Diferenças entre edições de "João de Barros"

1 449 bytes removidos ,  00h29min de 17 de junho de 2014
m
Foram revertidas as edições de 213.30.22.158 para a última revisão de Leosls, de 02h09min de 18 de maio de 2014 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 213.30.22.158 para a última revisão de Leosls, de 02h09min de 18 de maio de 2014 (UTC))
Regressado a [[Lisboa]] em [[1532]], o rei designou-o como feitor das casas da Índia e da Mina - uma posição de grande destaque e responsabilidade, numa Lisboa que era então um [[empório]], a nível europeu, para todo o comércio estabelecido com o oriente. ''João de Barros'' provou ser um administrador bom e desinteressado, algo raro para a época, como demonstra o surpreendente facto de ter amealhado pouco dinheiro com este cargo (quando os seus antecessores haviam adquirido grandes fortunas).
 
Casou com Maria de Almeida, de quem teve cinco filhos e três filhas.
Casou com Maria de Almeida, 3.ª Senhora da Quinta de São Lourenço, em Santiago de Litém, Pombal, filha de Diogo de Almeida, nascido c. 1479, [[Escrivão]] do Armazém de Lisboa e 2.º Senhor da Quinta de São Lourenço, em Santiago de Litém, Pombal, e sua Capela na Igreja Matriz,<ref>«Um cavaleiro muito honrado em Pombal» (FA), escrivão do Armazém de Lisboa e senhor da quinta de São Lourenço, em Santiago de Litém (Pombal). Esta quinta é chamada «granja do alitem» num tombo de 1508 e era prazo da comenda de São Martinho de Pombal da Ordem de Cristo, em cujo cartório se diz que «esta granja traz ora emprazada diogo dalmeida scrivam do almazem de lixbooa», por prazo de duas vidas feito pelo rei, em que ele e sua mulher Catarina Coelho seriam a primeira e o que sobrevivesse poderia nomear a segunda, «por foro de doze dobras douro das de castella e duas galinhas e huuã duzia dovos». Na margem está escrito: «Trala agora Jº de barros feytor da casa da India genrro deste dº dalmeida p(er) aforam.to novo q lhe fez el Rey dom Jº nosso sõr p(er) cõta propria pensão se(m) mais acrecentam.to e(m) tres p.as de q elle e sua molher são a prim.ra».</ref> e de sua mulher Catarina Coelho, irmã de Lourenço de Cáceres, a quem foi encomendada a História da Índia, incumbência em que sucedeu seu sobrinho por afinidade João de Barros.<ref>[[Manuel Eduardo Maria Machado de Abranches de Soveral]], ''Ascendências Visienses'', Porto, 2004</ref> Dela teve cinco filhos e três filhas.
 
=== Expedição ao Brasil ===
155 209

edições