Diferenças entre edições de "Alcácer Quibir"

92 bytes adicionados ,  17h13min de 14 de abril de 2014
m
sem resumo de edição
m (Reversão de uma ou mais edições de Tomasbarao para a versão 34464957 de Legobot (D. Sebastião já está linkado um par de linhas acima), com Reversão e avisos.)
m
[[Ficheiro:Images325 CP Maroc, El-Ksar, Alcacer Quibir. Vue panoramique.jpg|thumb|300px|Vista panorâmica de partes do castelo, c. 1900.]]
 
'''Alcácer-Quibir''' (em [[língua árabe|árabe]], القصر الكبير, ''[[alcácer|al-qasr]] al-kebir'', «grande fortaleza») é uma cidade situada nona zona setentrional de [[Marrocos]] Setentrional, a Sudoestesudoeste de [[Arzila (Marrocos)|Arzila]] e de [[Larache]].
 
==História==
Entre [[1471]] e [[1550]], período durante o qual Arzila pertenceu à [[Lista de reis de Portugal|Coroa de Portugal]], Alcácer-Quibir constituiu a base principal dos ataques que os marroquinos desferiramdesferiam contra esta praça e contra [[Tânger]]. Decidido a intervir em Marrocos, [[Sebastião de Portugal|D. Sebastião]] quis aproveitar-se das divisões internas que assolavam a região para se apoderar da cidade. A expedição fora mal preparada e sucumbiu perante as forças marroquinas em [[1578]].
 
A morte de D. Sebastião sem herdeiro fez passar a coroa de Portugal para seu tio-avô, o [[Henrique I de Portugal|cardeal D. Henrique]], e a morte deste último, em [[1580]], viria a ter como consequência a entrega do trono de Portugal a [[Filipe II de Espanha]], que era neto materno do rei [[D. Manuel I]] de Portugal (bisavô de D. Sebastião). Além do mais, o reino foi gravemente empobrecido pelos resgates que foi preciso pagar para reaver os cativos.
 
=={{Ver também}}==
1 274

edições