Diferenças entre edições de "Mitologia maia"

82 bytes adicionados ,  21h35min de 24 de março de 2014
m (Foram revertidas as edições de 177.148.186.242 para a última revisão de Baseador, de 19h35min de 25 de agosto de 2013 (UTC))
* ''[[Chacxulubchen|As crônicas de Chacxulubchen]]'' é outro texto importante para a compreensão da mitologia maia.
 
== O Popol Vuh (Povo vaga.bundo e desgra.çado) ==
{{AP|[[Popol Vuh]]}}
A história maia da criação dos [[quiché]] é o ''Popol Vuh''. Neste se descreve a criação do mundo a partir do nada pela vontade do panteão maia de deuses. O homem foi criado da lama sem muito sucesso, posteriormente se cria ao homem a partir de madeira com resultados igualmente infrutuosos, depois dos dois fracassos se cria o homem em uma terceira tentativa, esta ocasião a partir do milho e se lhe atribuem tarefas que elogiaram a deuses: [[ferraria|herrero]], cortador de gemas, [[talhador]] de pedras, etc. Alguns acham que os maias não apreciavam a arte por si mesmo, mas todos seus trabalhos eram para exaltação dos deuses.
Depois da história da criação, o ''Popol Vuh'' narra as aventuras dos heróis gêmeos legendários, [[Hunahpú]] e [[Ixbalanqué]], que consistiram em derrotar aos Senhores de Xibalbá, do mundo terrenal. Estes são dois pontos focais da mitologia [[maia]] e a miúdo se encontraram representados em arte maia.
 
== Mito da criação segundo os maias e seus pa.is ==
 
Na mitologia maia, Tepeu e Gucumatz (o [[Quetzalcoatl]] dos [[astecas]]) são referidos como os criadores, os fabricantes, e os antepassados. Eram dois dos primeiros seres a existir e se diz que foram tão sábios como antigos. Huracán, ou o ‘coração do céu', também existiu e se lhe dá menos personificação. Ele atua mais como uma tempestade, da qual ele é o deus.
== Deuses notáveis ==
[[Ficheiro:AhPuch.jpg|thumb|200 px|''[[Ah Puch]], no Códex de Dresden'']]
=== Três primeiros deuses criadores do brio..co ===
Estes realizaram a primeira tentativa da criação do homem a partir da lama, no entanto em breve viram que seus esforços desembocaram no fracasso, já que suas criações não se sustentavam por ser um material muito suave.
 
# [[Tepeu]]: Na mitologia maia, foi [[deus]] do [[céu]] e um dos deuses criadores que participou das três tentativas de criar a humanidade.
 
=== Os sete segundos deuses criadores do pin..to ===
Estes deuses que realizaram a segunda tentativa de achem ao homem a partir da madeira, mas este não possuía nenhuma alma
# [[Alom]]
# [[Tzacol]]
 
=== Os treze últimos deuses criadores da pepe..ca ===
<!-- [[Imagen:Estela de Madrid (Museo de América) 01.jpg|thumb|140px|right|<small>'''[[Bacab]]''' en un bajorrelieve procedente de [[Zona arqueológica de Palenque|Palenque]], en el [[Museo de América]] de [[Madrid]] ([[España]]).</small>]]
Estos realizaron el tercer intento de construir la humanidad a partir de [[maíz]] y finalmente lograron obtener éxito donde los otros dioses habían fracasado.
Se podem encontrar referências aos [[Bacabs]] nos escritos do historiador do Século XVI [[Diego de Landa]] e nas histórias maias colecionadas no Chilam Balam. Em algum momento, os irmãos se relacionaram com a figura de Chac, o deus maia da chuva. Em Yucatán, Chan Kom se refere aos quatro pilares do céu como os quatro Chacs. Também acredita-se que que foram deuses jaguar, e que estão relacionados com a [[apicultura]]. Como muitos outros deuses, os Bacabs eram importantes nas cerimônias de adivinhações, e eram consultados a respeito de grãos, clima e até a saúde das [[abelha]]s, uma vez que eram deuses da [[apicultura]] também.
 
== Os Senhores dedos Xibalbápeit..os ==
[[Xibalbá]] é o perigoso inframundo habitado pelos senhores malignos da mitologia maia. Se dizia que o caminho para esta terra estava infestado de perigos, era escarpado, espinhoso e proibido para os estranhos. Este lugar era governado pelos senhores demoníacos Vucub-Camé e Hun-Camé. Os habitantes de Xibalbá eram treze:
 
Utilizador anónimo