Diferenças entre edições de "Pólen"

7 bytes removidos ,  07h40min de 27 de junho de 2014
m
Substituindo predef depreciadas, replaced: {{Ligações externas}} → Ligações externas
(bot: revertidas edições de 177.98.115.44 ( modificação suspeita : -70), para a edição 35846413 de Matheus Faria)
m (Substituindo predef depreciadas, replaced: {{Ligações externas}} → Ligações externas)
 
== Estrutura e formação do pólen ==
Os grãos de pólen são produzidos por [[meiose]] no [[microsporângio]] das [[plantae|plantas]] [[angiospermas]], que é o [[estame]], ou a [[escama (botânica)|escama]] [[masculino|masculina]] das [[gimnospérmica]]s.
 
Cada grão de pólen é um [[gametófito]] que contém dois [[núcleo celular|núcelos]] [[haplóide]]s, um maior que corresponde a uma [[célula]] [[vegetativo|vegetativa]] e outro menor que irá formar os gametas, que irão [[fecundação|fecundar]] a [[oosfera]] e célula média, gametas femininos encerrados dentro do óvulo.
 
== Polinização ==
A transferência dos grãos de pólen dos [[Órgão (anatomia)|órgãos]] onde são produzidos até à estrutura [[reprodução|reprodutiva]] [[feminino|feminina]] (o [[carpelo]] das [[angiospérmica]]s ou a [[escama (botânica)|escama]] feminina das [[gimnospérmica]]s) chama-se '''[[polinização]]'''.
 
Durante o processo [[evolução|evolutivo]], as [[plantae|plantas]] desenvolveram várias estratégias [[reprodução|reprodutivas]], para assegurar a sua multiplicação e [[colónia|colonização]] dos [[habitat]]es. As [[espermatófita]]s, ou seja, as plantas que produzem [[flor]]es, apresentam várias modalidades de polinização como estratégias reprodutivas:
[[Alergia]] ao pólen é chamada [[febre do feno]]. Geralmente grãos de pólen que causam alergias são aqueles de plantas anemófilas, que produzem [[grão]]s leves de pólen em grande quantidade para serem dispersos pelo [[vento]], e subsequentemente penetram as vias nasais humanas através da respiração. Plantas anemófilas geralmente tem [[flor]]es imperceptíveis, ou seja, não são chamativas. Plantas entomófilas produzem pólen que é relativamente pesado e pegajoso, para dispersão através de insetos polinizadores.
 
Frequentemente, nos [[Estados Unidos]], pessoas falsamente culpam a flor entomófila "goldenrod" (''Ambrosia trifida'') pelas alergias. O pólen dessa flor não é levado pelo ar, somente há um caminho para que ele alcance as vias nasais: seria retirá-lo da flor e colocá-lo nas cavidades nasais. No fim do [[verão]] e [[outono]] alergias causadas por pólens são geralmente por [[erva-de-Santiago]], uma comum flor anemófila e não atrativa. O estado do [[Arizona]] foi considerado como um lugar seguro para pessoas alérgicas ao pólen, pois erva-de-Santiago não cresce no [[deserto]]. Entretanto, com [[subúrbio]]s crescendo e a população começando a cultivar [[gramado]]s irrigados e [[jardim|jardins]], a erva-de-Santiago estabeleceu-se com segurança e o Arizona perdeu seu status de isento da febre do feno. Exemplos de plantas anemófilas são o [[carvalho]], a [[hicória]] (noz americana) e a [[noz-pecã]]; e no início do verão a grama também pode causar alergia. Flores cultivadas são frequentemente mais entomófilas e não causam alergia.
 
A "doença do secamento do painel de sangria" (cessamento da extração do [[látex]]) da árvore da [[borracha]] também pode ser causada por [[vírus]] transmitido por grãos de pólen."
O pólen é vendido como um suplemento nutricional, comercializado como "pólen de [[abelha]]". Neste caso o pólen pode ser adicionado de enzimas presentes na saliva da abelha, que transformam o pólen em uma massa de maior valor nutricional. Existe também o [[pão de abelha]], que é o pólen coletado dentro da colmeia, nos [[opérculos]], onde já se transformou em um outro produto de altíssimo valor nutricional, devido à ações enzimáticas. O [[pólen apícola]] e o Pão de Abelha possuem todos os aminoácidos essenciais ao ser humano.
 
== {{Ligações externas}} ==
[http://www.geo.arizona.edu/palynology/polkey.html Univ.Arizona - PALINOLOGIA]
 
61 123

edições