Abrir menu principal

Alterações

368 bytes removidos ,  03h52min de 18 de março de 2014
Com base nas antigas fontes históricas gregas, presume-se uma associação [[Trácios|trácia]]<ref>{{citar livro|autor = Meljukova, A. I.|título = Skifija i Frakijskij Mir|ano = 1979|local = Moscou}}</ref><ref>[[Estrabão]] identifica os [[treres]] com os trácios em determinada altura de sua obra (13.1.8), e com os cimérios em outra (14.1.40)</ref> ou [[Celtas|celta]].<ref>[[Posidônio]]], em Estrabão (7.2.2).</ref> De acordo com o historiador alemão [[Carl Ferdinand Friedrich Lehmann-Haupt]], o idioma dos cimérios poderia ser um "elo perdido" entre o trácio e os idiomas iranianos.
 
==Arqueologia==
== Possíveis ramificações ==
*[[Cultura Koban]] (Norte do Cáucaso, séculos XII a IV a.C.)
Acredita-se que há certo número de ramificações com origem nos cimérios. Os [[Trácios]] foram identificados como um possível ramo ocidental daquele povo. Se Heródoto estiver correto, ambos os povos originalmente habitaram a costa norte do [[Mar Negro]], e ambos foram forçados a deixar a área ao mesmo tempo devido a invasores vindos do leste. Enquanto os cimérios haveriam abandonado sua pátria ancestral rumo ao leste e ao sul, através do [[Cáucaso]], os trácios haveriam migrado ao oeste e ao sul através dos [[Bálcãs]], onde estabeleceram uma cultura que floresceu, obtendo vida longa. Os [[Tauri]], habitantes da [[Crimeia]] que antecederam os cimérios, são às vezes identificados como um povo relacionado aos trácios.
*[[Cultura Cernogorovka]] (séculos IX a VIII a.C.)
*[[Cultura Novocerkassk]] (séculos VIII a VII a.C., entre o [[rio Danúbio]] e o [[rio Volga|Volga]])
 
==Linha do tempo==
Apesar de os cimérios de que se têm conhecimento via registos históricos terem seu lugar na [[história]] por um curto período de tempo ([[século VII a.C.]]), diversos povos celtas e germânicos mantêm a tradição de serem descendentes dos cimérios ou dos citas, e alguns de seus nomes étnicos parecem corroborar a crença (p.ex. Cymru, Cwmry ou [[Cumbria]], [[Cimbre]]). É pouco provável que o [[proto-celta]] ou o [[proto-germânico]] hajam alcançado a [[Europa]] tão tardiamente como o [[século VII a.C.]], uma vez que sua formação é comumente associada, respectivamente, à [[Campos de Urnas|cultura dos Campos de Urnas]] da [[Idade do Bronze]] e à [[Idade do Bronze Nórdica]]. Todavia, é concebível que uma migração "[[Traco-Cimério|traco-ciméria]]" de pequena escala (em termos populacionais) do [[século VIII a.C.]] possa ter resultado em mudanças culturais que contribuíram na transformação da cultura de Campos de Urna na [[cultura de Hallstatt]], sendo introduzida durante a [[Idade do Ferro]] europeia.{{carece de fontes}}
* 721–715 a.C. – [[Sargão II]] menciona uma terra chamada ''Gamirr'', próxima a [[Urartu]].
* 714 a.C. – suicídio de [[Rusas I de Urartu]], após ser derrotado pelos assírios e cimérios.
* 705 a.C. – Sargão II da Assíria morre durante uma expedição contra os ''Kulummu''.
* 695 a.C. – cimérios destroem a Frígia, morte do rei [[Midas]].
* 679/678 a.C. – ''Gimirri'', governados por ''Teushpa'', invadem a Assíria a partir de ''Hubuschna'' ([[Capadócia]]?). [[Assaradão]] da Assíria derrota-os em combate.
* 676-674 a.C. – cimérios invadem e destroem a Frígia, chegando à [[Paflagônia]].
* 654 ou 652 a.C. – [[Giges da Lídia]] morre durante combate contra os cimérios. [[Sárdis]] é saqueada; cimérios e [[treros]] saqueiam colônias [[Jônia|jônias]].
* 644 a.C. – cimérios ocupam Sárdis, porém logo a abandonam.
* 637-626 a.C. – cimérios são derrotados por [[Aliates II]].
* c. 515 a.C. – último registro histórico dos cimérios, na [[Inscrição de Behistun]], de [[Dario I da Pérsia|Dario da Pérsia]].
 
==Na ficção==
A etimologia de ''Cymru'' (termo [[Língua galesa|galês]] para o [[País de Gales]]) e de ''Cwmry'' ([[Cumbria]]), que, de acordo com a tradição galesa{{carece de fontes}}, deriva diretamente de "cimérios", é considerada, por uma outra corrente, como provinda do celta ''kom-broges'', que significa "compatriotas"{{carece de fontes}}. No que diz respeito à tribo [[Cimbre]], não se sabe ao certo se eram celtas, germânicos ou se algum outro povo, provindo dum grupo Indo-Europeu Ocidental anterior conectado aos [[Lígures]]. Além disso, os reis [[Merovíngios]] dos [[francos]] tradicionalmente traçavam sua linhagem, passando por uma tribo pré-franca chamada [[Sicambre]], chegando, fundamentalmente, a um grupo de "cimérios" que viviam na boca do [[rio Danúbio]].{{carece de fontes}}
{{principal|Ciméria (Conan)}}
O escritor [[Estados Unidos|americano]] [[Robert E. Howard]] utilizou o nome de "[[Ciméria (Conan)|Ciméria]]" e "cimérios" para descrever o povo do qual seu personagem mais conhecido, [[Conan, o Bárbaro]], seria um descendente. O povo retratado nos livros de Conan apresentam apenas uma semelhança leve com os cimérios históricos, e Howard jamais alegou qualquer precisão histórica ao retratá-los.
 
O episódio 10 da série de [[ficção científica]] ''[[Stargate]]'' se passa no [[planeta]] Cimmeria (P3X-974), um planeta habitado por descendentes de [[vikings]] - o que faz com que estes "cimérios" tenham ainda menos semelhança ainda com os cimérios históricos (ver [[Cimérios (Stargate)]]).
Se os citas realmente mantêm parentesco com os cimérios, como foi-se frequentemente exposto, muitos outros povos que reivindicam descendência cítica poderiam ser adicionados à lista.
 
O uso da língua e da história ciméria é mencionado e ocupa uma posição metafórica central à natureza apócrifa do progresso na trama do [[romance]] ''[[Se una notte d'inverno un viaggiatore]]'', do escritor [[Itália|italiano]] [[Italo Calvino]]. O idioma é descrito pelos personagens de Calvino como antigo e conhecido apenas por alguns poucos e seletos indivíduos, e sua utilização em escritos era alvo de [[Teoria de conspiração|teorias de conspiração]].
A associação dos cimérios a uma das [[Tribos Perdidas de Israel]] também desempenhou certo papel no [[Israelismo Britânico]].{{carece de fontes}}
 
==Ver também==
*[[Traco-cimérios]]
*[[Gauleses#História|Kymris]]
 
== {{Ver também}} ==