Diferenças entre edições de "Casa da Suplicação"

22 bytes adicionados ,  13h17min de 24 de maio de 2014
sem resumo de edição
Nas [[Ordenações Afonsinas]] o tribunal supremo de Portugal ainda é designado por '''Casa da Justiça da Corte'''. Mais tarde, sob a influência do [[direito romano]], passou a designar-se '''Casa da Suplicação'''. Foi sendo progressivamente estruturado atendendo às matérias, nomeadamente cível e crime.
 
Sob D. [[João I de Portugal]], foi criado o cargo de '''''Regedor das justiças''' da Casa da Suplicação'' e de '''''Regedor''' e governador'''Governador''' da [[Casa do Cível de Lisboa]]''. No dia da "festa do Espírito Santo" de [[1566]] foi feito e assinado o compromisso e regimento da Confraria do Espírito Santo da Casa da Suplicação, registado no livro 6 da Casa da Suplicação.
 
Por carta régia de [[27 de Julho]] de [[1582]], [[Filipe I de Portugal]] extinguiu a Casa do Cível de Lisboa e deu regimento à Casa da Suplicação, que fixou na capital, tendo ficado com as competências da Casa do Cível. Em [[1584]] a Casa da Suplicação estava situada na Ribeira.