Diferenças entre edições de "Dietrich Eckart"

2 bytes adicionados ,  19h18min de 21 de abril de 2014
m
m
Eckart começou por estudar medicina em [[Munique]], mas desistiu em 1891, começando a trabalhar como poeta, autor dramático e jornalista. Mudou-se para Berlim em 1899, onde escreveu várias peças, muitas vezes com traços autobiográficos. No entanto, apesar de ser um protegido de [[Graf Georg von Hülsen-Haeseler]], o director artístico dos teatros reais, ele nunca foi um dramaturgo famoso, um falhanço pelo que ele culpou a sociedade.
 
Mais tarde, ele desenvolveu uma ideologia de um "géniogenio humano superior", baseada nos escritos de [[Lanz von Liebenfels]]; ele viu-se na tradição de [[Arthur Schopenhauer]] e [[Angelus Silesius]], e também se fascinou pelas crenças maias, mas nunca teve nenhuma simpatia pelo método científico. Eckart também amava e identificava-se profundamente com o [[Peer Gynt]] de [[Henrik Ibsen]].
 
De regresso a Munique, Eckart juntou-se à [[Sociedade Thule]] (um grupo de direita) em 1913 e tornou-se politicamente activoativo. Em 1915, escreveu a peça nacionalista "Heinrich der Hohenstaufe" ("Heinrich do alto Baptismo"), na qual ele postulava o direito ao domínio do mundo pelo povo Alemão.
 
Mais tarde, entre 1918 e 1920, Eckart foi o editor da revista anti-semita "Auf gut Deutsch" (em bom alemão), que ele publicou com a ajuda de Alfred Rosenberg e [[Gottfried Feder]]. Um feroz crítico da recentemente formada [[República de Weimar]], ele opôs-se veementemente contra o [[tratado de Versalhes]], que ele viu como traição e propagandeou a chamada "Dolchstoßlegende", de acordo com a qual os sociais democratas e os [[judeus]] eram os culpados pela derrota da Alemanha na [[Primeira Guerra Mundial]].
 
Eckart esteve envolvido na fundação do "Deutsche Arbeiterpartei" (Partido dos trabalhadores Alemães), juntamente com Gottfried Feder e Anton Drexler em 1919, que mais tarde se passaria a chamar "Nationalsozialistische deutsche Arbeiterpartei" ([[NSDAP]]) (Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores); ele criou e publicou o jornal do partido NSDAP, o "Völkischer Beobachter" (observador do povo) e também escreveu o texto da canção "Deutschland erwache" (Alemanha acorda), que se tornou o hino do partido [[Nazi]].