Abrir menu principal

Alterações

6 908 bytes adicionados ,  22h39min de 2 de agosto de 2014
sem resumo de edição
'''''Handroanthus albus''''' é uma espécie de árvore do gênero ''[[Handroanthus]]''.<ref name="Plantlist">{{Citar web | url=http://www.theplantlist.org/tpl1.1/record/kew-317129|título=''{{PAGENAME}}''|acessodata=2/8/2014|autor=|data= 2010|formato= |publicado= [http://www.theplantlist.org The Plant List]|páginas=|língua=inglês|citação=}}</ref><ref name="Tropicos">{{Citar web | url=http://www.tropicos.org/Name/50127498|título=
''{{PAGENAME}}''|editor=[http://www.tropicos.org Tropico]|acessodata=2/8/2014|autor=Missouri Botanicaal Garden|data= 2014|formato= |publicado= |páginas=|língua=inglês|citação=}}</ref>
 
Popurlamente é chamado no Brasil de ipê-amarelo-da-serra, ipê-ouro, [[ipê-amarelo]], ipê-da-serra, [[ipê]], aipê, ipê-branco, ipê-mamono, ipê-mandioca, ipê-pardo, ipê-vacariano, ipê-tabaco, ipê-do-cerrado, ipê-dourado, ipezeiro, pau-d’arco-amarelo, taipoca.<ref>[http://flora.cria.org.br Lohmann, L.G., Alcântara S.F., Silva F.G.. Bignoniaceae in Flora brasiliensis revisitada. (18/04/2009)]</ref>
 
== Características ==
Altura: cerca de 30 metros.
 
Tronco reto ou levemente tortuoso, casca externa grossa, cinza-rosa, com fissuras longitudinais esparsas e profundas.
 
Com ramos grossos, tortuosos e compridos, o ipê-amarelo-da-serra possui copa alongada e alargada na base. As raízes de sustentação e absorção são vigorosas e profundas.
 
[[Ficheiro:Ipe_amarelo_1.jpg|200px|thumb|esquerda|Ipê-amarelo, município de [[São Miguel do Tocantins]], [[Tocantins]] [[Brasil]].]]
 
As folhas, decíduas, são opostas, compostas digitadas, de face superior verde-escura e face inferior acinzentada, ambas tomentosas na folha jovem, a superior glabra na adulta. Os pecíolos das folhas medem de 2,5 a 10&nbsp;cm de comprimento. Os folíolos em número de 5 a 7, possuindo de 7 a 18&nbsp;cm de comprimento por 2 a 6&nbsp;cm de largura. O ápice destes é pontiagudo, com base arredondada e margem serrada.
[[Ficheiro:Ipe-amarelo curitiba.jpg|thumb|direita|200 px| Árvore florida.]]
Inflorescência em panícula terminal, com flores grandes e lanceoladas, são de coloração amarelo-ouro. Possuem em média 8 x 15&nbsp;cm.
 
Os frutos são cápsulas bivalvares cilíndrica, secos e deiscentes. Do tipo síliqua, lembram uma vagem. Medem de 15 a 30&nbsp;cm de comprimento por 1,5 a 2,5&nbsp;cm de largura. As valvas são finamente tomentosas com pêlos ramificados. Possuem grande quantidade de sementes.
 
As sementes são membranáceas brilhantes e esbranquiçadas, de coloração marrom. Possuem de 2 a 3&nbsp;cm de comprimento por 7 a 9&nbsp;mm de largura e são aladas.
 
=== Reprodução ===
A espécie é [[caducifólia]] (decídua) e a queda das folhas coincide com o período de floração. A floração inicia-se no final de julho e vai até setembro, podendo ocorrer alguma variação devido a fenômenos climáticos. Como a espécie floresce no final do inverno é influenciada pela intensidade do mesmo. Quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada do ipê-amarelo.
 
A planta é [[hermafrodita]], e frutifica nos meses de outubro e novembro. Em cultivo, a espécie inicia o processo reprodutivo após o terceiro ano.
 
As flores por sua exuberância, atraem abelhas e pássaros, principalmente [[beija-flor]]es que são importantes agentes polinizadores. Segundo CARVALHO (2003), a espécie possui como vetor de polinização a [[abelha]] [[mamangava]] (''Bombus morio'').
 
As sementes são dispersas pelo vento ([[anemocoria]]).
 
