Diferenças entre edições de "Caligrafia árabe"

119 bytes adicionados ,  16h15min de 6 de julho de 2014
''naskhi'' e não ''nashki''
(→‎{{Âncora|Cúfico}}{{Âncora|Nashki}} Cúfico e Nashki: Cufa, Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa, Adalberto Alves)
(''naskhi'' e não ''nashki'')
A história da [[Tipologia (tipografia)|tipologia]]/caligrafia conheceu um divisor de águas com o advento do [[Islã]]. Os [[Mesopotâmia|mesopotâmicos]], os [[hebreus]], os [[Grécia Antiga|Gregos]], os [[Roma Antiga|romanos]] e os [[hindus]] haviam impulsionado as fronteiras da estética da palavra para graus razoáveis. Mas em todos estes casos a escrita era usada em suas capacidades adequadas, como símbolos fonéticos e lógicos, sendo rude e esteticamente desinteressante.
 
Depois que o [[Alfabeto árabe]] foi oficializado em [[786]] por {{ilc|Khalil ibn Ahmad al Farahidi||Al-Khalil ibn Ahmad al-Farahidi|Khalil ibn Ahmad}}, gradativamente o Islã transformou a palavra árabe em uma obra de [[arte visual]]. Isso porque qualquer tipo de representação realista foi proibida pela revelação trazida por [[Maomé]]. Assim, todo impulso criativo plástico do povo muçulmano foi focado no desenvolvimento artístico de sua caligrafia<ref>[http://www.comunidadeislamica.pt/03d1.html Comunidade Islâmica de Lisboa. A arte da caligrafia no Islão.</ref>.
 
Desde a [[escrita cuneiforme]], as letras eram destacadas umas das outras. O artista árabe juntou umas às outras, de modo que a partir de então o olho, num único vislumbre, poderia ler toda a palavra, ou frase. E muito antes da moderna tipografia ocidental, foram os [[árabes]] também que elastificaram suas letras a ponto de poder então, esticá-las, prolongá-las, contraí-las, incliná-las, estirá-las, endireitá-las, curvá-las, dividi-lslas, engrosssá-las, estreitá-las, alargá-las em parte ou no todo, como lhe aprouvesse.
 
Muitos estilos de [[escrita]] foram desenvolvidos tanto para o Alcorão quanto para outros livros e inscrições arquitetônicas e decorativas. De fato, a caligrafia árabe se desenvolveu tanto que é até hoje considerada pelos árabes uma das mais nobres formas de [[arte]]. {{Carece de fontes/bloco|Nostradamus é um dos grandes expoentes atuais.|data=junho de 2013}}{{esclarecer|Nostradamus? atual?}}
 
== Estilos ==
==={{Âncora|Cúfico}}{{Âncora|Nashki}} Cúfico e NashkiNaskhi ===
[[Imagem:Kufi.jpg|thumb|150px|Estilo cúfico numa página do Alcorão]]
[[Imagem:Al Fatihah - naskh script.jpg|150px|thumb|Estilo Naskh]]
 
Os dois estilos originais da escrita árabe foram o cúfico ou ''kufi'' e o ''nashkinaskhi''.<ref>[http://www.iranchamber.com/literature/articles/development_book_persia.php The Development of the Arts of the Book in Early Islãic Art of Persia] por Dr.&nbsp;Mohammad Khazaie.</ref>
 
O estilo ''cúfico'' recebe este nome por ter sido utilizado primeiramente, em caráter oficial, na cidade de [[Cufa (Iraque)|Cufa]], na [[Mesopotâmia]], região correspondente ao atual [[Iraque]]. Caracteriza-se por ser anguloso e rígido. Os primeiros exemplares do Alcorão foram escritos com esta caligrafia, que se desenvolveu a partir da {{Ilink condicional|Alfabeto siríaco|escrita siríaca|escrita [[Língua siríaca|siríaca]]}}. Também foi empregue nas [[Epigrafia|inscrições]] que se encontram em vários monumentos.
 
O ''nashkinaskhi'' é um estilo de [[escrita cursiva]], com letras mais redondas e fluidas. Surgiu no {{séc|X}}, tendo substituído o estilo cúfico. Dois nomes associados ao seu desenvolvimento foram {{ilc|ibn Muqlah||Ibn Muqla}} e [[ibn al-Bawwab]]. Foi igualmente empregue para cópias do Alcorão, bem como em obras literárias.
 
=== Outros estilos ===
11 587

edições