Abrir menu principal

Alterações

359 bytes adicionados ,  02h35min de 31 de julho de 2014
sem resumo de edição
{{Info/Biografia
|nome = Aloísio Magalhães
|imagem = Aloisio-em-seu-escritório.jpg
|imagem_tamanho = 250px
|legenda =
É considerado pioneiro na introdução do [[design moderno]] no [[Brasil]], tendo ajudado a fundar a primeira escola superior de design neste país, a [[Escola Superior de Desenho Industrial do Rio de Janeiro]] (ESDI). É normalmente considerado pela crítica um dos mais importantes [[design gráfico|designers gráficos]] brasileiros do [[século XX]].<ref>{{citar web|URL=http://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,exposicao-reve-o-legado-de-aloisio-magalhaes,1534168|título=Exposição revê o legado de Aloísio Magalhães|autor=|data=|publicado=Estadão.com.br|acessodata=30 de julho de 2014}}</ref><ref>{{citar web|URL=http://guia.uol.com.br/sao-paulo/exposicoes/noticias/2014/07/25/exposicao-apresenta-obra-do-designer-aloisio-magalhaes-com-pinturas-e-fotos.htm|título=Exposição apresenta obra do designer Aloísio Magalhães com pinturas e fotos |autor=|data=|publicado=UOL|acessodata=30 de julho de 2014}}</ref>
 
O Dia Nacional do Design, 5 de novembro, foi instituído em homenagem ao seu nascimento.<ref>{{citar web|URL=http://www.oswaldocruz.br/conteudo_ler.asp?id_conteudo=27626|título=05 de novembro – Dia Nacional do Designer|autor=|data=|publicado=Faculdades Oswaldo Cruz|acessodata=30 de julho de 2014}}</ref>
Além de designer, foi [[artista plástico]] e secretário de cultura do [[Ministério da Educação (Brasil)|Ministério da Educação e da Cultura]] (MEC). Foi diretor do [[Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional]] (IPHAN) e esteve sempre ligado a questões próprias da [[cultura brasileira]]. Fundou em [[1960]] o escritório M+N+P em conjunto com Luiz Fernando Noronha e Artur Lício Pontual, posteriormente se transformando na atual PVDI - Programação Visual Desenho Industrial. Ao lado dos novos sócios Joaquim Redig e Rafael Rodrigues, projetou a [[identidade visual]] da [[Petrobrás]], do IV Centenário do Rio de Janeiro. Em [[1965]], foi responsável pela criação da primeira marca da [[TV Globo]], uma estrela de quatro pontas. Foi responsável pelo projeto gráfico das notas do [[cruzeiro novo]] (moeda adotada no país a partir de [[1966]]). Foi também membro fundador d'[[O Gráfico Amador]], uma ''[[private press]]'' que, através de suas experiências [[tipografia|tipográficas]], teve influência significativa sobre o moderno design gráfico brasileiro.
 
== Carreira ==
 
Além de [[designer]], foi [[artista plástico]] e secretário de cultura do [[Ministério da Educação (Brasil)|Ministério da Educação e da Cultura]] (MEC). Foi diretor do [[Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional]] (IPHAN) e esteve sempre ligado a questões próprias da [[cultura brasileira]]. Fundou em [[1960]] o escritório M+N+P em conjunto com Luiz Fernando Noronha e Artur Lício Pontual, posteriormente se transformando na atual PVDI - Programação Visual Desenho Industrial. Ao lado dos novos sócios Joaquim Redig e Rafael Rodrigues, projetou a [[identidade visual]] da [[Petrobrás]], do IV Centenário do Rio de Janeiro. Em [[1965]], foi responsável pela criação da primeira marca da [[TV Globo]], uma estrela de quatro pontas. Foi responsável pelo projeto gráfico das notas do [[cruzeiro novo]] (moeda adotada no país a partir de [[1966]]). Foi também membro fundador d'[[O Gráfico Amador]], uma ''[[private press]]'' que, através de suas experiências [[tipografia|tipográficas]], teve influência significativa sobre o moderno design gráfico brasileiro.
[[Ficheiro:Globo logo 1965.svg|thumb|right|O primeiro logotipo da [[Rede Globo]], criado por Aloísio Magalhães.]]
Aloísio faleceu em [[Pádua]], Itália em 1982, quando tomava posse como presidente da Reunião de Ministros da Cultura dos Países Latinos. Após sua morte foi editado o livro ''E triunfo?'', registrando seu pensamento e sua ação à frente dos organismos federais de cultura.
16 776

edições