== Ocorrência ==
Ocorre naturalmente na [[floresta estacional semidecidual]], [[floresta ombrófila mista|Floresta de Araucária]] e no [[cerrado]] brasileiros, nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás{{Carece de fontes|data=abril de 2010}} e Serras do Espírito Santo.
 
Nativa também em parte da Argentina e Paraguai.<ref>[http://www.tropicos.org/Name/3701485 Tropicos.org. Missouri Botanical Garden. 26 Mar 2009]</ref>
 
Tolerante a geadas, ocorre em locais cuja temperatura média anual varia de 14,4°C como mínimo e 22,4°C como máximo.
 
Prefere solos úmidos, com drenagem lenta e geralmente não muito ondulados (LONGHI, 1995), terras de boa a média fertilidade, em solos profundos ou rasos, nas matas e raramente [[cerradão|cerradões]] (NOGUEIRA, 1977).
 
== Usos ==
A madeira é usada na construção civil, na forma de tacos e assoalhos, e em [[marcenaria]] e [[carpintaria]].
 
É usada no [[paisagismo]] urbano.
 
=== Produção de mudas ===
Os [[fruto]]s devem ser coletados antes da dispersão, para evitar a perda de sementes. Após a coleta as sementes são postas em ambiente ventilado e a extração é feita manualmente.
 
Produzem grande quantidade de [[semente]]s aladas com pequenas reservas, que perdem a viabilidade em poucos dias após a sua coleta. A sua conservação vem sendo estudada em termos de determinação da condição ideal de armazenamento, e tem demonstrado a importância de se conhecer o comportamento da espécie quando armazenada com diferentes teores de umidade inicial, e a umidade de equilíbrio crítica para a espécie (KANO; MÁRQUEZ & KAGEYAMA, 1978).
 
As sementes não têm dormência. Podem apenas ser expostas ao sol por cerca de 6 horas, devem ser semeadas diretamente nos saquinhos. A germinação ocorre após trinta dias e é de 80%. As sementes são ortodoxas e há aproximadamente 87000 sementes em cada quilo.
 
=== Pragas e Doenças ===
De acordo com CARVALHO (2003), possui como praga a espécie de [[coleóptero]]s ''Cydianerus bohemani'' da família [[Curculionoideae]] e um outro coleóptero da família [[Chrysomellidae]]. Apesar da constatação de elevados índices populacionais do primeiro, os danos ocasionados até o momento são leves. Nas praças e ruas de Curitiba - PR, 31% das árvores foram atacadas pela [[cochonilha]] ''Ceroplastes grandis''.
 
ZIDKO (2002), ao estudar no município de [[Piracicaba]] a associação de coleópteros em espécies arbóreas, verificou a presença de insetos adultos da espécie ''Sitophilus linearis'' da família de coleópteros, [[Curculionidae]], em estruturas reprodutivas. Os insetos adultos da espécie emergiram das vagens do ipê, danificando as sementes desta espécie nativa.
 
ANDRADE (1928) assinalou diversas espécies de [[Cerambycidae]] atacando essências florestais vivas, como [[inga]]zeiro, [[cinamomo]], [[cedro]], caixeta, [[jacarandá]], [[araribá]], [[jatobá]], entre outras como o [[ipê-amarelo]].
 
== Árvore símbolo ==
Embora o Ipê seja considerado [[árvore]] símbolo do Brasil, pela '''Lei nº 6.607 de 7 de Dezembro de 1978''' o [[pau-brasil]] foi declarado '''Árvore Nacional'''.<ref>[http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6607.htm LEI Nº 6.607, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1978]</ref> Pelos projetos de lei PL-2293/1974 e PL-882/1975, tentou-se instituir o Ipê como flor nacional do Brasil. Ambos os projetos foram arquivados na Câmara dos Deputados. O projeto de lei PL-3380/1961 visava declarar o pau-brasil e o ipê-amarelo, respectivamente, Árvore e Flor Nacionais, mas este projeto não foi aprovado.<ref>[http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=212193 Proposição: PL-3380/1961]</ref>
 
==Galeria==
<gallery>
File:Ipe-unicamp-007.jpg
Ficheiro:Ipe amarelo.JPG
Ficheiro:ipe_amarelo_uem.jpg|
</gallery>
 
{{referências}}
[[Categoria:Árvores do Brasil]]
[[Categoria:Handroanthus]]
[[Categoria:Flora da Mata Atlântica]]
[[Categoria:Árvores ornamentais]]
[[Categoria:Árvores do Brasil]]
[[Categoria:Madeiras brasileiras]]
[[Categoria:Espécies descritas em 1948]]