Abrir menu principal

Alterações

174 bytes adicionados ,  22h41min de 12 de julho de 2014
Ajustes
|conhecido_por =
|influenciado =
|premio ={{nowrap|[[Imagem:Nobel prize medal.svg|20px]] [[Nobel de Física]] (1914)}}, {{nowrap|[[Medalha Matteucci|Medalha Matteucci (1914)]]}}, {{nowrap|[[Medalha Adolf von Baeyer]] (1921)}}, {{nowrap|[[Medalha Max Planck]] (1932)}}, {{nowrap|[[Plaqueta Röntgen]] (1952)}}
|conjuge =
|religiao =
Foi laureado com o [[Nobel de Física]] de 1914, pela descoberta da [[difração]] dos [[raios-X]] em cristais.
 
Em 1898 estudou [[matemática]], [[física]] e [[química]] na [[Universidade de [[Estrasburgo]]. Em 1902 passou a trabalhar com [[Max Planck]] na [[Universidade Humboldt de Berlim|Universidade de Berlim]], especializando-se em [[espectroscopia]] e radiação. Posteriormente foi professor da [[Universidade de [[Zurique]] (1912) e da [[Universidade de [[Frankfurt am Main]] (1914). Neste ano recebeu o [[Nobel de Física]], criando as bases da [[cristalografia]] e da [[espectroscopia]] com raios-X. A partir de 1919 foi professor de [[física]] teórica da [[Universidade de Berlim]].
 
Além do [[Prêmio Nobel]] recebeu diversas honrarias e condecorações. Como [[Literatura|escritor]] de vários [[livro]]s, tornou-se famoso pela autoria dos livros "História da física" e "Das Relativitätsprinzip" (''O princípio da relatividade'', 1911).
 
Em 8 abril de 1960, quando Max von Laue dirigia sozinho a caminho de seu laboratório, colidiu com um motociclista que tinha recebido sua licença dois dias antes. O motociclista morreu no local, e o carro de Max von Laue capotou em alta velocidade. Levado ao hospital, não resistiu aos ferimentos e morreu em 24 de abril de 1960, aos 80 anos.
 
[[Imagem:Max von Laue Lindau 1959.jpg|miniatura|esquerda|Uma das últimas fotos de Max von Laue, em 1959]]
 
Max von Laue teve grande influência sobre a orientação e desenvolvimento do trabalho [[científico]] alemão, entre suas características se destaca seu forte sentido de justiça. Quando [[Hitler]] e o Partido Socialista Nacional estavam no poder, ele defendeu, inclusive correndo risco de morrer, as visões cientificas, como a [[teoria da relatividade]] que não era aprovada por tais partidários. Ele se recusou a participar do projeto alemão de [[energia atômica]] e demitiu-se em 1943, para protestar contra as políticas do [[nazismo|nazi-governo]].