Abrir menu principal

Alterações

11 bytes removidos ,  20h04min de 29 de abril de 2014
m
Foram revertidas as edições de 177.41.236.186 para a última revisão de 179.187.35.14, de 18h04min de 26 de abril de 2014 (UTC)
|local_nascimento=[[Simão Dias]], [[Sergipe]]
|data_morte ={{morte|2|12|2013|11|3|1960}}
|local_morte =[[São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[São Paulo|SP]]
|alma_mater =[[Universidade Federal de Sergipe]]
|partido =[[Partido dos Trabalhadores]]
|profissão =[[Advogado]]
|primeira-dama =Eliane Aquino
}}
'''Marcelo Déda Chagas''' ([[Simão Dias]], [[11 de março]] de [[1960]] — [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[2 de dezembro]] de [[2013]]) foi um [[advogado]] e [[política|político]] [[brasileiro]] filiado ao [[Partido dos Trabalhadores]] (PT). Com carreira política em seu estado natal, [[Sergipe]], ele foi [[deputado estadual]] e [[deputado federal|federal]]. Em [[2000]] foi eleito [[prefeitura (Brasil)|prefeito]] de [[Aracaju]], cargo que ocupou de [[2001]] até [[2006]], quando renunciou para disputar o governo estadual. Elegeu-se governador de Sergipe naquele ano e foi reeleito em [[2010]], cargo que ocupou até sua morte.
 
== Família, infância e juventude ==
Marcelo Déda Chagas nasceu no município de [[Simão Dias]], extremo oeste do estado de [[Sergipe]], em [[11 de março]] de [[1960]]. EraÉ o caçula dos cinco filhos do casal Manoel Celestino Chagas e Zilda Déda Chagas. De origem humilde, o pai de Marcelo saiu de sua terra natal [[Paripiranga]], na [[Bahia]], para se estabelecer na cidade vizinha de Simão Dias, já em território sergipano. Assumiu a função de soldado antes de conhecer Zilda Déda, ''"filha mais velha de José de Carvalho Déda, homem de classe média, sem fazenda e sem propriedades, mas um pai da [[década de 1940]], que não queria a filha casada com um soldado de polícia"''. Essa falta de apoio do pai de Zilda não impediu a concretização do casamento. Antes, Manoel Celestino, que havia concluído apenas o curso primário, ingressou no serviço público e passou a ser funcionário do fisco estadual; morava e trabalhava numa pequena casa à beira da rodovia, próximo à divisa entre Sergipe e Bahia, onde ''"tomava conta de [[Corrente metálica|corrente]] nos postos de fronteira"'' para controlar a passagem de veículos.<ref>{{citar web|url=http://governo-se.jusbrasil.com.br/politica/7621711/deda-exalta-trajetoria-de-vida-de-seu-pai-ao-homenagea-lo-antes-do-sepultamento |título=Déda exalta trajetória de vida de seu pai ao homenageá-lo antes do sepultamento |autor=|data=|publicado=JusBrasil|acessodata=}}</ref><ref>{{citar web|url=http://www.agencia.se.gov.br/institucional/governoleitura/materia:1054/marcelo_deda_chagas.html |título=Governador Marcelo Déda Chagas |autor=|data=|publicado=Agência Sergipe de Notícias |acessodata=06/10/2011 }}</ref><ref>{{citar web|url=http://www2.jornaldacidade.net/noticias_ver.php?id=13939 |título=Morre o pai do Governador Marcelo Déda |autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
Seus primeiros estudos se dão no Grupo Escolar Fausto Cardoso, em Simão Dias, sua terra natal. Em 1973 sua família muda-se para [[Aracaju]] onde instala-se no tradicional bairro [[São José (Aracaju)|São José]]. No mesmo bairro matricula-se no Colégio Estadual Atheneu Sergipense, formador de vários intelectuais e personalidades de Sergipe. Sua militância política teve início no Movimento Secundarista.
Em [[1985]], acontecem as eleições para prefeito em Aracaju após a redemocratização e à época saiu candidato. A campanha decolou e Marcelo Déda conquistou o segundo lugar nas urnas com aproximadamente 19 mil votos, perdendo para [[Jackson Barreto]] do [[PMDB]], na época apoiado pelo então prefeito [[José Carlos Teixeira]], também do [[PMDB]] e pelo então governador de [[Sergipe]], [[João Alves Filho]] .
 
Tentando reobter o sucesso da eleição de [[1986]], em que fora eleito deputado estadual, lança-se novamente em [[1988]] como candidato à Prefeitura de Aracaju. Inicia a campanha com 39% de preferência nas pesquisas, mas a campanha não decola e ele acaba em terceiro lugar com apenas 8% dos votos válidos, atrás de [[Wellington Paixão]] do [[PSB]] e [[Lauro Maia]] do [[PFL]], respectivamente primeiro e segundo colocado.<ref>http://www.infonet.com.br/adiberto/ler.asp?id=129208</ref>
 
Em 26 de maio de 2000, Marcelo Déda, na época um dos mais atuantes deputados federais do Brasil, ingressa no processo eleitoral como candidato a prefeito de Aracaju, sendo um dos últimos colocados nas pesquisas. Durante os três meses de campanha, Déda começou a colecionar saltos nas pesquisas, ganhando a eleição ainda no primeiro turno, com 52,80% dos votos válidos, ao lado do então vice-prefeito Edvaldo Nogueira.
 
== Destaques de sua carreira política ==
Sua trajetória política tem como pontos marcantes a sua candidatura a prefeito de Aracaju em [[1985]]. Na época, ainda na casa dos vinte e poucos anos, desafiou nomes fortes da política [[Sergipe|sergipana]], como [[Jackson Barreto]] e [[Gilton Garcia]]. Ficou em segundo lugar, mas se credenciou para a disputa de uma vaga na assembléia legislativa do estado, pouco depois.
 
Na prefeitura de Aracaju, revitalizou toda a cidade, construiu e reformou vários postos de saúde, criou dois novos hospitais, construiu várias novas avenidas, o bairro Santa Maria(antiga Terra Dura) e planejou a construção do novo viaduto do DIA, uma grande obra de integração de vários bairros de Aracaju, além de transformar o Forró Caju em um dos maiores festejos juninos do país. Durante seu governo, Aracaju, foi considerada a capital com a melhor qualidade de vida do país, superando até Curitiba, que tinha até então, o título de melhor cidade do Brasil junto com Brasília.
{{Governadores de Sergipe}}
 
{{Portal3|Sergipe|Brasil|Política|Biografias}}
 
[[Categoria:Naturais de Simão Dias]]
154 853

edições