Diferenças entre edições de "Engenharia social (segurança)"

21 bytes adicionados ,  15h20min de 31 de maio de 2014
adicionado informações faltantes
(adicionado informações faltantes)
'''Exemplos de locais:'''
 
* Feiras livres: A engenharia social involuntária é frequente nas feiras livres e em faelz em desconfiamos da qualidade, da validade, do preço, usamos a engenharia social involuntária para obtermos informações que nos favoreça diretamente, esta forma de praticar a engenharia social involuntária é avaliada como traço comportamental.
 
* Televisão: O meio mais eficaz para se produzir em grande massa engenharia social. Diretamente ao espetador, manipula-se a consciência, por indução de imagens, músicas e palavras, já provadas com o nome de mensagens subliminares (embora o termo "mensagem subliminar" não seja o mais adequado a esses casos, mas sim, persuasão). Assim são conduzidas atitudes, como as acima descritas.
* '''Vírus que se espalham por e-mail'''
 
Criadores de [[vírus]] geralmente usam [[e-mail]] para a propagar de suas criações. Na maioria dos casos, é necessário que o usuário ao receber o e-mail execute o arquivo em anexo para que seu computador seja contaminado. O criador do vírus pensa então em uma maneira de fazer com que o usuário clique no anexo da cidade. Um dos métodos mais usados é colocar um texto que desperte a curiosidade do usuário. O texto pode tratar de sexo, de amor, de notícias atuais ou até mesmo de um assunto particular do internauta. Um dos exemplos mais clássicos é o vírus I Love You, que chegava ao e-mail das pessoas usando este mesmo nome. Ao receber a mensagem, muitos pensavam que tinham um(a) admirador(a) secreto(a) e na expectativa de descobrir quem era, clicavam no anexo e contaminam o computador. Repare que neste caso, o autor explorou um assunto que mexe com qualquer pessoa.
Alguns vírus possuem a característica de se espalhar muito facilmente e por isso recebem o nome de worms (vermes). Aqui, a engenharia social também pode ser aplicada. Imagine, por exemplo, que um worm se espalha por e-mail usando como tema cartões virtuais de amizade. O internauta que acreditar na mensagem vai contaminar seu computador e o worm, para se propagar, envia cópias da mesma mensagem para a lista de contatos da vítima e coloca o endereço de e-mail dela como remetente. Quando alguém da lista receber a mensagem, vai pensar que foi um conhecido que enviou aquele e-mail e como o assunto é amizade, pode acreditar que está mesmo recebendo um cartão virtual de seu amigo. A tática de engenharia social para este caso, explora um assunto cabível a qualquer pessoa: a amizade.
 
Utilizador anónimo