Abrir menu principal

Alterações

13 bytes removidos ,  20h34min de 23 de maio de 2014
correções ortográficas e gramaticais
o
{{Cinema}}
{{PEPB|Argumentista''', '''guionista|roteirista}} é quem escreve o [[roteiro]] (guião ou argumento, em [[Portugal]]) de um [[filme]], programa de televisão ou [[Roteiro de quadrinhos|HQ/banda desenhada]].
# ''[[The Godfather: Part II]]'' (br: ''O Poderoso Chefão II''), de [[Mario Puzo]] e [[Francis Ford Coppola]] (1974)
 
Os roteiristas que tiveram mais filmes escolhidos entre os cento e um nomeados, com quatro cada um, foram [[Woody Allen]], Francis Ford Coppola e [[Billy Wilder]]. Com três nomeações cada, ficaram [[Charlie Kaufman]], [[William Goldman]] e [[John Huston]].<ref name=bbc/>
 
=== Movimentos paredistas em Hollywood ===
No ano de [[1988]] uma greve de roteiristas gerou um prejuízo de quinhentos milhões de [[dólar americano|dólares]] à indústria filmográfica.<ref name=fsp1>{{citar notícia|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u371525.shtml|titulo=Greve de roteiristas causou prejuízo de US$ 2 bilhões, diz estudo|primeiro=Folha Online|data=12/2/2008|obra=[[Folha de São Paulo]]|acessodata=15/05/2010}}</ref>
 
No dia [[5 de novembro]] de [[2007]], o sindicato dos roteiristas dos [[EUA|Estados Unidos]] - [[Writers Guild of America]] (WGA) - entrou em [[greve]] por tempo indeterminado, prejudicando as gravações de filmes e [[série de televisão|seriados televisivos]], como [[Lost (série de televisão)|Lost]], [[24 (série)|24 Horas]] e [[Law & Order: Criminal Intent|Lei & Ordem]].<ref name=fsp>{{citar notícia|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u342621.shtml|titulo=Roteiristas de Hollywood entram em greve por tempo indeterminado|primeiro=Folha Online|data=5/11/2007|obra=[[Folha de São Paulo]]|acessodata=15/05/2010}}</ref>
 
Dentre as reivindicações, estavam apediam participação maior nos lucros da venda de filmes em [[DVD]]s e na [[internet]] e novos meios de midiamídia.<ref name=fsp/> Após cem dias de paralisação, os prejuízos estimados foram de cerca de dois bilhões de dólares - 733 milhões das despesas diretas e 1,3 bilhão de perdas na prestação de serviços. A greve chegou mesmo a ameaçar a realização do [[Oscar 2008]].<ref name=fsp1/>
 
No dia 13 de fevereiro de 2008, finalmente o sindicato celebrou um acordo com a [[Aliança de Produtores de Cinema e Televisão]] (AMPTP), pondo fim à paralisação com a vitória da categoria.<ref name=fsp1/>
 
== No Brasil ==
Segundo o escritor [[Robert McKee]], que trabalha como consultor de roteiros em Hollywood, durante visita ao Brasil como palestrante, em maio de 2010, o país não possui escritores para o cinema. Os bons filmes que eventualmente são feitos no país são, em geral, adaptações de romances, e a categoria é desunida por não possuir um [[sindicato]] que promova sua união. Questinado sobre o financiamento oficial à produção cinematográfica, McKee (especialista, autor da obra teórica sobre o tema - "''Story''") revelou desconhecer a situação local, mas citou o exemplo [[Suíça|suíço]], que também possui o financiamento estatal e não produz filmes sobre o "corrupto sistema bancário" do lugar. Acentuou, ainda, que os roteiristas brasileiros ou são "covardes", se estiverem submissos ao sistema político, ou "preguiçosos", por não lutarem por financiamento privado.
 
Alguns filmes brasileiros cujo(longas) tiveramcujos roteiros foram muito bem recebidos foram os longas: Cidade de Deus (2002) de Fernando Meirelles, Tropa de Elite (2008) de José Padilha; e o curta, que ainda irá ser estreado:estrear, Tocaia (2014) de Abelly Cristyne e Adson Queiroz, escrito por Ari Santos.<ref name="fsp2" />
 
{{referências}}
Utilizador anónimo