Diferenças entre edições de "Olivina"

25 bytes removidos ,  16h19min de 20 de abril de 2014
m
m
A olivina apresenta-se geralmente com cor verde-oliva (daí o seu nome) ou amarelo-claro, apesar de poder apresentar uma cor avermelhada devido à [[oxidação]] do ferro. Tem fratura concoidal, sendo bastante friável. A sua [[Escala de Mohs|dureza]] é igual a 6.5-7, com peso específico 3.27-3.37 e lustre vítreo. Pensa-se que a cor verde seja devida à presença de pequenas quantidades de [[níquel]]. O hábito das olivinas é normalmente granular e maciço.
 
A olivina transparente é por vezes usada como [[gema]] em [[joalharia]], sendo geralmente designada como '''[[perídotoperidoto]]'''. Tambémou, por vezes, chamada '''[[crisólito]]'''. As melhores amostras de olivina de qualidade gemológica têm sido obtidas de um jazigo constituído por rochas do manto, na ilha [[Ilha Zabargad]], no [[Mar Vermelho]].
 
A olivina ocorre em [[rocha ígnea|rochas ígneas]] [[máfico|máficas]] e [[ultramáfico|ultramáficas]] e ainda como mineral primário em algumas [[rocha metamórfica|rochas metamórficas]] pois cristaliza a partir de [[magma]] rico em magnésio e pobre em [[sílica]], o qual dá origem à formação de rochas máficas e ultramáficas, como [[gabro]], [[basalto]], [[peridotito]] e [[dunito]]. A olivina ou as suas variantes estruturais de alta pressão constituem cerca de 50% do manto superior, tornando a olivina um dos minerais mais comuns do planeta, em volume. O [[metamorfismo]] de [[dolomita|dolomite]] impura ou de outras [[rocha sedimentar|rochas sedimentares]] com alto teor de magnésio e baixo teor de sílica, pode produzir forsterite.