Diferenças entre edições de "Santuário dos grandes deuses de Samotrácia"

sem resumo de edição
|editora=Pensamento|ano=|páginas=260|id=ISBN 85-315-0173-3 [http://books.google.com.br/books?id=P_JPCc96VxcC&pg=PA261&dq=Santu%C3%A1rio+dos+grandes+deuses+de+Samotr%C3%A1cia&hl=pt-BR&sa=X&ei=l8qlUtamIOassATJpIHgDQ&ved=0CEYQ6AEwBQ#v=onepage&q=Santu%C3%A1rio%20dos%20grandes%20deuses%20de%20Samotr%C3%A1cia&f=false GB]}}</ref> que não era menos renomado que o de [[Elêusis]] e do que o nome dos homens que foram ali iniciados: o historiador [[Heródoto]], um dos raros autores a ter dado informações sobre a natureza dos mistérios; o rei de [[Esparta]], [[Lisandro]], e numerosos atenienses, o culto é mencionado por [[Platão]] e [[Aristófanes]].
 
Um período de espetacular desenvolvimento ocorreu durante o período helenista, quando se tornou, no reinado de [[Felipe II da Macedônia|Felipe II]], um tipo de santuário nacional da [[Macedônia Antiga|Macedônia]], onde sucessores de [[Alexandre o grande]] rivalizavam em munificiência.
 
Era um importante lugar de culto ainda na época do [[Império Romano]], o próprio imperador [[Adriano]] o visitou e o escritor [[Marco Terêncio Varrão]] descreveu uma parte dos mistérios, antes deles se desfazerem ao fim da antiguidade tardia.<ref>{{citar livro|autor=Clyde E. Fant,Mitchell G. Reddish|título=A Guide to Biblical Sites in Greece and Turkey|editora=Oxford Press|ano=2003|páginas=126|id=ISBN 0-19-513917-8 [http://books.google.com.br/books?id=cPDXFPxKBzIC&pg=PA126&dq=Sanctuary+of+the+Great+Gods&hl=pt-BR&sa=X&ei=3s2lUsnDBsj_kAe9oYG4Dg&ved=0CHkQ6AEwCQ#v=onepage&q=Sanctuary%20of%20the%20Great%20Gods&f=false GB]}}</ref>