Abrir menu principal

Alterações

62 bytes adicionados ,  16h23min de 19 de março de 2014
No [[Rio de Janeiro]] (por ter sido o estado mais importante do final do [[Brasil Colônia]], do [[Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves]], do [[Brasil Império]], e da [[Proclamação da República do Brasil|República]], até a fundação de [[Brasília]] em [[1960]], e a sua capital a mesma do estado [[homônimo]] e simultaneamente a do [[Brasil]], por quase todo esse período) a influência das famílias proprietárias dos solares dessa região alcançava geralmente todo o território nacional, o que já não acontecia nas demais [[província]]s.
 
Os solares desse estado estão dividosdivididos entre [[Petrópolis]] e a [[Rio de Janeiro (cidade)|cidade do Rio de Janeiro]], entre algumas exceções.
No final do [[Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves]] e no [[Primeiro Reinado]] do [[Império do Brasil]] (1822-1889), essas propriedades eram construídas em [[Salvador (Bahia)|Salvador]] e na [[Rio de Janeiro (cidade)|cidade do Rio]], principalmente no [[São Cristóvão (bairro do Rio de Janeiro)|bairro de São Cristóvão]] e a maioria de seus proprietários detinham títulos de [[nobreza]].
 
Na época do [[Segundo Reinado]] do Império do Brasil (1822-1889) e início da [[República do Brasil|República]], os solares mais [[luxo|luxuosos]], pertenciam na sua maioria, às famílias [[Nobreza do Império do Brasil|nobres brasileiras]], a algumas [[celebridade]]s e [[nobre]]s estrangeiros, e localizavam-se em [[Petrópolis]].
Por volta de 1920 ou 1930, alguns casarões começaram a ser construídos em [[Copacabana]], até lotarem quase todo o bairro e seu entorno com magníficas residências. Algumas [[celebridade]]s internacionais, alguns [[nobre]]s de outros países e [[empresário]]s multimilionários dos [[Estados Unidos]] e [[Canadá]], adquiriram propriedades nessa área juntamente com as famílias mais influentes e ricas do país, portanto, ainda membras da antiga aristocracia brasileira e alguns poucos [[empresário]]s ou [[comerciante]]s muito abastados.
Algumas [[celebridade]]s internacionais, alguns [[nobre]]s de outros países e [[empresário]]s multimilionários dos [[Estados Unidos]] e [[Canadá]], adquiriram propriedades nessa área juntamente com as famílias mais influentes e ricas do país, portanto, ainda membras da antiga aristocracia brasileira e alguns poucos [[empresário]]s ou [[comerciante]]s muito abastados.
 
Como taltais existem então no Brasil alguns reconhecidos solares como o [[Solar dos Andradas]] na [[São Paulo (cidade)|cidade de São Paulo]], o [[Solar Palmeiro]] em [[Porto Alegre]], o solar dos [[Matarazzo]] em [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], o solar dos "Simões Lopes", também chamado de Castelo Simões Lopes, em [[Pelotas]], o [[Solar da Marquesa de Santos]] em São Paulo, o [[Solar do Jambeiro]] em [[Niterói]], o [[Solar do Visconde de Indaaiatuba]] em [[Campinas]], entre outros.
 
==Significado em Portugal==