Diferenças entre edições de "Citomegalovírus"

1 970 bytes adicionados ,  20h22min de 7 de agosto de 2014
assunto
m (Foram revertidas as edições de 201.71.176.172 para a última revisão de Antero de Quintal, de 18h54min de 9 de maio de 2014 (UTC))
(assunto)
 
A soroprevalência é dependente da idade: 58,9% dos indivíduos com 6 anos ou mais são infectados, enquanto 90,8% dos indivíduos com 80 anos ou mais são infectados. O CMV também é o vírus mais frequentemente transmitido para um feto em desenvolvimento.
 
No Brasil, estudos de soroprevalência na população entre 15 e 45 anos de idade revelaram 81% de positividade na cidade do Rio de Janeiro e aproximadamente 90% na cidade de São Paulo e no estado de Santa Catarina
 
A infecção por CMV é maior em países em desenvolvimento e em comunidades com estado socioeconômico menor e representa a causa viral mais significante de defeitos de nascimento em países industrializados.
 
O Citomegalovirus (CMV) é um DNA virus de fita dupla, membro da familia Herpesviridae e possui o maior genoma nessa familia. O CMV cresce em células humanas, replicando-se melhor em fibroblastos. A idade de prevalência varia mundialmente: em paises em desenvolvimento, a maioria das infecções é adquirida durante a infância, enquanto nos paises desenvolvidos, mais de 50% dos adultos jovens são soronegativos.
 
O CMV geralmente provoca uma infecção assintomática, mas permanece latente durante a vida e pode reativar. Em imunocompetentes, doença sintomática geralmente se manifesta com sindrome da mononucleose. Manifestações clinicas importantes da doença por CMV (reativação de infecção latente ou primo-infecção) frequentemente se desenvolvem em pacientes imunocomprometidos, como HIV/AIDS, transplantados, pacientes com corticoterapia em altas doses, LES, artrite reumatóide ou psoríase. 
 
O CMV pode afetar qualquer órgão do corpo em imunossuprimidos, resultando em febre de origem desconhecida, pneumonia, hepatite, encefalite, mielite, colite, uveite, retinite e neuropatia. Os pacientes de maior risco para contrair a infecção são individuos que trabalham em creches, pacientes submetidos a transfusão sanguinea e pessoas com mutiplos parceiros sexuais. 
 
O CMV é transmitido de pessoa a pessoa por contato intimo com individuos excretando o virus. Pode ser transmitido pela placenta, transfusão sanguinea, transplante de órgãos, relação sexual e aleitamento materno.  
 
A técnica de PCR apresenta elevada sensibilidade e especificidade, sendo indicada nos casos de alterações neurológicas, diagnóstico pré-natal, infecção do recém-nascido, após transplante e em indivíduos portadores do HIV.
== Espécies ==
{| class = "prettytable" style = "float:left; font-size:85%; margin-left:15px"
Utilizador anónimo