ou mesmo não-Indo-Europeu), eles quase certamente possuíam uma classe governante iraniana, bem como os citas. No começo do [[século XX]] os cimérios costumavam ser associados aos [[Proto-Indo-Europeu]]s ("[[Ariano]]s" ou "[[Jafético|Jafetitas]]").
<!-- {{História da Ucrânia}} -->
A origem dos cimérios é incerta. Supostamente teriam algum tipo de parentesco com povos que falavam [[línguas iranianas]] ou [[língua trácia|trácias]], ou que ao menos teriam sido governados por uma elite [[Antigos povos iranianos|iraniana]].<ref name=Britannica>''"The origin of the Cimmerians is obscure. Linguistically they are usually regarded as Thracian or as Iranian, or at least to have had an Iranian ruling class."'' [http://www.britannica.com/eb/article-9082650 "Cimmerian"], in ''[[Encyclopædia Britannica]]'', 2006. Página visitada em 30-8-2006.</ref><ref name="UNESCO">J. Harmatta: "Scythians" ''UNESCO Collection of History of Humanity'': Volume III: ''From the
Seventh Century BC to the Seventh Century AD'', [[Routledge]]/[[UNESCO]]. 1996, p. 182</ref>
 
De acordo com o historiador [[Grécia Antiga|grego]] [[Heródoto]], do século V a.C., os cimérios habitavam originalmente a região ao norte do [[Cáucaso]] e do [[Mar Negro]], durante os séculos VIII e VII a.C., na atual [[Ucrânia]] e [[Rússia]]. A arqueóloga [[Alemanha|alemã]] Renate Rolle argumentou, no entanto, que ninguém ainda demonstrou com evidências arqueológicas a presença dos cimériocs nas partes meridionais da Rússia.<ref>Rolle, Renate. "Urartu und die Reiternomaden", in: ''Saeculum'' 28, 1977, S. 291–339</ref>
[[Arqueologia|Arqueologicamente]] muito pouco se sabe dos cimérios da costa norte do [[Mar Negro]]. Sugeriu-se que possam ter compreendido a tão-chamada "[[cultura catacúmbica]]" do sul da Rússia, aparentemente expulsa pela "[[cultura Srubna]]" que avançara a partir do oriente mais além. Isso está de acordo com o relato grego de como os cimérios foram substituídos pelos citas. Contudo, a expulsão da cultura catacúmbica foi situada, através da datação de carbono, no segundo milênio a.C., várias centenas de anos antes de qualquer relato da aparição dos citas na [[Ásia]]; os quadros temporais conflitam-se de maneira tal que é difícil conciliá-los.
 
Embora o artigo de 2006 da ''[[Encyclopædia Britannica]]'' corrobore Heródoto - ainda que afirmando que "[os cimérios] provavelmente habitavam a região ao norte do Mar Negro, porém as tentativas de se definir sua terra de origem de maneira mais precisa, através de métodos arqueológicos, ou de até mesmo se fixar com precisão a data de sua expulsão daquela região pelos [[citas]], ainda não foram totalmente bem-sucedidas"<ref name=Britannica /> - estudos acadêmicos recentes utilizaram-se de documentos que datam de séculos antes de Heródoto, tais como relatórios feitos a Sargão, para apontar que estas obras situavam os cimérios a sul, e não a norte do Mar Negro.<ref name="Cozzoli 1968"/><ref name="Salvini 1984"/>
Algumas [[estelas de pedra ucranianas|estelas de pedra]] encontradas na [[Ucrânia]] e no norte do [[Cáucaso]] tiveram sua origem ligada à civilização ciméria. Essas [[estela (monumento)|estelas]] possuem um estilo claramente diferente das estelas tanto dos citas tardios como das dos primeiros [[Iamna]]s/[[Kemi-Oba]]s.
 
Acadêmicos dos séculos XIX e XX também se basearam nos relatos de Heródoto, porém as descobertas de ''[[Sir]]'' [[Austen Henry Layard|Henry Layard]] nos arquivos reais de [[Nínive]] e [[Calá]] permitiram o estudo de ainda mais material anterior (em muitos séculos) à obra do historiador grego.<ref>Deller, K. "Ausgewählte neuassyrische Briefe betreffend Urarṭu zur Zeit Sargons II.," in P.E. Pecorella e M. Salvini (ed.), ''Tra lo Zagros e l'Urmia. Ricerche storiche ed archeologiche nell'Azerbaigian Iraniano'', ''Incunabula Graeca'' 78 (Roma, 1984) 97–122.</ref> O registro arqueológico [[Assíria|assírio]] aponta que os cimérios, e a terra de [[Gamir]], localizavam-se a pouca distância de [[Urartu]] (um reino da [[Idade do Ferro]] cujo epicentro era ao redor do [[lago Van]], no [[Planalto Armênio]]), ao sul do Cáucaso.<ref name="Cozzoli 1968">{{citar livro | autor = Cozzoli, Umberto| título = I Cimmeri|ano = 1968|editora = Arti Grafiche Citta di Castello (Roma)|local = [[Roma]] | url=http://openlibrary.org/b/OL19361902M/Cimmeri.}}</ref><ref name="Salvini 1984">{{citar livro | autor = Salvini, Mirjo| título = Tra lo Zagros e l'Urmia: richerche storiche ed archeologiche nell'Azerbaigian iraniano| ano = 1984|editora = Ed. Dell'Ateneo (Roma)|local = [[Roma]] | url=http://openlibrary.org/b/OL13958629M/Tra-lo-Zagros-e-l%27Urmia}}</ref> Relatórios de inteligência militar de [[Sargão II]] do século VIII a.C. descrevem como os cimérios ocupavam territórios ao sul do [[Mar Negro]].<ref>{{citar livro | autor = Kristensen, Anne Katrine Gade| título = Who were the Cimmerians, and where did they come from?: Sargon II, and the Cimmerians, and Rusa I|ano = 1988|editora = [[Academia Real Dinamarquesa de Ciência e Letras]] | local = [[Copenhagen]]}}</ref>
 
== Registos históricos ==